Rede Temática Leitura e Escrita de Qualidade para Todos define plano piloto de ação

Representantes de institutos e fundações participaram no dia 24 de agosto, em São Paulo, de novo encontro promovido pela Rede Temática Leitura e Escrita de Qualidade para Todos*. O grupo se reúne para discutir temáticas e possibilidades de ações conjuntas que visam fomentar o acesso à leitura e à biblioteca no país.

Dando sequência aos planejamentos pré-definidos em maio, foram apresentados os avanços nas quatro propostas de ação que os membros Rede Temática haviam discutido e aprofundado nos encontros anteriores.

Cada subgrupo expôs e discutiu as iniciativas, que abrangem o desenvolvimento e consolidação de indicadores de políticas e programas de formação de leitores, mobilização e engajamento da sociedade civil e articulação e fortalecimento de redes de bibliotecas, públicas, escolares e comunitárias. “Os grupos avançaram muito na construção das suas propostas e objetivos, desenhando com clareza os próximos passos”, conta Izabel Toro, da Editora FTD.

Os participantes foram convidados, então, a debater como cada iniciativa poderia contribuir com as demais, refletindo sobre seus pontos de convergência. Puderam também determinar os alicerces de identidade da Rede Temática, unindo esforços, conhecimentos e recursos de todas as organizações envolvidas.

Com isso, o manifesto do grupo já começa a ser definido. Ele deve apresentar de forma clara os objetivos e diretrizes centrais dos esforços em rede. Ana Carolina Velasco, gerente de Relacionamento e Articulação do GIFE, ressalta a importância do documento para definir a identidade e as premissas do trabalho, promovendo uma rede cada vez mais madura, articulada e fortalecida.

A princípio com temáticas diferentes, as discussões demonstraram que são complementares e sinérgicas. “Percebemos que se unirmos experiências, programas, metodologias e os esforços de todos, teremos um resultado mais significativo”, relata Ana Lima, cofundadora da Rede Conhecimento Social. Ela afirma que essa reunião marcou a virada entre o pensar e o fazer.

As iniciativas devem agora convergir em uma narrativa única. Os esforços serão concentrados em um plano piloto para articular e fortalecer redes de bibliotecas (públicas, escolares e comunitárias), conectando essa ação a outras iniciativas para que as organizações atuem em bibliotecas e espaços de acesso à leitura de forma eficaz e articulada.

De um esforço local e segmentado, passamos a atuar de forma global e em rede”, aponta Patricia Lacerda, gerente de Educação do Instituto C&A. Ana Carolina Velasco conta que o grupo passa agora a ter clareza de seu objetivo, com foco nos indicadores, para articulação das redes de bibliotecas e para o fundamental engajamento da sociedade civil e de empresários.

Próximos passos

Os participantes da Rede Temática traçaram planos para os próximos meses. O primeiro passo será a concretização do plano piloto de articulação das redes de bibliotecas, finalizando o planejamento e executando ações propostas. Além disso, irão estruturar o manifesto, traduzindo os objetivos e as diretrizes da Rede Temática.

Nesse próximo ciclo de trabalho, o grupo irá também avançar na proposta de criação de um fundo único, que financie as ações de forma colegiada, para a constituição dos projetos da RT. Para Patricia Lacerda, esse mecanismo de investimento promove as decisões coletivas, tirando qualquer caráter de patrocínio e engajando os participantes efetivamente como uma rede.

O próximo encontro para a continuidade da discussão está programado para o dia 21 de outubro, em São Paulo.

*O grupo é atuante desde 2012 e, atualmente, conta com algumas instituições coordenadoras, como o Instituto Ecofuturo, Editora FTD, Instituto C&A, Instituto Paulo Montenegro e Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil.