Evento em São Paulo debate como envolver governos e empresas na formação de cidades inteligentes

Nos dias 4 e 5 de setembro, o Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo, será palco do Connected Smart Cities, evento que debaterá cidades humanas, inteligentes e sustentáveis.

Visando a troca de ideias e informações entre governos e empresas, o evento destina-se a prefeituras, secretarias, gestores públicos federais, estaduais e municipais, empresários, engenheiros, arquitetos, urbanistas, advogados, consultores, planejadores, universidades, startups, investidores, construtoras, fundos de investimentos, bancos financiadores e demais atores que estejam comprometidos com o desenvolvimento de cidades inteligentes.

Nesse sentido, uma das questões que guiará o evento é como envolver esses atores para encontrar o DNA de inovação e melhorias a fim de possibilitar a formação de cidades mais inteligentes e conectadas umas com as outras, independente de seus portes e tamanhos. Com reuniões, palestras, e espaços para networking, a ideia do encontro é, desde 2015, promover o desenvolvimento da cidade, para que elas atinjam um novo patamar na escala de desenvolvimento nos próximos dez anos.

Para isso, serão abordados os temas: urbanismo sustentável nas cidades, mobilidade e acessibilidade, cidades conectadas, cidades participativas, cidades prósperas, cidades resilientes e cidades empreendedoras, cada um com seus próprios eixos temáticos.

Programação

A manhã do primeiro dia de programação ficará reservada à apresentação do “Ranking Connected Smart Cities 2018”. A lista organiza as cidades mais inteligentes e com maior potencial de desenvolvimento no Brasil, de acordo com indicadores desenvolvidos pela consultoria Urban Systems.

Em seguida, acontecem simultaneamente palestras em quatro palcos diferentes – Morumbi, Penha, Lapa e Santana – e workshops. Sob o tema “Cidades participativas e engajadas”, os painéis do palco Morumbi, por exemplo, terão os temas “Cultura de participação nas cidades: governança proativa para a criação de cidades participativas” e “Novos paradigmas na gestão pública”.

No mesmo dia, o palco Lapa abordará “Cidades humanas, resilientes e inclusivas” sob o enfoque dos painéis “Políticas públicas para o desenvolvimento de cidades inclusivas e humanas” e “A cidade para todos os cidadãos”.

Os workshops também fomentarão debates diversos como iluminação pública, segurança cibernética, estratégias de smart cities e sustentabilidade em comunidades planejadas, mobilidade urbana no Brasil, entre outros.

As inscrições podem ser realizadas até 3 de setembro no site do evento. Para participar de um dos dias, o investimento é de R$ 600, enquanto a experiência nos dois dias tem o valor de R$ 1.200. Organizações públicas, universidades e consulados têm 50% de desconto na inscrição, enquanto grupos de cinco a dez pessoas têm 8% e grupos a partir de onze pessoas contam com 15%.

Notícias relacionadas

Apoio institucional