CENSO GIFE completa 10 dez anos e traça perfil do setor no país

O GIFE promove a sétima edição do seu CENSO, uma pesquisa que coleta a cada dois anos as principais informações sobre investimento social privado no Brasil. Essa edição dá continuidade a uma série histórica que começou em 2001, permitindo fortalecer a compreensão do setor, retratar a relevância da atuação dos associados GIFE – são 129 atualmente – e servir como orientação para a tomada de decisões por parte das organizações.

Alguns infográficos produzidos com informações dos CENSOs anteriores mostram o quanto o setor mudou ao longo destes anos de pesquisa. Em 2001, por exemplo, algumas regiões brasileiras quase não eram impactadas pela atuação dos investidores sociais, como a região Norte, que tinha atuação de apenas 6,2% dos associados do GIFE. Atualmente, apesar da região Sudeste continuar sendo predominante, todas as regiões brasileiras recebem atuação de pelo menos metade dos associados:

Outro dado relevante é o aumento na diversidade dos tipos de investidores sociais, o que permite estratégias variadas e uma abrangência mais ampla de temáticas sociais:

 

 

Relevância dos dados

Iara Rolnik, gerente de Conhecimento do GIFE, destaca a importância da iniciativa diante da escassez de dados sobre o terceiro setor. “Não temos muitas pesquisas cadastrais e não existe uma base de dados a respeito deste assunto. Por ser um setor muito heterogêneo – que engloba desde instituições religiosas, quanto pequenas entidades sociais e grandes fundações empresariais, por exemplo, com naturezas jurídicas diferentes entre si – é muito difícil de se caracterizar, ter um acompanhamento e coletar informações. O CENSO é pesquisa mais longa e abrangente sobre este tema no Brasil”, comenta Iara.

O questionário, elaborado em conjunto com o Instituto Paulo Montenegro está estruturado nos seguintes blocos temáticos: I. Dados gerais da organização; II. Governança e gestão; III. Recursos financeiros; IV. Estratégias de atuação; V. Áreas de atuação; VI. Monitoramento e avaliação; e VII. Comunicação. Há também questões específicas para cada tipo de perfil: empresas, fundações empresariais, familiares, comunitárias ou independentes.

Nesta edição, além de levantar as informações descritivas da atuação dos associados, o CENSO traz questões de natureza estratégica, a partir de sugestões trazidas pelos associados em encontros prévios realizados no ano passado e que hoje pautam as áreas prioritárias de atuação do GIFE.

Foram incluídas perguntas mais reflexivas que buscam conhecer a percepção dos associados sobre os temas abordados, o posicionamento atual das organizações e explorar tendências do setor para os próximos anos com relação a grandes assuntos, tais como: a parceria com outras organizações da sociedade civil; o alinhamento com as políticas públicas; a interface com as demandas do negócio de suas mantenedoras; as oportunidades de coinvestimento em parceria com instituições do campo; o apoio a negócios sociais, bem como a mobilização de outros segmentos sociais por meio de ações de voluntariado; e da promoção de doações de pessoa física.

Há uma questão, por exemplo, que busca identificar qual(is) das estratégias de incidência em políticas públicas o associados adota e, para cada delas, em que nível(is) da federação esta ocorre. Assim, há alternativas como: 1. Considera as políticas públicas setoriais como referência para a estruturação de projetos/programas; Desenvolve ações de formação/capacitação de gestores ou funcionários públicos; Desenvolve metodologias/tecnologias sociais com o objetivo de serem incorporadas às políticas pública;

Participa diretamente de conselhos ou instâncias de formulação de políticas públicas; Influencia na formulação de políticas públicas por meio de conhecimento / espaços de diálogo / advocacy; e Realiza parceria direta para formulação de políticas públicas; entre outras.

Nesta edição do CENSO, o GIFE estabeleceu também uma parceria com BISC – Benchmarking do Investimento Social Corporativo, que também realiza uma pesquisa com as empresas associadas. Com isso, foram incluídas algumas questões do BISC no CENSO, a fim de permitir que as duas pesquisas possam ter uma base comparativa comum, unificar dados e chegar a um perfil deste público. Segundo a gerente do GIFE, a partir desta junção, chegou-se a um número conjunto de investimento social feito no Brasil: R$3,2 bilhões em 2014.

As perguntas comuns às pesquisas são: Quais as vantagens/benefícios do alinhamento dos investimentos sociais aos negócios? e Quais os riscos do alinhamento dos investimentos sociais aos negócios?

Próximos passos

Atualmente, os associados do GIFE estão em fase de preenchimento do CENSO – que vai até o dia 12 de junho. Em breve, será promovido um hangout para discutir as questões e orientar o preenchimento do questionário.

Após esta etapa, o GIFE irá sistematizar os dados e lançar na metade do ano um hotsite com os principais dados e conhecimentos gerados a partir da pesquisa. A ideia para esta edição é, inclusive, que os associados, a partir dos resultados do CENSO, possam fazer comparações sobre a sua posição frente aos demais. No final do ano, será realizado ainda um evento sobre o tema com o lançamento da publicação.

Confira os infográficos sobre o CENSO GIFE.

Apoiam o Censo o Santander, Instituto Unibanco, Fundação Telefônica e Instituto C&A