Mapa Democracia Sim! reúne mais de 300 organizações e iniciativas em defesa da democracia no Brasil

Segundo a pesquisa A Cara da Democracia, divulgada pelo Instituto da Democracia e da Democratização da Comunicação, cresceu o índice de brasileiros que concordam que a democracia é preferível a qualquer outra forma de governo: de 56,2% para 64,8%. O mesmo caminho é apontado por um estudo do Pew Research Center, que indica queda na insatisfação da população brasileira para com a democracia (de 83% em 2018 para 56% em 2020). 

Reunir mais de 300 iniciativas em uma plataforma online com o objetivo de retratar como a sociedade civil brasileira se organiza e conduz ações em defesa da democracia e de suas múltiplas agendas é a proposta do Mapa Democracia Sim!

Lançada no dia 15 de setembro, data em que se comemora o Dia Internacional da Democracia, a ferramenta é uma ideia do Pacto pela Democracia, iniciativa da sociedade civil formada por organizações, movimentos e demais interessados na defesa e aprimoramento da vida política e democrática no Brasil. 

Giovanna Preti, da secretaria-executiva do Pacto pela Democracia, explica que, além de compilar os projetos e organizações que atuam pela democracia brasileira, o objetivo do Mapa também engloba a facilitação do engajamento dos cidadãos interessados em contribuir nas diversas agendas da polí­tica nacional, reunindo em um só lugar as diferentes estratégias utilizadas para o fortalecimento e reafirmação do campo democrático. 

“Criamos o Mapa Democracia Sim! pensando que estamos em um momento em que é importante visualizarmos melhor o ecossistema democrático da sociedade civil brasileira, que segue articulada e ativa na defesa e revigoramento da democracia”, afirma. 

A plataforma 

Para facilitar a navegação na plataforma, as duas abas – iniciativas e organizações – foram divididas em quatro macrocategorias. Cultura democrática abarca iniciativas que, de alguma forma, conversam com estímulo ao diálogo e pluralismo, promoção da diversidade e combate à discriminação e educação política. Já na aba Defesa de Liberdades e Instituições Democráticas estão reunidas ações de proteção de ativistas e sociedade civil, monitoramento de fundamentos e instituições democráticas e advocacy e incidência política. 

A categoria Inovação Política e Revigoramento Democrático dialoga com o aperfeiçoamento de sistema político, formulação de políticas públicas, transparência e controle social e formação de atores políticos e lideranças públicas. Por fim, em Comunicação e Esfera Pública, é possível consultar iniciativas relacionadas a mobilização e engajamento, novos modelos de produção e checagem de conteúdos e qualificação do debate público. 

Além dessas subdivisões, também é possível, na aba das iniciativas, filtrar o resultado da busca de acordo com o tipo de ação a ser consultada: rankings, agenda, bot (diminutivo da palavra robot, robô em tradução livre, designada para ferramentas automatizadas na internet), monitoramento, jogos, aplicativos, campanhas, eventos, pesquisas, conteúdos, mapeamentos e formações.  

Ao selecionar a aba iniciativas e o filtro bot, por exemplo, são apresentados cinco robôs com as mais variadas propostas: alertar sobre as principais pautas relacionadas à causa feminista, checar a veracidade de notícias, identificar o próprio funcionamento de outros bots na internet, monitorar processos parados no Supremo Tribunal Federal (STF) e até mesmo auditar contas públicas. 

Para Giovanna, apesar de as quatro macrocategorias serem essenciais para a democracia, o campo da Esfera Pública merece atenção especial, principalmente ao considerar a complexidade de se trabalhar com o tema hoje devido à polarização do debate e da arena pública. 

Temáticas 

Em um universo de 300 iniciativas, somado à amplitude de temas abarcados no guarda-chuva da democracia, são muitos os assuntos e vertentes mapeados pela plataforma. Campanhas contra a censura, estratégias para a área de segurança pública e justiça criminal, verificação de se partidos apoiam candidatas mulheres, estudo sobre impacto dos perfis não humanos em redes sociais em eleições, estímulo de técnicas de ações criativas e não violentas e fiscalização de obras em escolas e creches públicas são apenas algumas das inúmeras ações listadas. 

“Temos uma série de organizações, coletivos e movimentos, como Alma Preta, Conectas, Bancada Ativista, Instituto Atuação, #VoteLGBT, Livres e CLP, que têm tamanhos, pautas e natureza de trabalho extremamente diferentes, mas que, em comum, atuam pelo fortalecimento da agenda democrática”, reforça Giovanna. 

A diversidade de agendas contribui para a compreensão de que a democracia é um campo vasto e que todos os cidadãos podem encontrar temáticas às quais se identificam e defendem. 

Por que falar de democracia? 

Apesar dos bons resultados apresentados no começo desse texto, a maioria dos brasileiros ainda se mostra descontente com a democracia. As crises políticas e econômicas vividas pelo país nos últimos anos contribuem para minar a confiança da população em instituições públicas, políticos e até mesmo em organizações da sociedade civil (OSCs). 

Para Giovanna, além de inúmeras publicações e projetos que alertam para as fragilidades e falta de confiança no sistema democrático, o fato de ser possível montar uma plataforma com mais de 300 iniciativas que trabalham pela defesa da democracia é um indicativo de que são necessários esforços nessa agenda. 

É por isso que o trabalho de OSCs e organizações não governamentais (ONGs) é tão importante. Giovanna defende que as ações dessas instituições nas mais diferentes frentes com o objetivo de melhorar a qualidade de vida da população é mais uma forma de garantir a existência de uma sociedade civil plural, participativa e autônoma, essencial para a qualidade da democracia. “Acredito que o Mapa pode colaborar para mudar a percepção que foi construída acerca de organizações da sociedade civil, justamente porque traz visibilidade a quem elas são, a seus projetos e a como contribuem efetivamente com a transformação da sociedade.” 

Da mesma forma, a representante do Pacto pela Democracia reforça a importância de todos os setores da sociedade participarem da defesa do campo democrático brasileiro. Para ela, o investimento social privado (ISP) pode participar, trocar saberes e investir na realização de parcerias com organizações e coletivos que já trabalham com essa agenda. 

Participe 

Apesar de já estar no ar, o Mapa Democracia Sim! é uma ferramenta em construção. O rodapé do site conta com um campo para envio de iniciativas que ainda não estão listadas. Participe

Saiba mais

O site da 1ª Mostra GIFE de Inovação Social reúne mais de 300 contribuições geradas ou impulsionadas pela filantropia, pelo investimento social privado e pela sociedade civil no país, que se somam ao repertório de soluções para os desafios sociais e ambientais. Acesse aqui.

Related news

Apoio institucional