Instituto InterCement é o mais novo associado ao GIFE

O Instituto InterCement – novo associado ao GIFE – acaba de completar um ano de trabalho, mas com uma história consolidada em muitas iniciativas que visam a construção de uma sociedade mais sustentável e inclusiva. Isso porque o Instituto nasce a partir de uma trajetória de atuação social já construída durante anos entre a empresa InterCement e o Instituto Camargo Corrêa.

“Com a internacionalização da empresa e a aquisição de novas unidades, sob a orientação das lideranças, decidiu-se por criar uma estrutura de governança interna a fim de que os princípios e valores do investimento social privado – visto como parte essencial da estratégia de longo prazo da empresa nos territórios – estivesse alinhado em todos os países”, comenta Carla Duprat, diretora-executiva do Instituto InterCement. Atualmente, a empresa tem 40 plantas distribuídas em oito países de três continentes (Brasil, África do Sul, Argentina, Cabo Verde, Egito, Moçambique, Paraguai e Portugal).

Assim, o Instituto InterCement segue um modelo de governança que tem suas bases na proposta do Instituto Camargo Corrêa, como a criação do Comitê de Incentivo ao Voluntariado e Interação com a Comunidade (CIVICO), que conta com a participação de lideranças e funcionários, e o Comitê de Desenvolvimento Comunitário (CDC), um fórum voluntário com a participação de representantes dos diversos setores da comunidade, órgãos públicos, empresa etc.

“O Instituto é então esse grande articulador, que ajuda a conectar os principais parceiros locais, que alinha as ações às políticas públicas vigentes em cada país e cataliza processos de desenvolvimento, provocando os diversos setores a sentar e pensar em uma agenda comum de ação”, explica Carla, destacando que, a partir dessa história trilhada, agora a equipe pôde incorporar a forma de atuação e valores da empresa nas iniciativas.

Jair Resende, superintendente do Instituto, ressalta que os principais programas que já vinham sendo desenvolvidos – como o Infância Ideal, Futuro Ideal, Escola Ideal e Ideal Voluntário – continuam e o Instituto discute, neste momento, junto aos atores locais, a definição de foco e identificação das prioridades. “Estamos preocupados em ser mais eficazes na intervenção”, comenta.

No Infância Ideal, por exemplo, que atua com crianças de zero a seis anos, a ideia é focalizar nos primeiros mil dias, a chamada primeirríssima infância. Já no Escola Ideal, que acontece em 17 municípios nos quais a empresa está presente, o objetivo é ajudar os gestores locais a implementar os Planos Municipais de Educação, com um olhar mais direcionado à questão da alfabetização na idade certa.

Na área de juventude, o Instituto está estudando formas de escalar iniciativas para além das fronteiras do Brasil, com ações como a nova plataforma “e-crescimento”, no qual os jovens recebem mentoria de profissionais para ajudá-los a pensar em seus planos de estudo e carreira.

Uma nova iniciativa do Instituto – que traz uma reflexão sobre sustentabilidade que já faz parte das discussões no âmbito do negócio da empresa – é o Programa Geração Sustentável, que está em seu segundo ano. A ideia é desafiar os adolescentes a pensar em soluções e práticas que possam ser implementadas em suas comunidades. O tema deste ano é resíduos sólidos e as escolas participantes recebem apoio técnico e pedagógico para realizar as ações, que são inscritas num concurso anual.

A diretora-executiva destaca que, como espaço de inovação do ISP, o Instituto está buscando se aprofundar em outras áreas, como a de negócios de impacto. Para isso, fez um investimento por meio da plataforma Broota no Programa Vivenda, que busca soluções de baixo custo para a construção de moradias, algo que tem relação direta com o negócio da empresa.

“O Instituto está agora mobilizando a estrutura interna para pensarmos em como nos integrar como parte desta solução, como transformar isso numa proposta de valor da empresa. O impacto, com certeza, pode ser muito maior”, comenta, ressaltando que além do aporte de recursos, a empresa também compartilha conhecimentos em gestão e governança.

Outro eixo de atuação do Instituto é o Voluntariado, tendo como principal estratégia de engajamento o Dia do Bem Fazer que, neste ano, será no fim de agosto e envolverá os funcionários de todas as unidades da empresa.

Carla destaca ainda a chegada da organização à RedeGIFE como uma oportunidade para pensar e realizar ações conjuntas, assim como conhecer boas soluções que possam ser replicadas pelo InterCement em suas localidades.