Segunda-feira, 14 de abril de 2003

Emei privada

Será amanhã, em São Paulo, o lançamento do Projeto Casulo, uma iniciativa do Instituto de Cidadania Empresarial (ICE), integrado por cerca de 40 empresários de vários setores da economia nacional. O projeto é uma parceria entre o poder público, a iniciativa privada e a sociedade civil. O ICE construiu uma Escola Municipal de Educação Infantil e um Centro Cultural que beneficiará cerca de cinco mil pessoas. O terreno, localizado na comunidade do Real Parque, foi cedido pela Prefeitura. A prefeita Marta Suplicy participará da inauguração. (O Estado de S. Paulo, Cesar Giobi, 14/4)

Cultura contra a fome no vale

O Instituto Telemig Celular e a Federação das Indústrias de Minas Gerais criaram o projeto Tá na Mesa, que vai levar o grupo Ponto de Partida e o coral Os Meninos de Araçuaí para apresentações em todo o país. Os recursos arrecadados serão destinados ao Fome Zero nos municípios das apresentações e ao programa de Araçuaí. O programa municipal também prevê hortas coletivas e infra-estrutura para armazenar água. A prefeita de Araçuaí, Maria do Carmo, coordenadora de uma frente de 16 prefeitos do Jequitinhonha, aposta que os investimentos na cultura regional ajudará na arrecadação de recursos para o Fome Zero, além de valorizar os moradores da região. (O Globo, Bernardo de la Peña, 14/4)

Inscrições abertas para prêmio em Ensino Infantil

A Fundação Orsa, em parceria com MEC e União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), abriu inscrições para o Prêmio Qualidade na Educação Infantil, que objetiva difundir as experiências educacionais de êxito na área. Em outubro, os 27 melhores professores, diretores e instituições receberão prêmio em dinheiro (valor de R$ 3 mil). Mais informações e o regulamento da premiação encontram-se disponíveis no site www.mec.gov.br. (Correio do Povo, 14/4)

Pão de Açúcar no Fome Zero
As 500 lojas do Grupo Pão de Açúcar começam a divulgar, a partir deste mês, a campanha Coração de Açúcar de mobilização e arrecadação de donativos para o programa Fome Zero. Além da campanha, o plano de ação apresentado pelo Grupo contempla projetos de geração de empregos e renda, consultoria técnica em logística e distribuição pelos próximos quatro anos. Os próprios “”Agentes Fome Zero”” supervisionarão os postos de coleta e prestarão informações à comunidade sobre o Programa. Os clientes que desejarem fazer doações de alimentos poderão utilizar as urnas de arrecadação. Doações em dinheiro também poderão ser feitas diretamente na conta do Fome Zero, através de todos os caixas das lojas. (Diário do Nordeste, 14/4)

Capacitação

Moradores da praia de Ponta Grossa e da comunidade de Retiro grande, nos municípios de Icapuí e Fortaleza (CE) iniciaram um processo de capacitação para um trabalho de consulta popular sobre o patrimônio cultural e natural do município. Eles participarão da construção de uma proposta de um Sistema Municipal de Unidades de Conservação (SMUC). A atividade é parte do projeto Esse Mar é Meu, o primeiro projeto de Ecodesenvolvimento financiado pela Fundação O Boticário no Brasil. O objetivo é mudar as atitudes da população em relação à utilização dos recursos naturais e promover o planejamento e gestão ambiental. (Diário do Nordeste-CE, 14/4)

Projeto Pomar nas estações da CPTM

As 92 estações de trem da Grande São Paulo receberam do Projeto Pomar tratamento paisagístico. Em parceria com a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), os coordenadores do projeto plantaram centenas de mudas de jerivás, ipês-amarelos, palmeiras e outras espécies nativas da Mata Atlântica. O Projeto Pomar vai doar mudas, criar o programa paisagístico e ensinar as técnicas de plantio. Já a CPTM levantará fundos e convocará os moradores e usuários das linhas de trem para colocar o projeto em prática. (Jornal da Tarde, 14/4)

Rã-bugio 2

Os alunos da rede pública de ensino da região norte de Santa Catarina estão se familiarizando com a rica biodiversidade, sobretudo da fauna anfíbia. Isso graças ao projeto do Instituto Rã-bugio para Conservação da Biodiversidade, que tem como objetivo defender as áreas remanescentes de floresta atlântica para conservar a biodiversidade. Os recursos são da Fundação O Boticário de Proteção à Natureza, Fundação Avina e empresa WEG S.A. (A Notícia, 14/4)

Faça Parte

A Fundação Itaú Social acaba de renovar sua parceria com a Associação de Apoio ao Programa Alfabetização Solidária. Neste semestre, o Itaú Social investirá um total de R$ 204 mil em apoio ao desenvolvimento do projeto. (O Estado de S. Paulo, César Giobi, 12/4)

Empresas, fundações e institutos citados nas matérias publicadas hoje:

  • Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM
  • CSN
  • Fundação Avina
  • Fundação Itaú Social
  • Fundação O Boticário
  • Fundação Orsa
  • Grupo Pão de Açúcar
  • Instituto de Cidadania Empresarial
  • Instituto Telemig Celular
  • WEG S.A

Apoio institucional