Primeiro infográfico derivado do Censo GIFE 2018 aborda a diversidade das instituições no investimento social privado brasileiro

Nos últimos anos, o Censo GIFE, uma das principais pesquisas sobre o investimento social privado (ISP) no Brasil realizada bienalmente desde 2001, vem sofrendo um processo de modernização com a criação de novos produtos a partir do documento principal. 

Segundo Graziela Santiago, coordenadora de conhecimento do GIFE e do Censo GIFE, a decisão por modernizar e diversificar as formas de apresentação dos dados recolhidos tem sido incorporada desde o Censo GIFE 2016, quando a organização deu início a um processo de reflexão sobre as formas de tornar os dados mais acessíveis e palatáveis, incentivando que sejam utilizados em processos de tomada de decisão de investidores sociais, organizações da sociedade civil (OSCs), poder público, pesquisadores e demais interessados.

“Tentamos pensar a publicação do Censo de uma forma mais objetiva, agradável e interessante visualmente para facilitar a leitura dos dados. Os infográficos fazem parte desse processo. A partir de uma forma mais atrativa e visual, queremos passar algumas mensagens-chaves que identificamos em temáticas específicas. O GIFE entende que essas temáticas são importantes para promover um processo de qualificação e aprimoramento do campo do investimento social privado, trabalhando diversificação e qualificação de ações, conexão dos atores entre si e com a agenda pública, construção cidadã e outros temas”, explica a coordenadora.

Para Graziela, os infográficos estão mais dinâmicos e atrativos, permitindo que, a partir da interação e cliques nos gráficos, a apresentação dos dados fique mais leve e o cruzamento de informações nas leituras temáticas mais simples.

Natureza das organizações 

O tema escolhido para dar início à divulgação dos infográficos referentes ao Censo GIFE 2018 foi Diversidade no Campo do ISP. Os dados, utilizados em gráficos animados, ajudam a contar sobre os diferentes tipos de organizações, localização, porte, formas e estratégias de atuação. 

Das 133 organizações respondentes do Censo 2018, 65% são institutos e fundações empresariais e empresas. Os institutos e fundações familiares correspondem a 22% – um crescimento de 14 pontos em comparação com os dados de 2008 -, enquanto a menor taxa, 13%, fica com institutos e fundações independentes. 

Atuação geográfica 

Outro dado importante apresentado pelo Censo e representado no infográfico é a diversidade de territórios onde os projetos e ações acontecem. Apesar de um certo grau de disseminação das atuações, as regiões Sudeste e Nordeste apresentam os maiores índices, com 71 e 46%, respectivamente. Quando o assunto é localização dos respondentes, a grande maioria, 86%, está concentrada no Sudeste, enquanto Nordeste, Sul e Centro-Oeste contam com 5%, e o Norte com apenas 1% dos investidores. 

Analisando mais a fundo a concentração de organizações no Sudeste, São Paulo é o estado que concentra a maioria dos 86%, com 74% das organizações. Apesar do alto índice, houve uma diminuição, em comparação com os dados de 2016, quando 89% dos respondentes do Censo se localizavam na região Sudeste.

Investimento 

A diversidade do setor também é retratada na seção Volume de Investimento. Na edição mais recente do Censo, foram contabilizados R$ 3,25 bilhões, redução de 2% se comparado com os R$ 3,31 bilhões registrados em 2017. Para Graziela, esse é um dado importante por mostrar que, apesar do receio de uma tendência de queda de investimento do setor – considerando a diferença de 2014, com R$ 3,82 bilhões, para 2016, com R$ 2,9 bilhões -, o setor se manteve estável. 

A maioria dos respondentes, 44%, afirma investir até R$ 6 milhões, enquanto 26% declara investir entre R$ 6 milhões e R$ 20 milhões. 

Um dos principais achados do Censo 2018 é o aumento de recursos destinados a terceiros, R$ 1,14 bilhões, o que representa um aumento de 100% em relação a 2016, quando o valor foi de R$ 573 milhões (valor atualizado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA). Para Graziela, essa percepção começou desde o Censo passado quando, apesar da queda no volume de recursos doados em função da diminuição do montante total, foi possível identificar uma mudança de percepção sobre a importância de apoiar OSCs e um reconhecimento do papel do investimento social privado no processo de fortalecimento dessas organizações.   

Acredito que nosso momento político e o trabalho que o GIFE tem feito há anos de reforçar a importância das OSCs e do papel que elas têm na democracia e para o espaço público podem ser fatores que contribuíram para essa ampliação de recursos destinados às OSCs”, afirma Graziela.  

Também relacionado a esse fato está a natureza de cada organização quando o assunto é realizar as ações. Em 2018, caiu a proporção de investidores sociais híbridos, aqueles que financiam terceiros e também executam projetos próprios. Também apresentou diminuição os investidores sociais essencialmente executores, ainda que sejam maioria, com índice de 40%. Os essencialmente financiadores subiram de 16% em 2016 para 23% em 2018. 

Próximos temas 

Graziela explica que enquanto um conjunto de infográficos trará temas relacionados a formas e estratégias de atuação dos investidores sociais privados, outro irá abordar a gestão e questões relacionadas a operação dos recursos, transparência, avaliação e temas sobre processos de aprendizado e qualificação do setor.  

Os infográficos GIFE serão lançados mensalmente. Cada um tratará de um tema abordado no Censo. Entre os assuntos que serão retratados futuramente pelas produções gráficas estão: grantmaking, filantropia colaborativa, negócios de impacto, políticas públicas, desenvolvimento e gestão institucional, avaliação, comunicação, recursos e incentivos fiscais, além de uma edição dedicada à comparação dos dados entre o Censo e a pesquisa Benchmarking do Investimento Social Corporativo (BISC)

Além dos infográficos, os dados do Censo GIFE também estão disponíveis em outros formatos, no portal Mosaico, como a Base de Projetos, ferramenta digital que disponibiliza informações sobre os projetos e programas dos investidores sociais em forma de listas, tabelas e gráficos, e na aba Monte seu Gráfico, que permite personalização do gráfico a partir da escolha da pergunta, tipo de investidor, forma de atuação e faixa de investimento. 

Notícias relacionadas

Apoio institucional