Grupo Marista desenvolve campanha sobre a importância do brincar

Que brincar é essencial para as crianças ninguém duvida. Mas, será que os adultos dedicam parte do seu tempo para se envolverem nestas atividades com seus filhos, netos ou sobrinhos? Como são essas brincadeiras? Esse tempo dedicado é realmente significativo?

Para chamar a atenção da sociedade para o tema, a Rede Marista de Solidariedade (RMS) e a Rede de Colégios do Grupo Marista realizam, até o fim do mês, a campanha #DesafioDoBrincarque tem como objetivo espalhar pela internet uma reflexão sobre o tempo e a qualidade dedicada para as brincadeiras, bem como a presença significativa junto às crianças.

“Além de expor o direito ao brincar, queremos provocar uma reflexão sobre o tempo que dedicamos para brincar com nossos filhos, já que isso está diretamente relacionado à formação deles como seres humanos. Esse é foco central da ação. É uma mobilização em defesa de uma causa que está diretamente relacionada a nossa missão como Grupo Marista”, explica o diretor da Rede Marista de Colégios, Gerson Luis Carassai.

A campanha é uma das iniciativas do Programa Direito ao Brincar, desenvolvido pela RMS desde 2012. Segundo Vanderlúcia da Silva, coordenadora de Projetos, Parcerias e Incidência da Rede Marista de Solidariedade, o programa busca mobilizar a sociedade e o poder público para a importância da garantia do direito ao brincar congregando a experiência, o conhecimento e as atividades de diversas organizações e instituições que promovam a causa. Para dar visibilidade e compartilhar informações, assim como práticas desenvolvidas sobre a temática, foi desenvolvido também um site.

Vanderlúcia destaca que a RMS refletiu sobre a importância de trazer à tona a discussão sobre o direito ao brincar pautada em seis princípios. Entres eles estão o reconhecimento de que a criança é sujeito de direitos; de que o brincar é uma atividade peculiar da criança, forma privilegiada de expressão importante para o desenvolvimento integral e de expressão de valores culturais, bem como para a socialização e convívio familiar; assim como o fato de que o tempo e espaço seguros para brincadeiras devem ser defendidos e resguardados.

“É por meio do brincar que a criança desenvolve algumas capacidades como a atenção, a imitação, a memória e a imaginação onde também pode desenvolver habilidades motoras, agilidade, coordenação, equilíbrio e facilita o processo de socialização, comunicação e expressão. O brincar entre as crianças possibilita exercitar princípios de convivência, de negociação e de colaboração. Nesse sentido, elas aprendem a negociar, ser solidários, respeitar o colega, tolerar as diferenças e a cooperar, ou seja, por meio das brincadeiras, elas podem criar laços de solidariedade e de comunhão. Enfim, as brincadeiras viabilizam que as habilidades sociais sejam desenvolvidas naturalmente, lembrando que as mesmas são extremante importantes para a nossa vida e em sociedade”, ressalta a coordenadora.

Além da campanha, o programa reúne uma série de outras iniciativas, como, por exemplo, o material de comunicação “10 iniciativas para promover o direito ao brincar”, que traz, além de artigos sobre o tema, vídeos com dicas de como atuar a fim de garantir esse direito. Foram desenvolvidos também oito vídeos para a série “Jogos, brinquedos e brincadeiras”, com o propósito de estimular a reflexão sobre a diversidade cultural de brinquedos e brincadeiras. Todos os materiais dos vídeos foram desenvolvidos por uma proposta pedagógica construída pelo Centro Educacional Marista Curitiba e o Centro Social Marista Irmão Henri em Fazenda Rio Grande no qual as próprias crianças escolheram os brinquedos e brincadeiras que foram apresentados.

Apoio institucional