Accenture direciona investimento social para a formação de jovens e inserção profissional

Guiada por uma orientação global de direcionar o investimento social privado em iniciativas que visem “desenvolver competências para o sucesso”, a Accenture Brasil tem se dedicado a desenvolver projetos focados na formação de jovens para o mundo de trabalho, com a perspectiva de garantir também a sua empregabilidade.

Os projetos vem responder a uma demanda da juventude brasileira que tem enfrentado muitas dificuldades para se inserir profissionalmente. O estudo “Tendências Mundiais do Emprego de Jovens 2015” divulgado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) no início de outubro, inclusive, aponta que o desemprego de jovens no Brasil com idade entre 15 e 24 anos deve atingir 15,5% em 2015, sendo que a taxa média mundial nessa mesma faixa etária é estimada em 13,1%.

Nesse sentido, duas iniciativas têm alcançado resultados positivos na capacitação e inserção profissional de novos profissionais em diversas cidades do país. Uma delas é o Programa Conexão, realizado em parceria com Rede Cidadã, e desenvolvido desde 2007 nas cidades de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Belo Horizonte (MG).

Por meio do programa, jovens, principalmente vindos de escolas públicas, participam de uma série de cursos que são oferecidos ao longo do ano, sempre em acordo com as demandas do mercado. Há formações para tecnologia, secretariado, garçom etc. Depois de formados, a Rede Cidadã faz a ponte com empresas parceiras para inserir os jovens no mercado de trabalho.

Nestes anos, mais de 52 mil jovens já participaram das formações, sendo que 26 mil conseguiram uma vaga de emprego. Em 2015, de janeiro a agosto, mais de 8 mil completaram os cursos e 4 mil foram empregados.

Outra iniciativa também com este enfoque é o Programa Accenture do Futuro, criado em 2013 e também desenvolvido em parceria com organizações não-governamentais, nas cidades de Recife (PE), Barueri (SP) e Nova Lima (MG). A proposta é oferecer cursos, com duração entre três a seis meses, para jovens nas áreas de tecnologia e gestão, a partir das demandas internas da empresa.

No momento, 220 jovens participam das atividades nas três cidades. Durante os cursos, os estudantes têm ainda a oportunidade de conhecer a experiência daqueles que já participaram das formações e hoje são funcionários da Accenture, a fim de motivá-los a continuar estudando e investindo na sua formação.

Silvia Tyrola, líder de Cidadania Corporativa para a América Latina da Accenture, destaca que a meta do programa é de que pelo menos 65% destes jovens sejam contratados pela própria empresa ao final das formações. Os demais serão colocados em contato com outras empresas.

A líder da empresa destaca também que, além dos bons resultados em relação à inserção profissional dos jovens, as iniciativas têm sido muito valorizadas pelos próprios funcionários. “Nas pesquisas internas que realizamos a imagem que os colaboradores têm sobre os projetos sempre é muito positiva. Isso gera um impacto enorme na motivação e engajamento deles, pois vêem resultados efetivos. Muitos preferem a Accenture pelo seu posicionamento e valores”, ressalta.

Associados

Apoio institucional