Investimento familiar em desenvolvimento territorial e comunitário

No estudo Tendências na atuação da Filantropia Familiar do National Center for Family Philanthropy (NCFP – Centro Nacional para Filantropia Familiar), lançado em 2015, as questões relacionadas com atuação de base comunitária e local foram identificadas como uma das tendências mais críticas que afetam a filantropia familiar americana. A classificação de atuação de base local refere-se aos doadores e suas fundações/fundos que estão comprometidos com uma região geográfica específica (seja uma cidade, município, região ou estado). Por isso, ao longo de 2018, o NCFP iniciou um novo estudo a partir de entrevistas em profundidade com a intenção de se aprofundar especificamente nesse âmbito. O relatório de conclusões do estudo será lançado no início de 2019, mas as principais descobertas foram também compartilhadas no Simpósio do 20º aniversário do NCFP. A seguir, Ginny Espositio, presidente do NCFP, nos conta em primeira mão algumas das principais constatações das entrevistas, muitas delas realizadas por ela mesma.

O desafio do compromisso com o local ao longo das gerações

Muitos fatores influenciam o compromisso de um doador com uma localidade/região ao longo do tempo: a dispersão da família – se há membros da família que ainda vivem no local de origem da família ou não, a passagem e transformação da filantropia pelas gerações que podem ou não ter conhecimento ou conexão com o local de origem, a falta de foco que une a família por trás de um problema ou causa, a falta de capacidade de medir o impacto em uma área específica, etc.

Aquelas famílias/fundações familiares que estão conseguindo executar um programa de doação, de forma continuada, por gerações, estão avançando em principalmente três áreas:

  • Programas: estão encontrando áreas de interesse dentro da área geográfica para focar-se (por exemplo, desenvolvimento econômico, primeira infância, etc.)
  • Governança: estão construindo um conselho capaz de se comprometer com o local e adquirindo as habilidades e os conhecimentos necessários para serem eficazes (por exemplo, incluindo membros do conselho que sejam lideranças locais ou de outros grupos não-familiares, como especialistas nas temáticas foco)
  • Treinamento da próxima geração: estão treinando as gerações mais jovens de forma a inspirá-las e motivá-las para doar para uma determinada região e para ampliar o legado e o comprometimento da família com a localidade.

As famílias relatam grandes vantagens ao manter um foco baseado no local. Isso inclui conhecer bem a região, desenvolver relacionamentos duradouros e confiáveis com organizações sem fins lucrativos, líderes comunitários, empresas e com a comunidade em geral, o poder de convocar e manter parcerias sólidas e a possibilidade de liderar processos de mediações de problemas estruturais, que podem levar muitos anos para acontecer.

Mais sobre as análises, desafios, oportunidades e soluções identificados a partir do estudo estarão disponíveis no relatório de pesquisa, Pride of Place: A Study of Giving Families and their Hometown Commitment  (Orgulho do lugar: um estudo sobre famílias doadoras e seu compromisso com o local de origem).

Ginny Esposito

Virginia Esposito é a fundadora e presidente do National Center for Family Philanthropy. Há 35 anos, Ginny trabalha para promover a filantropia privada por meio de pesquisa e educação. Nos últimos 25 anos, ela se focou no universo filantrópico familiar, promovendo valores, visão e excelência de diferentes gerações de famílias doadoras.

Notícias relacionadas

Apoio institucional