Instituto ABCD lança edital do Programa Todos Aprendem

O Instituto ABCD – organização que se dedica a gerar, promover e disseminar projetos que tenham impacto positivo na vida de brasileiros com dislexia e outros transtornos específicos de aprendizagem – lançou edital de seleção de municípios que desejam participar do Programa Todos Aprendem.

A iniciativa oferece uma formação para professores, gestores escolares e técnicos de Secretarias de Educação, com a proposta de fortalecer a capacidade dos municípios e/ou escolas de identificar os diferentes perfis de aprendizagem, promover a identificação precoce dos transtornos específicos de aprendizagem (dislexia, discalculia e disortografia) e estimular o acompanhamento adequado das crianças, especialmente as que apresentam dislexia.

O instituto oferece a formação Todos Aprendem na modalidade presencial desde 2012, atuando nos Estados do Pará, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro e São Paulo. A partir de 2015, a organização passou a oferecer a modalidade online (EaD), em parceria com a Secretaria Estadual de Educação do Estado de São Paulo. Nesta formação, que já esteve presente em mais de 20 municípios, participaram mais de 6 mil educadores.

“Ao longo destes cinco anos de atuação observamos que a formação contribuiu tanto para ampliar estratégias de alfabetização quanto para repensar formas de trabalho com alunos com dificuldades de aprendizagem. Um ponto comum a todos os relatos dos participantes é a percepção da necessidade de desenvolvimento de olhares individuais para os estudantes, promovendo uma ampliação de repertório e valorização da diversidade. Apesar do projeto ter uma intervenção, em primeira instância, junto ao grupo docentes, espera-se que os resultados produzidos possam impactar positivamente seus alunos, gerando melhorias para os índices educacionais dos municípios”, comenta Beatriz Garofalo, coordenadora de projetos do Instituto ABCD.

O programa

 

O conteúdo e a metodologia do curso foram desenvolvidos para permitir ao professor promover um ensino mais eficaz, identificar os alunos que apresentam sinais sugestivos de dificuldades e transtornos de aprendizagem, além de trabalhar com estratégias mais dirigidas às necessidades destes alunos.

“A formação pretende introduzir o professor ao universo da aprendizagem, fazendo uma relação entre a importância de entendermos como o aluno aprende, por que ele não aprende e o que pode ser feito para identificar as dificuldades e auxiliar os alunos a melhorarem. O enfoque baseia-se nas premissas do Desenho Universal na Aprendizagem, ou seja, ao formarmos o professor para identificar e ensinar melhor os alunos que estão com dificuldades para aprender, propicia-se uma melhor experiência de aprendizagem para todos os estudantes”, ressalta Beatriz.

A formação é oferecida na modalidade presencial – direcionada a todos os municípios da Grande São Paulo – e a distância – para todas as secretariais do país. O curso é composto por sete módulos, totalizando 32 horas, e aborda os seguintes temas: Aprendizagem e Neurodiversidade: Como o aluno aprende?; Dificuldades e transtornos de aprendizagem: Por que o aluno não aprende?; Como ajudar o aluno a ouvir, entender e falar melhor?; Como ajudar o aluno a ler e escrever melhor?; Estratégias para planejar e organizar melhor; Habilidades matemáticas: O que são, como avaliar e como melhorar?; e Como lidar com comportamentos difíceis em sala de aula.

Não há investimento financeiro para a secretaria que for selecionada para participar do programa, mas, para viabilizar sua implantação, é importante que na modalidade presencial a secretaria garanta a disponibilidade de 2 a 4 horas para formação, por encontro, além de um espaço físico adequado para as formações e com recursos audiovisuais, assim como a divulgação, organização e execução do processo de adesão dos participantes do projeto. Nesta modalidade, será preciso inscrever no mínimo 50 educadores.

Já as secretarias que optarem pela formação a distância deverão inscrever no mínimo 50 e no máximo 250 educadores, e se responsabilizar pela divulgação, organização e execução do processo de adesão dos participantes do projeto, além de garantir o acesso mínimo à internet para que os cursistas possam fazer o download do aplicativo e, se necessário, fazerem o curso off-line.

Inscrições

 

O programa está com inscrições abertas até o dia 04 de março. A adesão dos interessados para a modalidade presencial deve ser feita por esse link. Já as secretarias que desejarem se inscrever para o curso a distância, devem fazer suas inscrições aqui.

Em caso de dúvidas a respeito do programa e seu processo de seleção, os interessados podem entrar em contato pelo e-mail contato@institutoabcd.org.br. As formações terão início em 17 de abril.

FacebookTwitterLinkedInGoogle+