Juventude é destaque da 31ª edição do Criança Esperança

“Os jovens são hoje a maioria de nossa pirâmide etária e também as principais vítimas da exclusão social, dos sérios problemas que ainda temos no sistema educacional, do racismo, do desemprego e da violência. O papel do Criança Esperança não é apenas arrecadar, mas principalmente chamar a atenção para estas questões que afligem a juventude do nosso país. Além disso, o jovem cada vez mais assume um papel central na mobilização e na luta por transformação social. Nada mais coerente, portanto, que convidá-los a assumir o protagonismo da campanha deste ano”, destaca Beatriz Azeredo, diretora de Responsabilidade Social da Globo.

A partir desse foco, o Criança Esperança lançou no dia 05 de junho, no Fantástico, um reality social chamado ‘Click Esperança’. Nesta ação, 15 jovens, entre 12 e 18 anos, foram convidados a produzir vídeos que mostrem como tentam mudar o mundo. Selecionados pelo site da campanha, os participantes foram divididos em times e, durante todo o reality, eles irão visitar as instituições apoiadas e participar de desafios. Até o dia 26 de junho, 12 vídeos serão apresentados. Quatro deles serão escolhidos pelos mobilizadores e, no último episódio, o público votará pelo filme vencedor, que vai fazer parte da campanha do Criança Esperança na Globo. O público também poderá votar pela internet.

Já no dia 14, em São Paulo, será promovido o debate ‘Diálogos da Esperança’, com o tema ‘Como vai você, jovem brasileiro?’. O jornalista Pedro Bial mediará a discussão, que contará com a presença dos quatro mobilizadores da campanha – Lázaro Ramos, Dira Paes, Flavio Canto e Leandra Leal -, além de Monique Evelle, que já foi eleita umas das 25 mulheres negras mais influentes no Brasil; Jéssica Tauane, uma das principais vozes jovens contra o preconceito e desmitificação do universo LGBT e André Gravatá, membro do coletivo EDUC-AÇÃO. O debate será exibido na GloboNews no dia 18 de junho.

“O Criança Esperança, assim como vários outros projetos que realizamos, visa mobilizar a sociedade para temas relevantes. Por isso, nestas oportunidades – o reality e o debate – teremos pessoas com menos de 25 anos expondo, debatendo, assistindo e respondendo pelas questões levantadas. Esperamos com isso contribuir com a discussão sobre o que é ser jovem no Brasil hoje e sobre seus pontos-chave: educação, empregabilidade, gênero, violência, racismo e engajamento social”, ressalta Beatriz Azeredo.

As doações para a campanha terão início também no dia 18 de junho. A proposta é apoiar 62 projetos de todo o Brasil, que foram selecionados pela Unesco para receberem os recursos desta edição do Criança Esperança (clique aqui para conhecer os projetos).

Além disso, nos dias 2 e 3 de julho, acontecerá o Viradão da Esperança, quando toda a programação da TV Globo irá disseminar a campanha, com vários shows, que serão entremeados por reportagens especiais e também por links de shows de artistas que farão doações ao vivo.

Impactos

Na avaliação da diretora da Globo, há muito o que comemorar com os resultados obtidos nestes 30 anos de campanha. Foram mais de R$ 300 milhões arrecadados e investidos em 5 mil projetos sociais, beneficiando mais de 4 milhões de crianças e adolescentes.

“Nenhuma outra campanha de arrecadação de fundos envolvendo um grupo de comunicação privado e agencias das Nações Unidas é tão longeva. Para além dos números, há também o fortalecimento de uma cultura de solidariedade no país e a defesa dos direitos da infância e da adolescência. Atuamos neste terreno desde 1986, acompanhando e contribuindo com os grandes avanços trazidos pela Constituição de 1988 e pelo ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). Mobilização social sempre foi o primeiro objetivo do Criança Esperança, que em sua primeira edição (1986) não pediu doações, mas divulgou ao vivo o relatório do Unicef acerca da situação da infância e adolescência no Brasil e assim chamou a atenção da sociedade para a vulnerabilidade dos nossos meninos e meninas”, ressalta Beatriz.

Além dos 45 dias de Campanha, é possível fazer também doações durante o ano inteiro, em qualquer casa lotérica do país, ou ainda, pelo site do Criança Esperança. Os recursos arrecadados são depositados diretamente na conta da Unesco, que é responsável pela seleção de projetos, por meio de edital público, realizada anualmente. Após a seleção, a Unesco monitora e faz o acompanhamento técnico e financeiro dos projetos apoiados.

Associados

Apoio institucional