Fundação Tide Setubal promove 7ª edição do festival do Livro e da Literatura de São Miguel

São Miguel Paulista, um dos bairros mais populosos da zona leste paulistana, receberá, entre 9 e 11 de novembro, a sétima edição do Festival do Livro e da Literatura. A iniciativa é uma realização da Fundação Tide Setubal em parceria com escolas, instituições locais, coletivos culturais e universidades da região. O Festival tem por objetivo promover debates sobre questões da realidade cotidiana da comunidade.

“O festival é um grande encontro criativo onde a literatura é mediadora de temas fundamentais para o processo de humanização e equidade das relações sociais e, assim, tem permitido a chegada de temas importantes e pouco explorados no território e, sobretudo, no ambiente escolar”, afirma Inácio Pereira, coordenador da programação cultural da Fundação Tide Setubal.

A sétima edição do festival terá mais de 180 atividades, em 46 pontos do bairro. Intitulada Narrativas de Gênero: feminino, feminismo e outras histórias, traz visibilidade à presença feminina e ao feminismo. Ela destacará a produção literária negra, periférica e HQs. A tradicional árvore com livros gratuitos na praça, contação de histórias, espetáculos e exposições e debate com autoras estão entre os destaques da programação.

No dia 8 de novembro, na pré-programação da iniciativa, acontecerão marchas contra o machismo na União de Vila Nova e no Jardim Lapenna. Lá, jovens, alunos, educadores e agentes de saúde caminharão juntos pelas ruas do bairro a fim de convocar a população a pensar na temática e participar do festival.

Na abertura do Festival será realizada a Marcha Mundial das Mulheres pelo Fim da Violência. Ela terá o apoio de organizações de direitos humanos como o Centro de Referência da Mulher (CRM) Onóris Ferreira Dias, Marcha Mundial das Mulheres (MMM), Batucada Feminista, Sempreviva Organização Feminista (SOF), Associação de Mulheres da Zona Leste (Amzol), Forum de Mulheres de São Miguel, Centro de Cidadania LGBT Laura Vermont, entre outras associações.

Ocupando o espaço público, o festival promoverá o encontro na rua com livros e entre as pessoas. “A ideia é acabar com a construção estereotipada, misturando as diversas tribos de crianças, adolescentes e adultos em uma ocupação lúdica e multifacetada através de saraus, oficinas literárias, gastronômicas, shows diversos, contação de histórias, intervenções, entre tantas outras linguagens que convergem com o bairro em questão”, afirma Inácio Pereira.

O evento ainda conta com a participação da filósofa Djamila Ribeiro. Ativista da causa negra e secretária adjunta de Direitos Humanos na Prefeitura Municipal ela, com a historiadora Cidinha Campos e com a poeta Miriam Alves, discutirá narrativas do gênero da mulher negra. Além disso, o Festival realizará ato em memória de Laura Vermont, jovem transexual de São Miguel, assassinada em 2015.

Outra atividade promovida este ano é Biqueira Literária que promove a poesia da periferia de maneira autônoma. Ao longo da programação, editoras como a Companhia das Letras, Editora 34, Nova Fronteira, Ciranda Cultural e Cortez estarão no local promovendo uma grande feira de livros. A já tradicional Árvore dos Livros, presente todos os anos durante os três dias do festival, trará exemplares de diversas vertentes literárias pendurados em árvores à disposição gratuitamente para a população.

As escolas públicas e privadas de São Miguel também terão uma programação intensa. São 26 instituições que se mobilizam como pontos de evento e se abrem para a comunidade. “Uma das missões do Festival é levar para as escolas a provocação de debater temas que muitas vezes não entram em sala de aula. Entre eles as questões de gênero”, diz Inácio.

Programação

O Sétimo Festival do Livro e da Literatura de São Miguel Paulista é viabilizado com o incentivo da Lei Rouanet, do Ministério da Cultura e é patrocinado pelo Banco Itaú com apoio cultural do Sesc. Para conhecer a programação completa, acesse o portal do Festival.

Apoio institucional