Simpósio internacional debate políticas públicas voltadas para a Primeira Infância

Com o tema “Práticas efetivas para uma política integrada”, acontece, no dia 7 de novembro, em Fortaleza, a sétima edição do Simpósio Internacional de Desenvolvimento da Primeira Infância.

A iniciativa do Núcleo de Ciência pela Infância (NCPI) conta com o apoio dos membros Insper, da Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal (FMCSV), do Hospital Infantil Sabará, da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) e dos Centros de Desenvolvimento da Criança (Center of the Developing Child) e de Estudos Latino-americanos David Rockefeller Center (David Rockefeller Center Latin America Studies), ambos da Universidade de Harvard.

Destinado especialmente a gestores públicos das áreas de educação, saúde, assistência social, planejamento e cultura, o encontro irá reunir especialistas de diversas áreas do conhecimento para debater a elaboração de políticas públicas para crianças na primeira infância.

Segundo Roberta Rivellino, gerente de comunicação da Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal, olhar a criança sob vários pontos de vista é um dos grandes desafios do Brasil, enquanto que as desigualdades constituem o maior problema. Por isso, a sétima edição do Simpósio tem, como um dos objetivos, apoiar os gestores na complexa tarefa de promover o desenvolvimento pleno da primeira infância nos municípios. O evento pretende contribuir para o aprofundamento da reflexão sobre como trazer as crianças e as famílias para o centro das políticas públicas para o desenvolvimento infantil; como potencializar uma gestão integrada entre as diferentes secretarias do Brasil e a questão do engajamento das lideranças”.

Programação

“A criança como valor para a sociedade” é o tema de abertura do Simpósio. Daniel Becker, pediatra e professor do Instituto de Saúde Coletiva da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), e Lino de Macedo, assessor de psicologia e educação do Instituto Pensi e Hospital Infantil Sabará, ficam responsáveis pela discussão.

“A família e a criança no centro das políticas públicas e programas” é outro tema confirmado no evento. A exposição ficará a cargo de Ana Lúcia Lima, diretora da consultoria Conhecimento Social – Estratégia e Gestão; Márcia Machado, pró-Reitora de Extensão da Universidade Federal do Ceará e consultora em Desenvolvimento Infantil no IPREDE e Cristine Rosa, coordenadora de Conhecimento Aplicado da FMCSV.

O debate sobre os desafios e oportunidades na implementação da Base Nacional Comum Curricular também está previsto, e conta com a participação de Claudia Costin, diretora do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais e professora na FGV-RJ; Jennifer Guevara, pesquisadora associada do Programa de Educação do Centro de Implementación de Políticas Públicas para la Equidad y el Crecimiento e professora nas universidades Latinoamericana de Ciencias Sociales, Nacional San Martín e de San Andrés, e Fabio Takahashi, editor da Folha de São Paulo.

Outros tópicos como a liderança para o impacto coletivo também têm espaço reservado na agenda. A programação completa do evento está disponível nesse link.

Roberta Rivellino defende que, reunir esses atores para discussão é um passo importante frente ao cenário de crise econômica e política do país, responsável por impactar as transferências federais para estados e municípios e reduzir a disponibilidade de recursos para políticas públicas descentralizadas e investimentos municipais. “Nessa situação, o exercício do trabalho integrado entre diferentes setores e o fomento de parcerias (com os poderes legislativo e judiciário, universidades, sociedade civil, setor privado) pode ser uma boa solução e torna-se cada vez mais necessários”.

Simpósio satélite e Transmissão online

Aqueles que desejam participar da discussão podem acompanhar a transmissão online do evento. Para isso, é necessário se cadastrar aqui. No dia do Simpósio, os participantes poderão enviar perguntas aos palestrantes.

Já as organizações que pretendem reunir um grupo de pessoas para acompanhar o evento pela internet podem organizar um “Simpósio satélite”. Para isso, é preciso realizar o cadastramento no site, além de ter acesso a um computador, tablet ou smartphone, e uma conexão estável de internet de no mínimo 5 Mb de acesso.

Neste link está disponível um manual para organizações que desejam organizar esses eventos independentes.

O guia traz ainda sugestões de chamadas para divulgação do Simpósio satélite em redes sociais, sugestões de perguntas para discussão dos conteúdos das mesas de debate, assim como o uso de hashtags para enviar perguntas na transmissão que será realizada no Youtube. A FMCSV também disponibiliza sete dicas para organizar um evento independente (veja como).

Algumas das organizações que irão transmitir o simpósio para convidados são: Secretaria Estadual de Saúde do Amapá, Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal, Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul, Faculdade Estácio do Amazonas, Secretaria Municipal de Educação de Santos – SP, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e Secretaria Municipal de Educação de Redenção – CE.

Related news

Apoio institucional