BrazilFoundation é reconhecida, mais uma vez, por sua transparência e boa governança

A busca por processos mais transparentes e de uma boa governança está no radar, cada vez mais, das organizações que atuam no campo social em diversas partes do mundo. Esse olhar, inclusive, acaba de render à BrazilFoundation pelo quarto ano consecutivo quatro estrelas do Charity Navigator, considerado o maior avaliador de filantropia da América do Norte. Em 2015, o site recebeu mais de sete milhões de visitas por doadores, interessados em conhecer as instituições mais transparentes e com boa governança.

“Isso significa que estamos agora entre as 9% mais transparentes dentre as organizações sem fins lucrativos com operações no EUA. Isso é importante não apenas para nós, mas para todos os nossos parceiros e doadores. Esperamos também contribuir para uma cultura de maior transparência no setor filantrópico brasileiro”, comenta Patrícia Lobaccaro, presidente e CEO da BrazilFoundation.

No Brasil, inclusive, essa agenda tem sido amplamente difundida pelo GIFE por meio de uma série de iniciativas, como o Painel GIFE de Transparência e os Indicadores GIFE de Governança.

Assim como os instrumentos do GIFE, o Charity Navigator busca incentivar que as organizações tenham uma atitude diferenciada em relação à governança e práticas éticas, bem como medidas de transparência, indicando se estão abertas ao diálogo com seus doadores e partes interessadas, por exemplo. Em 2016, o Charity incluiu ainda indicadores sobre saúde financeira.

No caso do Charity Navigator, ao contrário do Painel GIFE e dos Indicadores GIFE de Governança, que podem ser acessados e utilizados para autoavaliação por qualquer organização, ele só avalia instituições americanas que cumpram alguns pré-requisitos, como ter um determinado certificado e publicar o formulário 990 da Receita Federal Americana (IRS), assim como ter no mínimo sete anos de existência e pelo menos US$1 milhão de receita anual, dos quais 500 mil precisam ser arrecadados junto ao público em geral.

Neste formulário da IRS, por exemplo, as instituições americanas devem reportar informações financeiras, programáticas e de governança. No quesito finanças, são apontadas as fontes de receita, métodos usados para captar os recursos e quanto dinheiro foi gasto na captação destes recursos. Já na parte de despesas, é necessário diferenciar gastos administrativos, marketing, captação de recursos e investimentos programáticos. É obrigatório também reportar o salário da direção executiva, bem como salários de cada funcionários que esteja acima de um determinado valor (no caso, 100 mil dólares por ano, brutos). Essa questão é de grande contraste com o Brasil, onde ainda há muita resistência em reportar salários.

Além disso, há toda uma parte sobre governança, incluindo membros do conselho, existência de políticas de conflito de interesse, políticas de não-retaliação, políticas salariais, políticas de retenção de documentos, entre outras. Para conseguir as quatro estrelas, como foi o caso da BrazilFoundation, é necessário obedecer todos os critérios acima durante sete anos.

Patrícia Lobaccaro  destaca que, além das questões financeiras e de governança mencionadas, e que são obrigatórias na prestação de contas da Receita Federal Americana, a organização está buscando incorporar mais transparência em todos os seus processos, como na área programática, incluindo no site critérios de seleção dos projetos, relatórios de avaliações dos projetos apoiados, bem como pesquisas de satisfação que são realizadas com as lideranças e gestores das organizações apoiadas.

FacebookTwitterLinkedInGoogle+