FMSS lança Mapa de Boas Práticas na Educação do Rio Grande do Sul

O projeto ‘Caravana da Leitura’, realizado pela Escola Municipal de Ensino Fundamental Progresso, da cidade de Quinze de Novembro, no Rio Grande do Sul, pode também inspirar e se espalhar por outros cantos do Brasil. Isso porque o projeto agora faz parte do Mapa de Boas Práticas na Educação, que acaba de ir ao ar. A iniciativa é da Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho (FMSS) e visa fortalecer a educação no Estado do Rio Grande do Sul, local da sede da organização.

“Um dos grandes recursos da Fundação é a sua capacidade de mobilização, tanto pelo trabalho em rede que já desenvolve, quanto pelo apoio do Grupo RBS, que consegue reverberar essas práticas. Vimos então a oportunidade de fomentar uma rede de educadores, formal e não formal, tanto para incentivar mais colaboração, cocriação e troca de experiências quanto para valorizar as práticas que já aconteçam, a fim de que elas se expandam; seja aumentando o impacto de seus próprios projetos, seja inspirando outros educadores que querem fazer, mas não sabem por onde começar”, ressalta Amaralina Xavier, coordenadora da iniciativa.

Já estão disponíveis no mapa informações sobre 40 práticas – sendo 20 projetos enviados por educadores de escolas públicas do Estado e 20 de iniciativas que já foram reconhecidas pela FMSS no Prêmio RBS de Educação. Por meio de um formulário online, educadores de todo o Estado podem cadastrar o seu projeto respondendo a algumas perguntas específicas. As fichas são analisadas pela equipe da Fundação e, em seguida, são realizadas entrevistas, conversas e solicitação de outros materiais e documentos para aprofundar o conhecimento sobre a prática e determinar se o projeto é selecionado ou não para estar no mapa.

Para participar, os projetos precisam ter um tempo mínimo de execução de seis meses, estar em andamento e ter resultados comprovados e claros. Além disso, as práticas precisam promover pelo menos um valor humanista, como inclusão, equidade, desenvolvimento sustentável, oportunidades de aprendizagem e respeito à cultura de paz, entre outros. Dessa forma, os projetos não podem promover o que está em desacordo com os 30 artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

São também colocados no mapa projetos que podem ser implementados por outras pessoas e/ou ampliar seu impacto para mais pessoas por mais tempo.

Amaralina Xavier destaca que o mapa vai muito além da plataforma virtual. A iniciativa contempla a construção de uma rede de educadores. Sendo assim, todos os cadastrados – mesmo os que não tiveram seus projetos divulgados inicialmente no mapa – passam, automaticamente, a fazer parte de um grupo fechado no Facebook em que são disponibilizados conteúdos e oportunidades exclusivas, como webinars, guias e vagas para cursos.

Para os educadores que desejarem, a FMSS oferecerá, em breve, a possibilidade de uma parceria técnica. Neste apoio, a FMSS ajudará os educadores a aprimorarem seus projetos apresentando ferramentas e metodologias para mensuração, planejamento, acompanhamento e análise de recursos, além da criação de um plano de comunicação, a fim de divulgar o projeto nos veículos do Grupo RBS. Para participar desta etapa, o educador terá de se comprometer a dar continuidade ao projeto por, no mínimo, mais seis meses e apresentar resultados a partir dos documentos de acompanhamento oferecidos pela FMSS.

A expectativa, segundo Amaralina, é que a Fundação estabeleça também parcerias com outras organizações que já atuam no campo para fortalecer ainda mais os projetos participantes do mapa.

Saiba mais e faça parte do Mapa das Boas Práticas na Educação

Confira alguns vídeos exclusivos aos participantes da rede de educadores: Ana Valls, Bruna Luchese, Ana Motta e Marcia Telles.

Cadastre seu projeto: formulário online

Related news

Apoio institucional