Programa “Territórios em Rede” chega a Eldorado do Carajás, Bom Jesus do Tocantins, Parauapebas e Canaã dos Carajás (PA)

Equipe do “Território em Rede” visitando uma das escolas paraenses que entraram no Programa
Equipe do “Território em Rede” visitando uma das escolas paraenses que entraram no Programa

O programa “Territórios em Rede”, que atua no combate à exclusão escolar, foi ampliado em novembro para quatro novos municípios paraenses: Eldorado do Carajás, Bom Jesus do Tocantins, Parauapebas e Canaã dos Carajás. Parceria da Fundação Vale com a Cidade Escola Aprendiz e as prefeituras locais, a iniciativa está presente também no Espírito Santo e em Minas Gerais, totalizando agora 10 municípios. O projeto também conta com os parceiros investidores Wheaton Precious Metals, Komatsu e Keda nos muncipos do Pará e GHT em Serra, no Espírito Santo.

Com duração média de dois anos, o Programa faz parte da estratégia de desenvolvimento social dos municípios, que tem como foco o direito à educação. Para isso, as equipes identificam crianças e adolescentes de 4 a 17 anos que estão fora da escola ou em risco de evasão. Após a identificação, as crianças são matriculadas na escola, ou reinseridas. As equipes do Programa fazem acompanhamento para garantir que os alunos tenham a frequência regularizada. As estratégias de atuação são feitas por meio de um diagnóstico aprofundado dos desafios e na articulação entre políticas públicas de educação, assistência social, saúde e a rede de proteção à infância em geral, além de secretarias municipais.

Os números mostram o avanço do “Territórios em Rede”: em novembro, foram identificadas 358 crianças na Serra e em Marabá que precisavam de incentivo do Programa. Houve 355 visitas domiciliares e 88 contatos telefônicos. No ano, a ação registrou 2.869 crianças identificadas nos dois municípios. Além disso, de janeiro a setembro, 2.072 crianças foram inseridas no sistema educacional.

Busca ativa

A diretora executiva da Fundação Vale, Pâmella De-Cnop, lembra que a evasão escolar se tornou ainda mais desafiadora em 2020. “Tivemos um ano de medidas de distanciamento social e a suspensão das aulas presenciais. Nesse contexto, a Fundação Vale trouxe para municípios do Pará e para o Espírito Santo, o Territórios em Rede. Um projeto piloto que tem como objetivo identificar e, a partir do diagnóstico, enfrentar as causas da exclusão escolar. Tudo isso através de parcerias que envolvem o poder público e setores não governamentais. Esperamos contribuir para que jovens e crianças, em idade escolar, tenham acesso ao direito a uma educação pública e de qualidade”, destaca.

Natasha Costa, diretora da Associação Cidade Escola Aprendiz também reforça que a busca ativa escolar se converteu, no contexto da pandemia e do pós-pandemia, em uma das agendas prioritárias do direito à educação no Brasil. “Muitas crianças, adolescentes e jovens ficaram afastados das atividades escolares durante esse período e sabemos que, quanto maior o tempo de afastamento, mais frágil é o vínculo dessas crianças com a escola e mais difícil se torna a retomada”, comenta.

Apoio institucional