GIFE lança pesquisa salarial 2013

O GIFE lançou em agosto a segunda edição da pesquisa salarial, realizada a cada dois anos exclusivamente com investidores sociais. Com a participação de 21 fundações e institutos, a pesquisa traz dados sobre salário nominal, remuneração variável, política de benefícios e comentários gerais sobre política de remuneração. Conduzido pela Taji Consultoria, empresa especializada em remuneração, o estudo é uma ferramenta estratégica de gestão de pessoas, apoiando a seleção e retenção de talentos.

A pesquisa aponta que fundações e institutos têm dificuldade de contratação e retenção de pessoas, principalmente para cargos da área de projetos, que exigem muitas vezes conhecimento específico. Investidores sociais competem, não apenas entre si mas também com outras organizações da sociedade civil e empresas privadas, por estes profissionais. Para atrair pessoas qualificadas, muitas organizações estão investindo em capacitação interna e algumas (29%) passaram recentemente ou estão passando por revisão da tabela salarial, tornando-a mais atrativa.

Os resultados da pesquisa mostram ainda que apenas 43% das organizações respondentes possuem um programa de remuneração variável, todas de origem empresarial. A prática mais comum é o programa de bônus. A participação nos lucros e resultados (PLR) é encontrada apenas nas posições vinculadas a empresa mantenedora.

A maioria das organizações que responderam à pesquisa é de origem empresarial (62%). Destas, 61% possuem uma tabela salarial própria, indicando grande autonomia na definição de políticas de gestão de pessoas.

Em geral, as 21 fundações e institutos que participaram da pesquisa salarial são pequenas em relação ao número de funcionários: 57% tem até 20 funcionários e apenas 10% tem mais de 100 colaboradores remunerados. Em função da estrutura enxuta, é frequente que organizações de origem empresarial compartilhem serviços com a empresa mantenedora, principalmente nas áreas de apoio.

Apesar do número pequeno de funcionários, as organizações que responderam à pesquisa têm orçamentos anuais expressivos, se comparados a mesma informação coletada no Censo GIFE 2011-2012, em que a mediana dos orçamentos dos 100 respondentes é de R$4 milhões. Na pesquisa salarial, 52% dos respondentes têm orçamento anual acima de R$10 milhões.

A pesquisa salarial 2013 teve mudanças importantes em relação a primeira edição da pesquisa, que conferem maior qualidade ao estudo. Na atual edição, uma estrutura de cargos específica para as fundações e institutos foi desenhada, a partir dos organogramas das organizações participantes. A comparação entre cargos foi feita individualmente e optou-se por trabalhar com cargos e não níveis de cargos, o que garante mais precisão no matching e maior rigor estatístico. Foram pesquisados cargos executivos, nos níveis de diretor e gerente, além de cargos das áreas de projetos, comunicação e administrativo-financeiro, em vários níveis.

O relatório da pesquisa salarial está disponível para compra. Para mais informações clique aqui ou entre em contato com o GIFE: pesquisa@gife.org.br ou (11) 3816-1209.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

FacebookTwitterLinkedInGoogle+