Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho e Grupo RBS selecionam projetos sobre cultura, esporte e crianças

Organizações que desenvolvam projetos direcionados a crianças e adolescentes e que sejam relacionados à cultura e esporte podem se inscrever nos editais 2018 da Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho (FMSS) e Grupo RBS.

A chamada de projetos tem como objetivo democratizar o acesso ao recurso do Grupo RBS. Amaralina Xavier, gestora de Comunicação e Projetos da Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho, explica que até 2015, o repasse financeiro era direcionado à instituições que já tinham um relacionamento com a Fundação. “Nós percebemos que essa não era a melhor estratégia para alocar os recursos. A chamada pública, criada em 2016, é um processo mais transparente e democrático, com critérios expostos”.

Desde então, trata-se de uma união de expertises: o Grupo RBS fica responsável por destinar o recurso via leis de incentivo, enquanto que a Fundação faz toda a questão operacional e o processo gerencial. “Com esse edital, nós esperamos, além de repassar o recurso, dar uma maior divulgação aos projetos, para que eles consigam ter mais reconhecimento perante suas comunidades e, assim, conquistem novos parceiros”.

Os projetos deverão se inscrever em uma das três modalidades: Funcriança, Esporte e Cultura. Apesar de cada uma ter suas regras próprias, é necessário que todos os projetos já sejam aprovados legalmente a captar recursos. Amaralina defende que essas categorias são as que mais se assemelham ao foco de atuação da Fundação. “Até hoje, são as modalidades que conseguem ter um maior alinhamento estratégico com o Grupo RBS, mantenedor da Fundação. Nós entendemos que a propagação da cultura, do esporte e dos direitos fundamentais da criança são basilares”.

Além disso, a gestora de Comunicação ressalta que é dada prioridade a iniciativas que tenham uma atenção especial para o desenvolvimento comunitário e a educação. “Nós tendemos a ter um olhar que vai além da aplicação do recurso. Essa visão do desenvolvimento comunitário trazida pelos projetos é super importante, pois podemos ter certeza que o investimento está sendo feito em ações que efetivamente produzem impactos e diferenças positivas nas comunidades”, afirma.

Categorias

Em Funcriança, podem participar propostas que desenvolvam um projeto de Serviço de Convivência e Fortalecimentos de Vínculos, registrado e com certificado de captação de recursos pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) de Porto Alegre. Para essa modalidade, os projetos deverão ter um valor mínimo de financiamento de R$ 10 mil e máximo de R$ 32.500,00.

Já na categoria Esporte, as propostas deverão promover a inclusão social a partir da prática esportiva em todo o estado do Rio Grande do Sul. Terão preferência na seleção as organizações coletivas, sociais e educacionais que atuem em comunidades vulneráveis. Além disso, é necessário que as ações já tenham sido aprovadas pelo Ministério do Esporte. Nesse caso, serão selecionadas ações para patrocínio, com orçamento mínimo de R$ 10 mil e máximo de R$ 32.500,00.

Por fim, em Cultura, o objetivo é apoiar projetos já certificados para captação de recursos pela Lei Rouanet, que contribuam para disseminar e estimular a música, artes plásticas, dança, literatura e expressões culturais envolvendo tecnologias no Rio Grande do Sul. Ao todo, estão disponíveis R$ 168.800,00 para essa frente, com orçamento mínimo de R$ 10 mil e máximo de R$ 84.300,00.

Inscrição e seleção

Serão selecionadas ações que possam ter início juntamente com o repasse do recurso, previsto para o período de julho a dezembro de 2018.

O processo de seleção acontecerá em três fases: análise da documentação e coerência do projeto quanto às especificações do edital; avaliação objetiva, que trata da adequação temática (considerando contexto, abrangência, público beneficiário e impacto social das ações); e, finalmente, uma avaliação qualitativa, com análise da experiência das instituições e relevância do projeto, abrangendo contextos locais e qual metodologia, formato e escopo tem mais chances de causar impacto.

Apesar da decisão final ser feita pela Fundação, membros da sociedade civil participam das etapas intermediárias de seleção. “Dentro das três linhas temáticas, convidamos pessoas que são referência nas suas áreas e que têm essa visão do impacto positivo na comunidade”, explica Amaralina.  

Não há um limite de projetos inscritos por uma mesma organização; entretanto, apenas uma iniciativa será escolhida por entidade. As inscrições ficam abertas até 3 de junho, e devem ser realizadas com o preenchimento do formulário disponível no site da Fundação. A divulgação da lista de selecionados acontecerá no dia 18 de junho.

Todas as informações sobre o edital podem ser consultadas no regulamento, disponível na íntegra neste link. Eventuais dúvidas devem ser encaminhadas para o e-mail [email protected]​.

Related news

Apoio institucional