Rede LEQT lança indicadores para monitoramento e avaliação de projetos de incentivo à leitura

 

A Rede de Leitura e Escrita de Qualidade para Todos (LEQT) acaba de lançar os Indicadores LEQT – Qualidade em Projetos de Leitura, um conjunto de parâmetros a ser utilizado em processos de monitoramento e avaliação de projetos no campo da leitura. A iniciativa é voltada a escolas, bibliotecas e outras ações comunitárias, considerando cinco dimensões: política, infraestrutura, formação de profissionais, práticas de promoção da leitura e mudanças.

“Temos uma tendência no Brasil de construir projetos de caráter social, seja de investimento público ou privado, com uma grande força na formulação e execução, mas com muito pouco investimento em saber se aquilo que se está propondo de fato consegue atingir os objetivos. Então, a ideia dos indicadores vai nesse caminho”, explica Roberto Catelli, consultor da Ação Educativa e um dos coordenadores da iniciativa.

No total, são 92 indicadores a ser utilizados conforme a natureza de cada projeto. A publicação traz instruções para essa seleção e para a construção dos instrumentos de coleta de dados, tabulação e análise dos resultados.

Inicialmente idealizados para serem aplicados entre associados ao GIFE e outras instituições membros da Rede, a ferramenta tornou-se pública a partir do entendimento de que ela abre a possibilidade de criar parâmetros relevantes e compartilhados que permitam às instituições avaliar e monitorar projetos na perspectiva de torná-los ainda mais eficientes e cumpridores das metas propostas.

“Sempre foi um desejo dos membros da LEQT poder discutir parâmetros comuns para o monitoramento dos diferentes projetos que as instituições realizam com foco na formação de leitores. Ter esse produto, que foi feito justamente com a ideia de poder customizar o mapa de indicadores disponíveis a partir do cenário de cada projeto, é um passo muito importante e uma excelente oportunidade, tanto para os projetos que ainda não têm seu processo de monitoramento e avaliação estruturado, quanto para os que já têm, mas precisam rever, ampliar e qualificar aquilo que construíram”, afirma Patrícia Diaz, diretora de desenvolvimento educacional da Comunidade Educativa CEDAC (CE CEDAC).

Ana Lima, consultora da organização Conhecimento Social e uma das coordenadoras da Rede LEQT, ressalta a importância do aspecto coletivo na construção do instrumento. “Os indicadores foram construídos de maneira colaborativa a partir de experiências reais das instituições participantes da LEQT que, em sua diversidade, abarcam os mais variados tipos de projetos, com objetivos, públicos, concepções, formas de atuação e escalas muito diferentes, mas que, ao mesmo tempo, compartilham de um propósito comum: o da promoção da leitura como estruturante para o desenvolvimento das pessoas e das sociedades. Essa convergência de propósito a partir da riqueza de abordagens é o que faz dos Indicadores LEQT algo bastante único e inovador para o campo social brasileiro.”

A consultora explica que, justamente por reconhecer a diversidade de projetos existentes na Rede, a proposta dos Indicadores LEQT é apresentar um grande conjunto de indicadores e convidar cada organização a refletir sobre sua atuação e, a partir dela, definir o conjunto de indicadores relevantes para cada programa, projeto ou ação. “Essa reflexão já traz, em si mesma, uma oportunidade de aprimorar o trabalho e, muitas vezes, articular o diálogo entre as várias partes envolvidas”, observa.

Trajetória de construção dos Indicadores LEQT

Atualmente, a Rede LEQT é composta por representantes de institutos, fundações e empresas do setor do Investimento Social Privado (ISP), organizações da sociedade civil, setor público, academia, produção editorial, bem como bibliotecários, autores e leitores. Sua missão é contribuir para o desenvolvimento democrático da cultura escrita no Brasil por meio de ações coordenadas e cooperativas entre poder público e sociedade civil, de modo a superar a fragmentação e a descontinuidade nas políticas e programas de promoção da leitura e a obter mais e melhor impacto.

A Rede foi constituída em 2012 como um grupo de investidores sociais que tinham em comum a vontade de realizar reflexões e debates e trocar experiências com foco em leitura e biblioteca. Em 2016, após uma ação de planejamento estratégico, foram gestadas importantes iniciativas que convergem para o fortalecimento da ação em rede. Uma delas diz respeito ao desenvolvimento dos Indicadores LEQT.

A ação garantiu identificar, sistematizar e formular indicadores com base nos projetos e ações dos atores diversos membros da RT, a fim de dar suporte à avaliação das ações propostas pela própria rede em interface com as políticas públicas e facilitar o diálogo com diferentes interlocutores.

Roberto destaca como um dos pontos fortes da iniciativa justamente essa forte identificação com a própria prática dos projetos. “Para uma ação como essa, que envolve um coletivo de instituições, é fundamental um trabalho de pesquisa. Não dá para sair criando indicadores da cabeça ou só da sua experiência sem de fato ter uma base real pautada naquilo que acontece na realidade dos projetos.”

Para a construção dos indicadores foi realizada, primeiramente, uma revisão bibliográfica sobre o tema avaliação e monitoramento de projetos no campo da leitura. Em seguida, criou-se um instrumento diagnóstico acerca do uso de indicadores/ferramentas de avaliação de projetos de promoção da leitura por instituições que compõem a Rede LEQT. Esse instrumento orientou a realização de um conjunto de entrevistas de caráter qualitativo. As informações obtidas deram origem à primeira versão dos indicadores.

Após a constituição de um Grupo de Trabalho (GT) para acompanhar e realizar a leitura crítica inicialmente formulada, surgiu uma segunda versão do quadro de indicadores, com nova estrutura e número reduzido de parâmetros. A terceira etapa do trabalho contemplou a criação de instrumentos para a realização de estudos avaliativos e o trabalho de campo para a aplicação dos indicadores em projetos de três instituições. A partir dos resultados foram realizados novos ajustes e produzida a versão final.

Aplicação piloto e aprendizados

A iniciativa passou por uma fase piloto de testes entre algumas organizações do grupo, experimentação essa que os organizadores esperam ver sendo ampliada entre outros membros da Rede com a publicação da ferramenta.

Em 2018, uma aplicação piloto do conjunto de indicadores foi realizada junto ao Leia Comigo!, projeto de incentivo à leitura criado em 2000 pela Fundação Educar DPaschoal. “Essa aplicação piloto foi bastante útil porque conseguimos fazer correções. Além disso, a experiência também serviu para a Fundação como um guia a fim de olhar para algumas coisas sobre as quais nunca tinha se debruçado no quesito avaliação”, observa Roberto.

Para Patrícia, foram muitos os aprendizados. Ela destaca especialmente o momento de definir as esferas e dimensões e de testar os instrumentos. “Pudemos simular cenários, conhecer estratégias diferentes das que colocamos em prática em nossos projetos e pensar possibilidades de intervenção e alcance com diversos públicos nos diferentes projetos. Pudemos avançar bastante na visão mais sistêmica das diferentes instâncias que podem estar envolvidas em um determinado projeto de formação leitora e, então, pensar em como compor um quadro de indicadores que seja realmente útil a cada projeto.”

O ISP e o incentivo à leitura

A relevância do papel do investimento social privado no apoio às iniciativas de promoção de leitura se dá em dimensões diversas, tais como: apoio financeiro e técnico a organizações da sociedade civil que atuam diretamente com a causa, produção de conhecimento sobre o campo, advocacy pelo fortalecimento das políticas públicas voltadas à promoção de leitura, articulação entre os diversos agentes do ecossistema do livro e da leitura, apoio à criação de metodologias inovadoras que ampliem o domínio das habilidades de letramento nos mais variados contextos, entre outras.

Para Ana, também é possível refletir sobre a importância da leitura em sua incidência sobre os objetivos do ISP.“Na LEQT acreditamos muito na força da leitura como estratégia para trabalhar as mais diferentes temáticas do campo do investimento social privado: educação, cultura, garantia de direitos, promoção da saúde, combate às diferentes formas de desigualdade, desenvolvimento local e comunitário, enfim, praticamente todas as temáticas abordadas pelos investidores sociais podem apoiar-se no trabalho com a leitura como estratégia para atingir seus objetivos.”

Patrícia ressalta a necessidade de cada vez mais iniciativas de promoção da leitura.“Buscar profissionalização, sistematização e avaliação faz parte da responsabilidade, do compromisso e da transparência das instituições que promovem tais projetos. Existem muitas ações importantes no campo da leitura hoje e, em algumas delas, o investimento é bastante alto. Sem processos sistematizados de monitoramento e avaliação, os responsáveis por essas iniciativas acabam não conseguindo otimizar os recursos e isso pode dificultar que os resultados cheguem na ponta, ou seja, naqueles que mais deveriam ser impactados no processo. Os indicadores propostos pela LEQT pretendem ajudar nessa sistematização e, talvez, até na revisão de estratégias do projeto, já que a reflexão sobre a concepção de avaliação, para o grupo, sempre é formativa também.”

Expectativas e próximos passos

As expectativas da Rede LEQT e de seus membros com a iniciativa são muitas. Por um lado, a ideia de uma métrica comum ao campo da promoção da leitura pode contribuir para fortalecer o próprio campo, ampliando a visibilidade de seus desafios e resultados. Já pensando no âmbito de cada organização, programa ou projeto, a ideia de ter referências comuns pode contribuir para qualificar as reflexões, fortalecer as articulações e ampliar as parcerias, tanto entre os membros da própria Rede, quanto com outros atores.

“Temos muitos planos para este ano que se inicia. Workshops de formação, disponibilização dos indicadores em plataforma digital e construção compartilhada de conhecimento estão entre elas”, conta Ana.

Roberto aponta a importância do uso do instrumento para sua validação e aperfeiçoamento. “Nós construímos esses indicadores, mas não quer dizer que isso esteja pronto, finalizado. Outros indicadores podem ser criados, outras possibilidades podem ser formuladas. O próprio tempo exige que essa reformulação vá sendo feita. Então, o grande desafio é manter isso como uma construção ativa para ir consolidando a ferramenta ao longo do tempo.”

Nesse sentido, Patrícia reforça o convite para que as instituições membros da Rede LEQT e também outras do ecossistema da promoção de leitura façam uso dos indicadores em diálogo com o grupo para o avanço da iniciativa. “Esperamos que esse instrumento possa chegar ao maior número de instituições que realizam projetos de leitura e que elas possam colocar em prática, da maneira como entenderem que o instrumento pode ajudá-las, para que possamos ir dialogando a fim de trocar impressões e conhecimentos a partir dessa experiência para que, daqui um tempo, possamos revisar e consolidar novas versões do instrumento, considerando ainda mais as lições aprendidas dessa comunidade.”

A publicação está disponível para download gratuito neste link.

Related news