Plataforma ajuda eleitores a escolherem seus candidatos a deputado federal

Com a aproximação das eleições, o assunto mais comentado é a escolha de candidatos, o que pode ser uma tarefa desafiadora se o eleitor não conhece as propostas de cada político. Esse cenário pode ficar ainda mais complicado frente às 8.489 candidaturas ao cargo de deputado federal recebidas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por exemplo.

Com a missão de ajudar na busca por informações confiáveis sobre as propostas eleitorais e, consequentemente, na escolha do deputado federal, foi lançada a VozAtiva. A plataforma, criada pela organização Dado Capital, é uma ferramenta digital que convida candidatos a deputado federal dos 26 estados e do Distrito Federal a responderem um formulário com 46 questões divididas em cinco eixos: meio ambiente, direitos humanos, integridade e transparência, nova economia e transversal.

Os eleitores, por sua vez, podem acessar a plataforma e, após identificarem o estado onde votam, recebem o convite: “Nos diga o que você defende e em oito minutos a gente apresenta candidatos alinhados com você”. A proposta é fazer um “match eleitoral”, ou seja, a partir das respostas ao mesmo formulário, a plataforma mostra ao eleitor os representantes que têm maior alinhamento às suas preferências.

A escolha dos cinco eixos relaciona-se diretamente aos interesses da Rede Advocacy, organizadora da plataforma, formada por trinta organizações da sociedade civil (OSCs) que têm como objetivo atuar de forma colaborativa para promover a participação da sociedade no processo de elaboração de políticas públicas no Brasil. O grupo, que tem um direcionamento e uma pauta estabelecida, busca entender o que candidatos a deputado federal pensam a respeito de assuntos de interesse da Rede.

Mobilização dos candidatos

Segundo Saulo Porto, diretor-presidente da Dado Capital, responsável pela gestão da plataforma juntamente com a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), uma das grandes dificuldades é conseguir os endereços de e-mail de todos os candidatos para envio dos formulários. Nesse processo de busca do endereço eletrônico, a equipe da plataforma conseguiu 65,9% dos e-mails, totalizando 5.592 candidatos. Na semana passada, o envio do questionário foi repetido pela terceira vez, com o objetivo de aumentar o número de candidatos na plataforma que atualmente é por volta de 1 mil.

A única forma de um candidato responder ao questionário é acessando o link recebido em sua caixa de entrada. Trata-se de uma estratégia que a equipe da VozAtiva encontrou para evitar que terceiros respondam o questionário usando o nome de um candidato com o objetivo de caluniar e difamar o político.  

Até o fechamento dessa matéria, candidatos de São Paulo lideravam o número de respostas na plataforma, enquanto o Piauí era o último colocado.

Outras funcionalidades

Apesar de a proposta principal da VozAtiva ser o matching eleitoral, a plataforma também conta com outras funcionalidades. Saulo destaca que uma inovação é o fato de a Rede Advocacy determinar sobre quais assuntos os candidatos falarão. “Não esperar o candidato falar sobre aquilo que ele se sente confortável é uma mudança de paradigma na política brasileira. O que queremos dizer é que nós temos a nossa pauta de interesse e queremos que os candidatos respondam questões sobre ela.”

Em breve, uma novidade será a adição do botão “Sou candidato e quero participar”, para aqueles que não estão na plataforma. Ao selecionar essa opção, o candidato fornecerá seu e-mail para que a plataforma encaminhe o questionário. Além disso, eleitores que não encontrarem seus candidatos na plataforma poderão enviar e-mails através da plataforma cobrando respostas dos deputados.

Outras ferramentas também serão acopladas ao site. Uma delas é a apresentação do histórico do comportamento de parlamentares em votações em legislaturas passadas. “Nove em cada dez deputados federais, dos 513, querem permanecer no legislativo, seja como deputado ou senador. Além disso, outros inúmeros candidatos entre os mais de oito mil que se candidataram já foram parlamentares, o que implica que participaram de votações. Nós escolhemos projetos de lei dentro dos cinco eixos temáticos para apresentar esse histórico de votações com o comportamento dos políticos”, explica Saulo.

Uma terceira ferramenta será o mapeamento do histórico eleitoral. A partir de uma parceria com o Datapedia, plataforma que coleta dados públicos, organiza e traduz a informação, será disponibilizado na VozAtiva um mapa eleitoral de qualquer pessoa que tenha sido candidata a algum cargo político no Brasil desde os anos 2000. A ideia é mostrar a quantidade de votos que um candidato recebeu em determinada eleição, em qual região recebeu mais votos, entre outras informações.  

Importância de uma ferramenta política

Inúmeras organizações são parceiras da plataforma tais como Fundação Avina, GIFE, ICE, Instituto Clima e Sociedade, Observatório do Clima, ClimaInfo, Conectas, Engajamundo, Idesam, Impact Hub, Inesc, InPacto, Cidade Escola Aprendiz, Instituto Ethos, Instituto Terroá, Sistema B, Transparência Internacional e Update Politics.

Glaucia Barros, diretora programática da Fundação Avina no Brasil, explica que a VozAtiva está diretamente ligada a dois programas da instituição: o de tecnologia para mudança social e o de inovação política. Depois de ter participado de uma ação semelhante nas eleições de 2014, Gláucia conta que a Avina começou a se mobilizar frente aos rumos que a política nacional tomou, sobretudo nos últimos três anos.

“Com graves ameaças a conquistas importantes e muitos retrocessos, nós começamos a conversar novamente com organizações que atuam em nível nacional, não visando as eleições e sim o Congresso Nacional, porque erramos ao ter concentrado durante tantos anos nossa atenção quase que exclusivamente no Poder Executivo. Nós discutimos o que poderíamos fazer juntos para fortalecer organizações que já faziam um trabalho de advocacy junto ao Legislativo.”

Avançando na linha do tempo, Gláucia conta que a Dado Capital, que já estava em um movimento de construir uma plataforma de inteligência regulatória sugeriu que, em vez de repetir o movimento de 2014 e elaborar uma carta compromisso a ser enviada a candidatos, o conteúdo desse documento poderia ser transformado em perguntas organizadas em um formulário. Surge então a VozAtiva. “Com todo esse esforço de colocar a VozAtiva no ar, nossa expectativa é que as pessoas possam refletir sobre o que compete a um deputado federal. Esse tema ainda é muito desconhecido e há muita desinformação.”

Sobre isso, a diretora afirma que a plataforma, apesar de não ter esse objetivo, pode atuar como uma ferramenta de educação política, contribuindo para que as pessoas compreendam melhor o processo eleitoral e as funções de cada político e assim sejam menos tolerantes a promessas falsas.

“Nos preocupa muito essa difamação do Poder Legislativo. Nas redes sociais, por exemplo, encontra-se muita gente falando ‘tem que fechar o Congresso, deputado só serve para roubar’. Isso é um perigo, pois a democracia precisa do Poder Legislativo. Nós somos favoráveis à democracia direta, mas também acreditamos na importância da democracia representativa. Acreditamos que elas podem estar cada vez mais próximas, sem uma excluir a outra”, explica Gláucia.

Próximos passos

Saulo e Gláucia defendem que um dos grandes diferenciais dessa ferramenta é a continuidade do trabalho a partir do uso estratégico das informações reunidas. Um dos desdobramentos da VozAtiva, previsto para 2019, é a Ágora Digital. Saulo explica que trata-se de um dashboard de gerenciamento de risco regulatório.

Para simplificar, o software fornecerá um panorama de projetos de lei em tramitação. Dividido em três colunas, a Ágora Digital terá funcionalidades para mapear projetos dentro dos cinco eixos de interesse da Rede a fim de entender o perfil de cada parlamentar e, consequentemente, suas tendências de voto, bem como a compreensão do grupo de interesse fora do parlamento que pressiona os deputados. Ainda sem data definida para o lançamento, o grupo está em fase de prospecção de apoios para realização do projeto.

Notícias relacionadas

Apoio institucional