Prêmio da Fundação SM busca revelar novos talentos da literatura infantojuvenil

 

Como uma forma de dar visibilidade a novas histórias e autores, estão abertas as inscrições para a 14ª edição do Prêmio Barco a Vapor, iniciativa da Fundação SM. No Brasil, a premiação acontece desde 2005, revelando novos autores, profissionais ou não, e aumentando as opções de leitura para crianças e jovens.

Com o nome original de Premio El Barco de Vapor, a iniciativa foi criada na Espanha em 1978 e também acontece em outros países onde o Grupo SM atua, como Chile, México, Argentina, Porto Rico, República Dominicana, Colômbia e Peru.

Podem participar da seleção pessoas de todas as nacionalidades, desde que sejam residentes no Brasil. Cada um pode inscrever até dois originais, em português, que devem se encaixar nos gêneros romance e/ou novela para crianças e jovens. Ainda, é requisito da premiação que as obras não tenham sido publicadas sob nenhum formato, seja parcial ou totalmente.

A seleção não se restringe à pessoas que nunca publicaram um livro, permitindo também a participação de autores consagrados.

Segundo Mariana Franco, gerente da Fundação SM Brasil, nas treze edições do Prêmio, o perfil dos vencedores variou entre novos talentos e escritores. Na premiação de 2017, foram recebidos 1342 originais, o que mostra uma grande motivação para a escrita literária na área infantojuvenil. “Para a Fundação SM, a medida que valoriza e dá visibilidade à literatura infantojuvenil, o Prêmio Barco a Vapor fomenta a produção literária, contribui para a qualidade desta produção, abre espaço para novos temas e abordagens e amplia as possibilidades de leitura de crianças e adolescentes”, ressalta.

A oferta de novas histórias e enredos, sobre os mais diversos temas, à crianças e adolescentes, também é um ponto de destaque. Para Mariana, a criação literária nacional é importante por, entre outras questões, possibilitar uma linguagem e um olhar contemporâneo para temas novos e antigos. “A obra vencedora do 13º Prêmio Barco a Vapor – ‘O cometa é um sol que não deu certo’ -, de Tadeu de Melo Sarmento, por exemplo, aborda o drama dos refugiados sírios, a partir da perspectiva de uma criança”, explica.

Seleção de projetos

Segundo Graziela Ribeiro dos Santos, editora executiva da Edições SM, a comissão responsável por selecionar o vencedor será composta por profissionais e especialistas em literatura, que levarão em consideração critérios como: originalidade na abordagem do tema, apuro estilístico e formal, coerência narrativa e adequação do texto ao público visado (infantil ou juvenil).

O processo de seleção acontecerá em duas etapas. Na primeira, o júri irá escolher os finalistas. A lista será divulgada até o final de junho. Vale ressaltar que, mesmo que não sejam ganhadores, os finalistas ainda poderão ser contratados pela Edições SM, que terá preferência na aquisição dos direitos autorais das obras inscritas para publicação das mesmas.

Posteriormente será escolhido um vencedor da 14ª edição. A obra será publicada com o selo da Coleção Barco a Vapor e o autor ou autora irá receber R$ 40 mil referente aos direitos autorais, além de firmar um contrato de edição de sete anos.

Todas as regras da premiação estão disponíveis no regulamento, na íntegra no site da Fundação.

Inscrições da premiação

As inscrições ficarão abertas até o dia 31 de janeiro. Vale ressaltar que a Fundação e o Grupo SM exigem o anonimato dos autores para a avaliação do júri; as obras devem ser assinadas com um pseudônimo (nome fictício); e os dados pessoais dos autores devem constar somente na ficha de inscrição.

Associados

Notícias relacionadas

Apoio institucional