Redes Temáticas promovem diversas atividades no Congresso GIFE

As redes temáticas – ambientes de diálogo propostos e coordenados pelos associados GIFE – iniciam suas atividades do ano durante o 9º Congresso GIFE e, para isso, preparam uma série de mesas e painéis a fim de aprofundar assuntos específicos do investimento social.

“Tendo em vista a dinâmica das redes em fomentar discussões, reflexões e conversas entre os associados, sociedade civil e governo a respeito de temáticas latentes no setor, a ideia é que, estes conhecimentos possam ser levados ao Congresso, a fim de disseminá-los a um grupo maior, assim como proporcionar um ambiente de troca entre os participantes. Com isso, esperamos também engajar mais instituições nas atividades que serão promovidas pelas redes ao longo do ano”, comenta Ana Carolina Velasco, gerente de Relacionamento e Articulação do GIFE.

Uma das novidades, inclusive, é o lançamento da nova “Rede Temática de  Negócios de Impacto Social”,  que irá acontecer durante o painel: “Capital filantrópico apoiando o ecossistema de negócios de impacto: modelos inovadores de financiamento”, como parte da programação fechada do evento. 

Fabio Deboni, gerente executivo do Instituto Sabin e coordenador da Rede, ressalta que a proposta do novo grupo é mobilizar os institutos e fundações para a importância de se discutir com mais profundidade este novo tema, a fim de definir consensos e traçar caminhos para que o investimento social privado (ISP) possa contribuir com o campo emergente dos negócios de impacto.

A atividade da rede no Congresso terá a presença de diversos associados do GIFE que já atuam com este foco, como a Fundação Telefônica Vivo, Instituto Intersemente, além da mediação de Célia Cruz, diretora executiva do Instituto de Cidadania Empresarial (ICE).

As Redes de Políticas Públicas e de Saúde também terão atividades na programação oficial do Congresso. A de Saúde, por exemplo, será a organizadora do painel “Articulação intersetorial: um campo de atuação na Saúde”. O objetivo da atividade será discutir sobre as possibilidades de atuar de forma intersetorial na área de saúde, evidenciando caminhos para uma maior incidência do ISP na agenda.

Para isso, irão compor a mesa de debate um gestor público municipal, um especialista no tema e um representante de instituição que têm atuado na área. No debate, serão discutidos os desafios e potencialidades, com ênfase em oportunidades de relacionamento e parcerias entre setor público-privado e as possibilidades de inovação e melhorias de gestão no campo, que demonstram impactos relevantes em diversas dimensões.

O gerente do Instituto Sabin, que também é coordenador desta rede, destaca a relevância de um espaço como este para a Rede Temática, tendo em vista que é a primeira vez que o tema “Saúde” é discutido num Congresso GIFE. O grupo, inclusive, foi formado na última edição do Congresso, em 2014, e nestes dois anos promoveu uma série de encontros e já colhe vários resultados.

“A Rede conseguiu trazer o tema para a pauta, tirando-o da invisibilidade que tinha até então, além de gerar uma melhor compreensão a respeito junto aos investidores sociais”, comenta Fabio, ressaltando que, após o Congresso, a RT deverá identificar novos temas e focos para o trabalho em 2016.

Programação aberta

Já na programação aberta do Congresso, a Rede Temática sobre Desenvolvimento Local irá promover um debate a respeito da “Visão de retorno para o negócio e para a sociedadea partir do investimento social” e a RT de Leitura irá discutir “Políticas públicas de leitura à luz do INAF (Indicador de Alfabetismo Funcional)”. Haverá ainda uma ação a ser organizada pela Rede Temática de Garantia de Direitos.