Ipea lança nova versão da plataforma sobre vulnerabilidade social

O Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) lançou uma nova versão do Atlas de Vulnerabilidade Social (AVS). Trata-se de uma plataforma digital que mostra dados sobre vulnerabilidade e exclusões sociais, mapeados a partir de levantamentos realizados em 5.565 municípios, 27 Unidades da Federação (UFs), 20 Regiões Metropolitanas (RMs) e suas Unidades de Desenvolvimento Humano (UDHs).

Em linhas gerais, o Índice de Vulnerabilidade Social (IVS) é calculado a partir de uma média entre os subíndices: IVS infraestrutura urbana, IVS capital humano e IVS renda de trabalho. Enquanto a primeira versão da plataforma, lançada em 2015, tomou como base os dados dos censos 2000 e 2010 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a segunda versão, além de contar com melhorias na plataforma, apresenta informações retiradas da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio), realizada entre os censos. Outra novidade é a possibilidade de pesquisar informações dos censos e das PNADs desagregadas por sexo, cor e situação de domicílio (rural e urbano).

A navegação pela plataforma é intuitiva. Na home, é possível escolher o modo de visualização dos dados que serão pesquisados: em planilha ou em mapa.

Na opção planilha, a plataforma oferece várias opções de pesquisa. É possível escolher a territorialidade a ser consultada (Brasil, macrorregião, Unidade da Federação, região metropolitana, município ou unidades de desenvolvimento humano); os índices (IVS ou IDHM – Índice de Desenvolvimento Humano Municipal); as dimensões e indicadores (IVS infraestrutura urbana, IVS capital humano, IVS renda e trabalho, dimensões IDHM, IDHM longevidade, IDHM educação e IDHM renda); outros indicadores (prosperidade social, demografia e população de referência, infraestrutura urbana, capital humano, renda e trabalho) e os desagregadores (cor, sexo ou situação de domicílio).

Em seguida à elaboração da planilha pelo sistema, ainda é possível ordenar os dados e filtrá-los, além de fazer o download.

Se a opção for pela visualização em mapa, a pesquisa oferece as seguintes possibilidades: territorialidade (Brasil, estado e regiões metropolitanas); camada (estado, região metropolitana, município, regional e UDH), índices (IVS, IDHM ou outros indicadores) e ano (2000 ou 2010). É possível também fazer a consulta sobre uma das nove regiões metropolitanas disponíveis (Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba e Porto Alegre) ou sobre a RIDE do DF (Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno).

Outras funcionalidades ainda estão disponíveis na plataforma, como o download de todas as bases de dados na biblioteca, acesso à notícias sobre a plataforma e sobre o tema vulnerabilidade social e a opção de cadastrar e-mail para recebimento de boletim com novidades.

Contato

Para o caso de eventuais dúvidas, está disponível um canal de comunicação (acesse aqui) no site do Altas.

Notícias relacionadas

Apoio institucional