Produção de conhecimento conjunto e realização de encontros online marcarão caminho até 11º Congresso GIFE

Com o tema Fronteiras da Ação Coletiva, o  11º Congresso GIFE seria realizado em maio deste ano. O evento foi pensado para promover debates, reflexões e troca de experiência sobre a prática do investimento social privado (ISP), suas tendências, características e desafios, além de celebrar os 25 anos do GIFE. 

Com a chegada do novo coronavírus ao Brasil e a necessidade do distanciamento social, o evento, considerado referência para o setor, precisou ser adiado, abrindo novas possibilidades. O GIFE está organizando um trilho de reflexões em torno dos desafios para o setor da filantropia e do investimento social, assim como para a sociedade civil e ação cidadã, no sentido de discutir também agora os impactos diretos e indiretos, sanitários, sociais e econômicos da pandemia, tendo em vista o acúmulo no marco de um quarto de século do GIFE. 

“Queremos dialogar a partir do que foi construído ao longo dessa caminhada do GIFE no âmbito da cidadania no Brasil e da construção pública do país como um todo, pensando quais são os desafios que nos convocam hoje para ir adiante nessa construção, no âmbito do fortalecimento, desenvolvimento e diversificação da filantropia e do investimento social e da agenda pública do país e do mundo”, explica José Marcelo Zacchi, secretário geral do GIFE. 

Semana do Investimento Social

A inauguração desse trilho, que envolverá diversos atores em diferentes atividades até o 11º Congresso GIFE, em março de 2021, acontecerá durante a Semana do Investimento Social, que será realizada entre 3 e 7 de agosto, com o objetivo de debater temas estratégicos do setor, agendas e respostas em face da pandemia e horizontes e perspectivas de futuro.

“A Semana trará um panorama de temas que são basilares para os desafios do setor e abrirá, portanto, essa caminhada de reflexão que irá dialogar com os vários temas, tanto da agenda da filantropia, do investimento social privado e da sociedade civil como um todo, quanto da agenda pública do Brasil e do mundo hoje, além dos papéis e possibilidades de contribuição diante deles”, reforça José Marcelo.  

Articulações, reflexões e novos direcionamentos: o caminho para o Congresso 

Esse trilho, intitulado Diálogos e Intercâmbios Temáticos, contempla diferentes debates sobre temas contemporâneos, encontros e diálogos virtuais e grupos de intercâmbio temático. 

Para dialogar com a temática da 11ª edição do Congresso, todas as discussões do trilho serão divididas em três grandes temas, consideradas fronteiras fundamentais para a ação coletiva: visão e desafios de um setor expandido e diversificado, promoção de um setor mais colaborativo entre si e com os demais atores da agenda pública e renovação e aprofundamento da conexão com as agendas e desafios públicos contemporâneos no Brasil e no mundo.

Para José Marcelo, toda essa articulação de debates e produção de conhecimento conjunto irá possibilitar a reflexão sobre temas contemporâneos, como enfrentamento de desigualdades e desafios sociais, crise ambiental e uso de recursos naturais, apropriação de novas tecnologias, entre outros. 

Ao mesmo tempo, a aproximação entre os atores, permitida pelo modo virtual durante os meses de ‘aquecimento’ para o evento presencial, será uma oportunidade de avançar na atualização das agendas do setor da filantropia, do desenvolvimento social privado, da sociedade civil e da ação cidadã e de sua conexão com agendas contemporâneas e desafios públicos do país e o mundo. 

Interação e sistematização do conhecimento 

Na ramificação do trilho dedicada a abrigar espaços de interação, por exemplo, José Marcelo reforça que não se trata apenas de ter momentos de debate online, mas também de promover metodologias no ambiente online do Congresso, além da interação entre grupos de pessoas com interesses temáticos comuns, de modo que compartilhem informação, conteúdos e ideias ao longo desses oito meses.  

A sistematização de toda produção de conhecimento resultante do trilho será disponibilizada no site do 11º Congresso, que funcionará como um grande repositório dos acúmulos e reflexões. “O Congresso, mais do que só aqueles três dias presenciais, se converterá em um estuário de toda essa reflexão e em um momento em que iremos consolidá-la e, com isso, consolidar também as nossas diretrizes e horizontes para a ação no pós-25 anos do GIFE e no pós-pandemia, seguindo na contribuição para a construção pública no país, que é a nossa missão e nosso sentido de ser”, observa José Marcelo. 

Notícias relacionadas

Comunicado de adiamento do 11º Congresso GIFE

O evento será realizado entre os dias 5 a 7 de agosto, na Fecomercio/SP, mantendo o local de realização. A decisão foi tomada em atenção à prevenção da disseminação do COVID-19 e ao zelo primordial pela saúde pública nesse momento.

Apoio institucional