Rede coordenada pelo Instituto Desiderata convoca estudantes e educadores a apresentar propostas para a educação do Rio de Janeiro

O que pode melhorar e o que precisa mudar na educação com adolescentes? O que pode ser feito para os jovens serem mais felizes e aprenderem mais dentro e fora da escola? Que tal propor algo, então? Essa é a convocação que a RECA (Rede Educação Com Adolescentes) – instituída no ano passado no Rio de Janeiro, tendo o Instituto Desiderata na coordenação –, lançou para todos os estudantes, professores e gestores de escolas e organizações sociais do Rio de Janeiro.

A ideia é convidar os moradores da cidade a refletirem sobre o acham a respeito da educação com adolescentes no município, principalmente no Ensino Fundamental II, e, partir daí, elaborarem propostas de ações efetivas para a área. As conversas podem ser feitas nas escolas, nas praças, nos clubes, nas ONGs, enfim, em qualquer lugar em que as pessoas estejam dispostas a dialogar a respeito e, em seguida, transformar essa ideia em algo que possa ser compartilhado na plataforma da RECA.

Os grupos terão até o dia 31 de julho para publicarem as suas propostas no site, em algum dos temas elencados, como cultura na escola, currículo escolar, diversidade/identidades, educação inclusiva, educação integral, escola e comunidade, evasão escolar, grêmios, formação de professores, entre outros. Todos os assuntos foram definidos a partir das discussões promovidas nos encontros da RECA, que conta com cerca de 15 organizações participantes e mais de 100 educadores e alunos mobilizados.

Na plataforma, além de publicarem suas propostas, os internautas podem também comentar as outras ideias que surgiram, deixando comentários a respeito. A expectativa da RECA é conseguir mobilizar as diferentes regiões da cidade, a fim de garantir uma maior representatividade e diversidades de proposições, tendo em vista as várias realidades vividas hoje pelos adolescentes no Rio de Janeiro.

Joana Milliet, gerente de Educação do Desiderata, destaca que o principal objetivo da iniciativa é permitir que educadores e adolescentes vivenciem a experiência de participação e se engajem, cada vez mais, em questões que lhe dizem respeito. “É preciso que a escola seja também esse espaço em que as pessoas possam refletir sobre o que querem e vejam que a política pública tem que ser construída de forma coletiva”, destaca.

Todas as sugestões enviadas na plataforma serão sistematizadas em um documento a ser entregue aos candidatos à prefeitura do Rio, convidando-os também para um debate no mês de setembro, com a presença dos alunos e professores participantes, a fim de que possam apresentar suas ideias e também ouvir as propostas dos candidatos para a educação na cidade.

Segundo Joana, a ideia é que a RECA trace um planejamento para atuar de forma mais efetiva nas propostas que surgirem e monitore a aplicação das mesmas no ano que vem.

Apoio institucional