SITAWI lança rodada de empréstimo coletivo para captar R$ 1,1 milhão para negócios de impacto

A SITAWI Finanças do Bem lança nesta terça-feira (23) uma nova rodada de empréstimo coletivo pela sua Plataforma, em parceria com o Instituto Sabin. A iniciativa proporciona que pessoas físicas de todo o país invistam diretamente em dois negócios de impacto positivo atrelados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS). A captação pretende mobilizar R$ 1,1 milhão para a Cooperativa de Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá (Coopercuc), que tem como objetivo a implementação de projetos de agricultura sustentável e beneficiamento de frutas nativas da caatinga; e para a Incentiv.me, organização de inovação tributária que conecta projetos sociais ao ecossistema de leis de incentivo fiscal.

Os recursos irão compor o capital de giro dos negócios de impacto para que ampliem sua escala de atuação e aprimorem suas operações. Investidores podem fazer aplicações a partir de R$ 10  com rentabilidade prevista entre 9% e 10% ao ano, repagamento em 36 meses e 3 meses de carência. 

Agricultura sustentável e inovação tributária

A Coopercuc é uma cooperativa de agricultores familiares, sediada em Uauá, no sertão do estado da Bahia, que atua na implementação de projetos de agricultura sustentável e beneficiamento de frutas nativas da caatinga (umbu e maracujá do mato) e também outras frutas cultivadas na região, como goiaba, manga, acerola, banana e maracujá amarelo. O empréstimo no valor de R$ 100 mil irá apoiar as operações do negócio de impacto com capital de giro para escalabilidade. Assista o vídeo sobre a organização

Plataforma de empréstimo coletivo leva investimento para negócios de impacto

A captação de R$ 1 milhão para a Incentiv.me irá para melhorias de comunicação, publicidade e tecnologia. Fundada em 2018, a Incentiv.me é uma startup de inovação tributária que conecta o ecossistema de leis de incentivo fiscal, através de produtos e serviços, a projetos que resolvem problemas sociais coletivos. Com sede em Florianópolis (SC) e escritório em São Paulo (SP), a organização possui atuação em todo Brasil. Assista o vídeo sobre a organização

Empréstimo coletivo: retorno financeiro atrativo e impacto socioambiental positivo

Um dos objetivos da Plataforma de Empréstimo Coletivo da SITAWI, lançada em 2019, é oferecer a investidores a possibilidade de aportar capital em negócios que geram impacto socioambiental positivo e obter retorno financeiro atrativo. Os investidores obtêm rentabilidade competitiva e, de outro lado, os negócios têm acesso a uma linha de crédito com juros mais baixos do que os praticados no mercado. O modelo é conhecido como P2P lending.

Além disso, a transparência é uma das premissas da iniciativa, explica o fundador e CEO da SITAWI, Leonardo Letelier. 

“Antes de colocar o dinheiro, o investidor fica sabendo exatamente para onde ele vai e como o projeto vai utilizar esse recurso. Nesta rodada, o recurso será usado para comprar matéria prima, como o umbu, no caso da Coopercuc, pagar salários, pagar embalagens e influencia na ampliação da escala, pois, com mais insumos, produzem mais, vendem mais e asseguram a geração de renda na cadeia produtiva”, diz Leonardo Letelier. 

Heiko Hosomi Spitzeck é um dos mais de 600 investidores que já participaram das rodadas de empréstimo coletivo da SITAWI. Para ele, a plataforma foi a resposta para algo que ele buscava para sua carteira de ativos. 

“Tenho interesse em investir em iniciativas de impacto positivo, mas vejo pouca transparência nas opções oferecidas pelos grandes bancos. A SITAWI me deu segurança porque sempre forneceu muitas informações. Tive acesso a históricos dos projetos, análises de risco, planejamento para uso do investimento, além de um detalhamento de como as iniciativas estão alinhadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU”, explica Spitzeck que é professor da Fundação Dom Cabral

Democratização do investimento de impacto 

Nos últimos dois anos, a SITAWI, por meio de sua Plataforma, já realizou sete rodadas de empréstimo coletivo, tendo mobilizado até então R$ 11 milhões. A organização, fundada em 2008, tem como missão mobilizar capital para impacto socioambiental positivo e já movimentou mais de R$ 220 milhões através de sua atuação. 

De lá para cá, foram feitas mais de 70 transações de investimento de impacto apoiando mais de 58 negócios de impacto. Na visão de Leonardo Letelier, a oferta de crédito através de uma plataforma de multi investidores representa uma inovação e amplia a participação de pessoas físicas terem ganhos atrelados a impacto positivo. 

“Por meio da tecnologia, transparência e valor de mínimo para participação nas rodadas, a Plataforma de Empréstimo Coletivo da SITAWI tem um papel central na democratização do acesso aos investimentos impacto”, explica o executivo. 

Startup recebe financiamento através de plataforma de empréstimo coletivo
Incentive.me é uma plataforma de inovação tributária

Financiamento misto 

A taxa de juros apresentada para os negócios que tomam o empréstimo é a mesma da rentabilidade dos investidores. Para que essas operações aconteçam, a SITAWI conta com instituidores para cobrir os custos da operação, diligência dos negócios e divulgação das rodadas. O aporte filantrópico viabiliza o desenvolvimento de inovações no setor social, destaca Letelier.

“Esta inovação, ao mesmo tempo em que está alinhada ao nosso DNA, representa uma evolução de nossa atuação. De um lado, aumentamos a visibilidade e o volume de capital disponíveis para negócios incríveis que estão trabalhando para transformar a realidade em que vivemos – em áreas como saúde, educação, agricultura familiar, meio ambiente –  e, do outro, reduzimos barreiras para que mais investidores possam alinhar seus investimentos ao propósito”, explica Leonardo.

O contexto de instabilidade econômica demanda soluções flexíveis para os tomadores de empréstimo. Dessa maneira, para atender as demandas de cada negócio de impacto, a plataforma se sustenta no instrumento financeiro chamado financiamento misto, conhecido também como blended finance.  

Além da Plataforma de Empréstimo Coletivo, mecanismo inovador ao qual a SITAWI desenvolve sua tese de investimento de impacto, a organização também atua com outros produtos e serviços com objetivo de mobilizar capital com propósito. Através de seu Programa Finanças Sociais, a SITAWI trabalha com a gestão de Fundos Filantrópicos e Programas Territoriais.

Como investir pela Plataforma de Empréstimo Coletivo

Para participar, é necessário que o investidor realize um cadastro e depois escolha o(s) negócio(s) de seu interesse no site da Plataforma de Empréstimo Coletivo da SITAWI (http://emprestimocoletivo.net/). A pessoa faz a reserva de investimento e, para confirmar, deve realizar uma TED ou gerar um boleto para pagamento referente ao investimento. Após a conclusão da captação, são emitidos os contratos de empréstimo entre as partes e o investidor recebe o título intitulado de 3CB (Certificado de Cédula de Crédito Bancário), que comprovam o investimento.

Após um período inicial de 3 meses de carência, os investidores recebem o valor do investimento durante 36 meses, com o pagamento de parcelas mensais referentes ao principal mais os juros.

Toda a operação é realizada em parceria com a MOVA, a primeira fintech de Peer-to-Peer Lending aprovada e supervisionada pelo Banco Central na forma de Sociedade de Empréstimo entre Pessoas (SEP). A SEP cria uma ponte direta entre investidores e quem busca financiamento, eliminando a necessidade de um banco e cortando custos. 

Ao longo do contrato, os investidores recebem informações atualizadas, como o monitoramento e um relatório do impacto socioambiental dos negócios investidos, suas finanças e negócios.

Critérios de seleção dos negócios 

A SITAWI seleciona negócios formalizados como figuras jurídicas que gerem impacto socioambiental positivo claro e comprovado. São analisadas a viabilidade econômica e a capacidade de repagamento das organizações. 

Além da oferta de empréstimo entre R$ 200 mil e R$800 mil, os empreendimentos sociais também recebem acompanhamento personalizado pelos especialistas da SITAWI durante todo o período do contrato. Uma vez que entram para o portfólio da organização, os negócios de impacto passam a fazer parte de uma rede de intercâmbio com parceiros, mentores e consultorias voluntárias de acordo com a necessidade de cada iniciativa. 

Chamada de negócios de impacto na Amazônia

A SITAWI também está com uma chamada para negócios de impacto que atuam na Amazônia com demanda de crédito entre R$ 200 mil e R$ 800 mil. Até o dia 10 de dezembro, iniciativas que atuam com a economia da floresta em pé, podem se inscrever para participar da próxima rodada de empréstimo coletivo. O repagamento é feito entre 24 e 36 meses, com carência de até 180 dias e taxa de juros estimada entre 7,5% e 11,5% ao ano. As condições do empréstimo serão definidas em conjunto com o negócio, levando em consideração o impacto gerado pelo mesmo, a sua maturidade e a taxa básica de juros da economia (SELIC).

A Chamada de Negócios de Impacto da Amazônia visa encontrar negócios de impacto socioambiental positivo que mitigam os efeitos do desmatamento na Amazônia e geram conservação da biodiversidade, renda para suas comunidades e preservação da cultura local. 

Através desta iniciativa, a SITAWI oferece o capital necessário, apoio e direcionamento para o negócio, além do acesso à rede de mentores e parceiros. Todas estas ações possuem o intuito de criar alternativas de financiamento para alavancar esses negócios, para que assim, possam continuar fazendo a diferença, impacto pessoas e o meio ambiente.

Para participar, basta se cadastrar nesta página (https://info.sitawi.net/chamadanegociodeimpactoamazonia) para receber o formulário de inscrição. Dúvidas podem ser encaminhadas para o e-mail [email protected]

Apoio institucional