Segunda-feira, 28 de julho de 2003

Ações que mudam vidas

Investir em ações socialmente responsáveis voltadas para acionistas, funcionários, prestadores de serviço, fornecedores, consumidores, comunidade, governo e meio ambiente é uma prática cada vez mais incorporada às estratégias de negócios das empresas. Segundo especialistas, nos últimos cinco anos as empresas brasileiras têm evoluído muito nessa área. Somente no Instituto Ethos de Responsabilidade Social, o número de associados saltou de 11 para 765 desde 1998. Já os 62 associados do GIFE (Grupo de Instituições, Fundações e Empresas) investem R$ 700 milhões por ano com investimento social, não incluindo as ações internas para funcionários e consumidores. Segundo Paulo Itacarambi, diretor executivo do Ethos, a empresa precisa investir na qualidade das relações com seus diversos públicos para se diferenciar no mercado cada vez mais competitivo. (O Povo-CE, 26/7)

Novas ferramentas vão além da filantropia

Quando se fala em responsabilidade social, a primeira idéia que surge são as conhecidas doações a entidades e comunidades carentes. No entanto, ser uma empresa socialmente responsável exige bem mais do que isso. Segundo Paulo Itacarambi, presidente do Instituto Ethos de Responsabilidade Social, as ações socialmente responsáveis precisam ter, antes de tudo, continuidade, sistematização e profissionalismo. O Instituto apresenta indicadores que ajudam a mensurar esse tipo de ação, como valores e transparência, público interno, meio ambiente, fornecedores, consumidores e clientes, comunidade e governo/sociedade. As instituições devem ainda ficar atentas a ações assistencialistas que, segundo Judi Cavalcante, diretor executivo adjunto do GIFE (Grupo de Instituições, Fundações e Empresas), não contribuem para a transformação dos sujeitos em cidadãos e são apenas uma pequena parte de ações precisam ser contínuas. (O Povo-CE, Benedito Teixeira, 26/7)

Avaliação deve ser prática empresarial

Avaliar as ações socialmente responsáveis é uma prática que as empresas devem incorporar às suas prioridades. O balanço social é uma das ferramentas mais eficientes nesse sentido. Para o coordenador do projeto Balanço Social do Ibase, Ciro Torres, a prática não tem apenas o objetivo de avaliar, mas também serve para o aperfeiçoamento de projetos e sistematização de ações. Segundo Torres, a divulgação do balanço social ainda se concentra nas empresas das regiões Sul e Sudeste. Para Paulo Itacarambi, diretor executivo do Instituto Ethos de Responsabilidade Social, ao divulgar suas ações socialmente responsáveis, as empresas devem estar cientes de que o compromisso público com a sociedade aumenta. (O Povo-CE, 26/7)

Taxa de crescimento é maior

Foi-se o tempo em que o retorno econômico das ações socialmente responsáveis das empresas ainda não podia ser mensurado. O diretor executivo adjunto do GIFE, Judi Cavalcante, afirma que o investimento privado em projetos de caráter social não é só fruto da benevolência do ser humano. Para ele, ser socialmente responsável é uma forma moderna de gerir o negócio e algo bem maior do que filantropia. O diretor explica que as relações da empresa com a sociedade, o mercado e o governo mudaram bastante e que os consumidores estão mais exigentes. Além disso, a abertura comercial, o maior fluxo de informações e a tecnologia deixaram os produtos e serviços cada vez mais competitivos, fazendo com que as empresas se diferenciem por algo mais além do negócio em si. (O Povo-CE, 26/7)

Novo salto do Mãe Canguru

Em artigo, Roberto Rivetti Suelotto, superintendente executivo da Fundação Orsa e representante nacional do Método Mãe Canguru, declara a eficácia do tratamento usado na recuperação de recém-nascidos. Suelotto afirma que existe uma lacuna de dados ou estudos mais profundos a respeito da técnica, declarando que uma parceria firmada entre a Fundação Orsa e o Ministério da Saúde proporcionará a organização de informações em maternidades do Sistema Único de Saúde (SUS) de todo o país. O objetivo é estimular uma pesquisa sobre o assunto, disseminando a metodologia e acabando com possíveis preconceitos que acompanham a técnica. O superintendente informa que foi formado um Comitê Internacional que discutirá a evolução do método em diversos países. O resultado será apresentado em novembro de 2004, quando o Brasil receberá o V Workshop Internacional Método Mãe Canguru. (Jornal de Brasília, 28/7)

Coluna Jota Ferreira

O Programa Se Liga Pernambuco, promovido pelo Instituto Ayrton Senna e o Governo do Estado, irá estender no próximo ano sua atuação a mais 70 municípios. A iniciativa busca alfabetizar alunos da rede pública em atraso com relação à idade-série e, assim, contribuir no combate ao analfabetismo no estado. (Jornal do Commercio, 28/7)

Existem experiências positivas no Rio de Janeiro e Paraná

Com o objetivo de contribuir com a inclusão digital, o Sindicato das Empresas de Informática, Telecomunicações e Automação do Ceará (Seitac) irá oferecer cursos básicos de informática a adolescentes do município de Eusébio (CE). As aulas incluirão ainda noções de cidadania, saúde, meio ambiente e mercado de trabalho. Segundo Luciana Colares, diretora de Responsabilidade Social do Seitac, a expectativa é levar o mundo da informática a 1,2 mil pessoas. (Diário do Nordeste-CE, 28/7)

Responsabilidade Social

Incentivando a inclusão social por meio da inclusão digital, o Instituto de Capacitação para Vida – ICV lança o projeto ComuniByte – Navegando no Mar da Informação. A iniciativa, que buscará promover a capacitação para jovens em áreas distintas da informática, tem por objetivo atender diretamente 240 estudantes de escolas públicas e da comunidade dos bairros cearenses de Jardim das Oliveiras, Tancredo Neves, Luciano Cavalcante e adjacências. Entre os apoiadores da ação estão o Instituto Atlântico a empresa Fortalnet. (Diário do Nordeste-CE, 28/7)

Grandes empresas dão o exemplo em Joinville

Quatro das maiores empresas de Joinville (SC) desenvolvem projetos que são exemplos a serem seguidos quando o tema é responsabilidade social. Atingindo públicos diferentes, as empresas Amanco, Embraco, Multibras e Tigre, todas gigantes em seus segmentos, desenvolvem projetos distintos e vêm colaborando com o desenvolvimento de comunidades da região. Entre as iniciativas de cada uma das empresas estão o apoio à adaptação de pessoas com deficiência, desenvolvido pela Amanco; a atuação na recuperação de dependentes químicos, desenvolvida pela Tigre; o projeto ambiental Água Nossa de Cada Dia, da Embraco; e o Consulados da Mulher, iniciativa que conta com o apoio da Multibras. (A Notícia, 28/7)

Projeto Berimbau

Lançado no último sábado (26/7), na Costa do Sauípe (BA), o programa Berimbau, que prevê a implementação de 22 projetos que visam gerar emprego e renda para 6,5 mil moradores da região. Coordenada pela Sauípe S/A, em parceria com a Fundação Banco do Brasil e Previ da Caixa Econômica, a iniciativa conta com apoio das empresas Enterasys Networks, EMC, Siemens, Cobra Tecnologia, SAS, Procomp e Cisco. O primeiro passo para a implementação do projeto foi dado com a instalação do Programa Turístico de Integração Sustentável (Proturis) que deve beneficiar cerca de sete mil pessoas da região. Segundo Thomas Humpert, diretor presidente da Sauípe S.A, com a implementação das ações será possível reduzir os efeitos da exclusão social e incutir uma mentalidade empreendedora emprestando apoio técnico e capacitação profissional. (Gazeta Mercantil, 28/7; Correio da Bahia, Perla Ribeiro; A Tarde-BA, 26/7)

Finalistas

As empresas Carrefour, DPaschoal, McDonald‘s e Pão de Açúcar se classificaram como finalistas para o I Prêmio FGV-EAESP de Responsabilidade Social no Varejo na categoria Grandes Empresas. O prêmio é concedido a programas ou ações de responsabilidade social desenvolvidos por empresas e entidades de classe do setor varejista. ( Folha de S. Paulo, 26/7)

Cartão

A empresa HiperCard está patrocinando o projeto CinEscola, iniciativa que leva a sétima arte gratuitamente a alunos de escolas públicas do Recife. O programa é viabilizado por meio do Sistema de Incentivo à Cultura (SIC) da Prefeitura do Recife e faz parte das ações do Bompreço Comunidade, braço da rede de supermercados voltado a atividades de responsabilidade social. (Diário de Pernambuco, 26/7)

Coluna Praça

A Sercomtel recebe, nesta segunda-feira, o prêmio Mário Henrique Simonsen Excelência em Balanço Social, outorgado pela Fundação Nacional de Apoio Gerencial (Funager) e a revista Brasil Rotário. A premiação foi em reconhecimento à contribuição dada pela operadora londrinense na originalidade de projetos de responsabilidade social desenvolvidos entre funcionários e na comunidade. Além da Sercomtel, recebem a premiação o Banco Bradesco, a Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais (Usiminas) e a Vega Engenharia Ambiental. (Folha de Londrina, Estelio Feldman, 26/7)

Pelo social

A empresa Unilever, por meio da campanha com o detergente em pó Omo, está apoiando o projeto Teleton 2003. A empresa vai premiar 100 crianças pela autoria de trabalhos criativos sobre a importância da campanha. Metade delas vai entregar as doações do produto a unidades da AACD em Recife, Uberlândia, Porto Alegre e São Paulo. As outras 50 irão participar da programação do Teleton, exibida no SBT, nos dias 19 e 20 de setembro. Para estimular a iniciativa, a empresa lançou uma embalagem em edição limitada, que traz a imagem do apresentador Gugu Liberato. (Hoje em Dia, 26/7)

Por uma política pública de juventude

A Fundação Kellogg, em parceria com o Instituto Aliança e empresários que coordenam as atividades do Projeto Aliança na Bahia, Ceará e Pernambuco, realizam, no período de 26 de julho a 3 de agosto, o II Seminário Itinerante. A iniciativa busca promover o intercâmbio de adolescentes e educadores, que sairão de suas microrregiões para conhecer de perto experiências em outros estados. A ação conta com o apoio do Instituto Elo Amigo (CE), do Serviço de Tecnologia Alternativa (Serta, PE) e do Instituto de Desenvolvimento Sustentável do Baixo Sul da Bahia – (Ides, BA). Como frutos do encontro, acontece, nos dias 28 e 29, em Iguatu (CE), a realização de 15 oficinas ligadas à arte e à comunicação. Já nos dias 31 de julho e 1º de agosto o município será palco do seminário Por uma Política Pública de Juventude, que buscará traçar um paralelo entre a realidade dos municípios envolvidos e despertar o sentimento de co-responsabilidade na discussão sobre políticas públicas de juventude. (O Povo-CE, Charles Alberto Barbosa de Souza, 26/7)

Rede de solidariedade é intensificada

A solidariedade é o termo recorrente na época do Natal, quando empresas e grupos organizados realizam campanhas que beneficiam comunidades carentes. Entretanto, existem instituições privadas e grupos de voluntários e entidades filantrópicas que desenvolvem ações durante todo o ano, formando uma grande rede de responsabilidade social. Entre as instituições privadas que adotam a prática social continuamente está a Empresa Paraibana de Abastecimento (Empasa), que ajuda amenizar a fome de cerca de 200 famílias de comunidades carentes da Paraíba, distribuindo refeições. Outra empresa que ganha destaque pela prática social é o Banco do Brasil, cuja atuação, por meio da Fundação Branco do Brasil, já beneficiou, em 12 anos no Estado, 1,6 mil projetos. (Correio da Paraíba , Damásio Dias, 26/7)

Empresas, fundações e institutos citados nas matérias publicadas hoje:

  • Amanco
  • Banco Bradesco
  • Cisco
  • Cobra Tecnologia
  • Embraco
  • EMC
  • Enterasys Networks
  • Fortalnet
  • Fundação Orsa
  • Gife – Grupo de Instituições, Fundações e Empresas
  • HiperCard
  • Instituto Atlântico
  • Instituto Ayrton Senna
  • Instituto Ethos de Responsabilidade Social
  • Multibras
  • Procomp
  • SAS
  • SBT
  • Sercomtel
  • Siemens
  • Tigre
  • Unilever
  • Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais (Usiminas)
  • Vega Engenharia Ambiental

  • Apoio institucional