Terça-feira, 17 de julho de 2001

Por: GIFE| Notícias| 17/07/2001

Alcoa Foundation vai exportar sua experiência de Terceiro Setor no Brasil

A Alcoa Foundation, organização social da Alcoa, maior produtora mundial de alumínio, vai levar para suas unidades ao redor do mundo o sistema de participação de funcionários da empresa em projetos sociais apoiados pela mesma. Um dos requisitos para que um projeto social consiga verbas da empresa no Brasil é a participação ativa de funcionários da empresa. Com isso, cerca de 10% dos 7 mil empregados da empresa são voluntários em obras sociais. No ano passado, foram investidos US$ 2 milhões em projetos sociais no país, valor que deve se repetir este ano. No mundo, a Alcoa Foundation investiu US$ 21,1 milhões em 2000, atendendo cerca de 2 mil projetos. Além de receber mais verbas da fundação, o Brasil também é o único que tem um instituto. A meta da criação da organização, que atua com orçamento repassado pela fundação, foi agilizar o processo de aprovação e implantação dos projetos. Mundialmente, a fundação atua em cinco áreas: preservação do meio ambiente; educação global em negócios, engenharia e tecnologia; capacitação da força de trabalho; parceria entre a sociedade e a empresa para o fomento de pequenos negócios na comunidade; e saúde infantil. (Valor Econômico, p. B2, 17/7 – Marcelo Lojudice)

O crescimento da dívida social

Em artigo, Luiz Carlos Merege, coordenador do curso de Administração para Organizações do Terceiro Setor e do Centro de Estudos do Terceiro Setor-CETS da FGV/EAESP, afirma que finalmente temos notícias sobre a dívida social. O articulista se refere aos dados recém-divulgados pela Fundação Getulio Vargas, que indica que cerca de 50 milhões de brasileiros vivem em condições de pobreza e os resultados da pesquisa a respeito do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), que indica uma melhora na classificação do Brasil no ranking da ONU. Segundo Merege, embora existam diferenças metodológicas entre a pesquisa da FGV e a da ONU, não há dúvida de que o modelo brasileiro colaborou para o aumento da exclusão social. O Brasil tem privilegiado as metas puramente econômicas, colocando o controle inflacionário como prioridade número um das políticas públicas e mesmo da política econômica. Para o articulista, as iniciativas que têm como objetivo a melhoria da qualidade de vida devem ser transformadas em prioridades de política pública. Merege afirma que está na hora de colocar a política pública de ponta cabeça, isto é, priorizar o social por meio de uma estratégia que una governo, empresas e o terceiro setor no compromisso de atingir metas sociais específicas que resultem na redução da pobreza. Com a proximidade das eleições presidencias teremos uma rara oportunidade de exigir que os programas a serem propostos invertam a perversa lógica puramente econômica que prevaleceu nos últimos anos, afirma. (Valor Econômico, p. B2, 17/7)

Escola que Vale ganha prêmio
< br>A Fundação Vale do Rio Doce foi uma das cinco empresas vencedoras do Prêmio Eco 2001, concedido pela Câmara Americana de Comércio de São Paulo. A Vale foi vencedora na categoria educação com o programa Escola que Vale. O projeto beneficia mais de 700 alunos e 40 professores de cinco escolas de Minas Gerais. O 19º Prêmio Eco foi disputado por 96 empresas. (O Tempo-MG, p. Economia 14, 16/7)

Projeto é uma preocupação de empresários

As entidades empresariais brasileiras não estão mais voltadas apenas para a defesa dos interesses das classes que representam. É crescente a sua preocupação social, o que resulta em misturas originais e criativas de metas de produtividade com práticas de boa conduta. Essa é a principal conclusão de um estudo feito por quatro professores do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que entrevistaram 66 organizações empresariais em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Ceará. (Meio Norte-PI, 17/6)

Seminário Estadual Desenvolvimento Social nas Empresas

Está prevista para o dia 23/8, no Parthenon Swan Tower Flat Residence, em Novo Hamburgo-RS, a realização do Seminário Estadual Desenvolvimento da Responsabilidade Social nas Empresas. Unir 400 participantes e ter como público-alvo prioritário empresários, diretores, gerentes e profissionais ligados a área do terceiro setor é o objetivo desse evento que ocorrerá em parceria com a ACINH/CB, Comitê Regional da Qualidade e Grão Social, e com a chancela da Unesco. O seminário tem o intuito de convocar, sensibilizar e mobilizar empresários e organizações empresariais da região a participarem ativamente em sua comunidade. O foco do evento é o envolvimento direto do setor empresarial na busca de soluções para os problemas sociais do estado. Inscrições e mais informações podem ser obtidas por meio do telefone (51) 594 4044 ramal 2964 ou pelo e-mail [email protected] (Fundação Semear)

Concurso criação do troféu Itaú

A Fundação Itaú Social acaba de criar um concurso para artistas plásticos: 300 integrantes do programa Rumos Itaú Cultural Artes Visuais poderão concorrer na criação do troféu a ser entregue aos vencedores do Prêmio Itaú-Unicef – Educação e Participação 2001. O objetivo é incentivar esses artistas, ainda pouco conhecidos do público em geral. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas entre os dias 16 e 31/7. O autor do troféu vencedor receberá R$ 5 mil. (Diário da Amazônia-RO, p. A-8, 15/7)

Empresas, fundações e institutos citados nas matérias publicadas hoje:

  • Alcoa
  • Alcoa Foundation
  • Fundação Itaú Social
  • Fundação Semear
  • Fundação Vale do Rio Doce
  • Associe-se!

    Participe de um ambiente qualificado de articulação, aprendizado e construção de parcerias.

    Apoio institucional