Fundação BB seleciona entidades para reaplicação de tecnologias sociais no Programa Minha Casa Minha Vida

A Fundação Banco do Brasil, por meio da iniciativa “Moradia Urbana com Tecnologias Sociais”, acaba de lançar um edital de credenciamento para a seleção de entidades interessadas em reaplicar tecnologias sociais em empreendimentos imobiliários do Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV).

Com investimento social de R$ 20 milhões, a reaplicação das tecnologias sociais será feita em 124 empreendimentos imobiliários destinados a famílias com renda mensal de até R$ 1.600 atendidas pelo Programa Nacional de Habitação Urbana (PNHU). Estes empreendimentos estão localizados nos estados do Acre, Amazonas, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Piauí, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Rondônia, Sergipe, São Paulo e Tocantins.

“Com essa iniciativa, a proposta é agregar à ocupação do espaço urbano a consciência do estar e pertencer local, como um estímulo ao espírito público e ao fortalecimento dos laços entre as famílias, fomentando os princípios de associativismo, a participação comunitária e empoderamento da comunidade, promovendo a conquista da cidadania aos moradores dos empreendimentos”, ressalta Marcos Melo Frade, diretor executivo de Desenvolvimento Social da Fundação Banco do Brasil.

As cinco tecnologias escolhidas são reconhecidas e certificadas pelo Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social e participantes do Banco de Tecnologias Sociais (BTS). São elas: “Bibliotecas Comunitárias Vaga Lume”; “Gestão Comunitária de Resíduos Orgânicos e Agricultura Urbana – Revolução dos Baldinhos”; “Produção Agroecológica de Alimentos em Meio Urbano”; “Rede Criar – Joias Sustentáveis na Ilha das Flores”.

Por meio destas tecnologias, a ideia é trabalhar, junto aos moradores atendidos pelo programa, questões como conscientização para a gestão correta dos resíduos sólidos; implantação de bibliotecas públicas para a democratização do acesso à cultura; reaproveitamento de material reciclável para a geração de renda e o incentivo da produção agroecológica com o propósito de trazer a segurança alimentar.  Além disso, o projeto pretende disseminar os princípios básicos de educação financeira para pessoas de referência da família.

 Todas as metodologias serão moldadas conforme a realidade e a escolha de cada comunidade. A primeira a ser aplicada será a “Transformando realidades por meio da mobilização e organização comunitária”.

O diretor da FBB ressalta que, essa primeira tecnologia social, tem por objetivo promover a organização comunitária uma vez que os moradores recém-chegados aos empreendimentos ainda não se conhecem. A partir da comunidade organizada, os moradores escolherão uma segunda tecnologia social a ser implantada no empreendimento.

“São tecnologias em temas diversos que permitirão à comunidade a identificação do processo que melhor atenderá aos seus anseios. Elas foram selecionadas tendo como parâmetro a possibilidade de impacto social rápido e efetivo. Esperamos que os empreendimentos habitacionais que contam com essas tecnologias sejam locais diferenciados nos quais os moradores sintam-se pertencentes à comunidade na qual estão inseridos e que possam identificar, desenvolver e implantar soluções para suas necessidades coletivas”, aponta Marcos Frade.

Como participar

Para participar da seleção, a entidade deverá comprovar experiência de, no mínimo, três anos de atuação e experiência em educação ambiental, mobilização, capacitação ou organização comunitária/social. Além disso, deverá participar de pelo menos um conselho e/ou comitê, em qualquer esfera governamental (municipal, estadual ou federal), dentre os seguintes relacionados: da Criança e do Adolescente, Educação e/ou Desenvolvimento Regional.

As entidades selecionadas terão como responsabilidade promover a implantação de tecnologias sociais nos empreendimentos por meio de atividades de capacitação, planejamento, monitoramento, avaliação e publicação das ações desenvolvidas.

As entidades interessadas podem acessar o regulamento e fazer a sua inscrição até o dia 30 de junho no site. Outras informações podem ser obtidas pelo e-mail: chamadaspublicas@fbb.org.br.