Virada Sustentável oferece mais de 760 atividades em toda a cidade de São Paulo

Que tal aprender a como montar uma horta na cidade? Ou quem sabe assistir e debater sobre um filme que mostra a importância da primeira infância? E se a proposta for uma palestra sobre alimentação orgânica? Essas são algumas das mais de 760 atividades irão movimentar a sexta edição da Virada Sustentável. O evento que será promovido na cidade de São Paulo, de 25 a 28 de agosto.

Dezenas de espaços da cidade, como parques, museus, praças e escolas irão receber exposições, rodas de conversa, peças de teatro, passeios, corridas, seminários, workshops etc. As ações serão organizadas por coletivos, organizações da sociedade civil, universidades, prefeitura, entre outras instituições.

André Palhano, organizador da Virada Sustentável, destaca que a ideia é, a partir de uma abordagem lúdica, alegre e inspiradora, trazer à tona os diferentes temas e princípios da sustentabilidade. Água, biodiversidade, mudanças climáticas, mobilidade urbana, cultura de paz, segurança alimentar e erradicação da pobreza são alguns dos temas.

“Nos incomodava a percepção equivocada e parcial das pessoas sobre a sustentabilidade. Ela muitas vezes se restringe apenas ao lado ambiental. Por isso, a proposta do evento é justamente ampliar a informação sobre sustentabilidade para a população, de uma maneira mais sedutora e atrativa”, destaca.

O evento, a cada ano, ganha mais adeptos propondo ações no tema. Em 2015, foram mais de 1 milhão de participantes. Para o organizador da iniciativa, esta grande mobilização na cidade para o tema é resultado de um intenso trabalho que já vem sendo realizado por grupos e movimentos atuantes em São Paulo.

“A Virada se transformou num grande catalisador de iniciativas transformadoras que já estão mudando a cara da cidade. Isso sem falar nos outros resultados que surgiram, como interações e conexões que os grupos e movimentos criaram a partir deste encontro na Virada. Muitos passaram a trocar experiências e propor novos projetos colaborativos”, ressalta André.

A novidade deste ano é que todas as iniciativas propostas terão como base os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS); definidos pela Organização das Nações Unidas, a ONU. Os ODS são uma agenda global que traz um norte para o desenvolvimento da sociedade de forma sustentável para os próximos 15 anos.

O Instituto Alana, por exemplo, – um dos apoiadores da Virada há quatro anos -, irá promover várias atividades gratuitas desenvolvidas por seus projetos. Elas acontecerão em diferentes pontos da cidade durante os quatro dias do evento (veja mais detalhes abaixo).

Na avaliação de Carolina Pasquali, diretora de Comunicação do Alana, a Virada Sustentável é uma ótima oportunidade para potencializar conversas e incentivar a apropriação dos espaços da cidade de uma maneira criativa e sustentável. Tanto é que, neste ano, o Instituto decidiu dar um espaço maior para as exibições e debates sobre os filmes, a fim de ampliar as discussões em torno das temáticas abordadas nas produções.

O filme “O Começo da Vida”, por exemplo, tem sido sucesso absoluto. Só por meio da plataforma VIDEOCAMP, já foram realizadas mais de 5500 exibições atingindo 135 mil pessoas. A produção está sendo disseminada mundialmente, com o apoio do Unicef, com exibições em vários países, como Indonésia, Canadá, Portugal, Espanha, entre outros.

Novos territórios

A iniciativa que começou em São Paulo já conquistou outros territórios pelo país. Em 2015, foi promovida a primeira Virada Sustentável em Manaus, por exemplo, e, neste ano, chegou também à Porto Alegre. Para ajudar no processo de implementação desta tecnologia social em outros espaços, o grupo de São Paulo elaborou um manual que apresenta dicas de como organizar um evento sustentável.

Em Manaus, a Virada Sustentável é promovida pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS).  A segunda edição movimentou a cidade em julho. Participaram do evento aproximadamente 400 voluntários. Ao longo dos dias, foram promovidas atividades em sete circuitos temáticos: musical, criativo, colaborativo, zen, criança, debate e saúde. Ao todo, foram mais de 200 atividades, todas gratuitas. Entre as ações, foi realizada uma arrecadação de livros e material escolar para serem doados a escolas localizadas em comunidades ribeirinhas nas Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) em que a FAS atua.

Já a capital gaúcha, além de promover a Virada, decidiu criar o “Prêmio Boas Ideias de Sustentabilidade”. Seu objetivo foi de reconhecer iniciativas de destaque pró-sustentabilidade, nas áreas de educação, cultura e comunicação; empreendedorismo em produtos, processos e serviços; ações ambientais de proteção, preservação e recuperação; e projeto técnico multidisciplinar.

Entre os critérios de avaliação das iniciativas estiveram: a integração nos âmbitos social, ambiental e econômico; o caráter inovador; a abrangência; o nível de impacto na população; a concretude; a viabilidade e o caráter colaborativo.

Participe

Confira abaixo as ações que serão promovidas pelo Alana:

No primeiro dia, Antonio Lovato, do projeto ‘Escolas Transformadoras’, corealizado pela Ashoka e Instituto Alana, participa do ContAí. Serão breves rodas de conversas seguidas de interação com o público, das 17h às 18h, na Unibes. Na sequência, Estela Renner, diretora do filme ‘O Começo da Vida’, representa a Maria Farinha Filmes, parceria do Instituto Alana, no debate ‘Cinema: Luzes, câmera, mudança!’. Já No dia 26, Renata Meirelles, diretora do documentário ‘Território do Brincar’, participa do seminário ‘Se essa rua fosse minha’ ao lado de outros educadores na UMAPAZ. Será no Parque do Ibirapuera, a partir das 9h.

Por meio da plataforma VIDEOCAMP, serão exibidos os filmes ‘O Começo da Vida’ (25/08 às 15h; 27/08 às 16h e 28/08 às 16h) e ‘Muito Além do Peso’ (26/08 às 15h; 27/08 às 14h e 28/08 às 14h), na Biblioteca Villa Lobos, em Pinheiros. Ainda no bairro, o Quitanda, em sua primeira participação na Virada, também realiza, no dia 28, apresentações de três filmes da Maria Farinha Filmes: ‘O Começo da Vida’, às 11h; Muito Além do Peso, às 13h; e Tarja Branca, às 15h. Para participar da programação no Quitanda, é preciso se inscrever trinta minutos antes da atividade.

Ainda na programação do VIDEOCAMP, quatro unidades da ‘Fábrica de Cultura’ apresentam sessões do filme ‘A batalha do Passinho’, uma parceria da plataforma com o diretor Emílio Domingos. As exibições acontecem no Jaçanã (24/08, às 10h), Brasilândia (26/08, às 10h); Jardim São Luís (28/08, às 15h) e Vila Nova Cachoeirinha (28/08, às 19h).

Está prevista também a realização de duas feiras de trocas de brinquedos, organizadas pelas escolas CEU Pêra Marmelo nos dias 25 e 26 de agosto, das 10h às 16h (Rua Pêra Marmelo, 226 – Jaraguá); e Garatuja Educação Infantil, no dia 27 de agosto, das 10 às 14h (Rua Campevas, 432, Perdizes).