Contabilizando aprendizados ao longo de 2020, trilho de atividades do 11° Congresso GIFE continua em 2021

Ao mesmo tempo em que a pandemia do novo coronavírus vitimou e continua vitimando milhares de pessoas e agravando desafios sociais históricos da sociedade brasileira, obrigou mudança de planos em praticamente todos os setores. Decorrente desse cenário, surgiu a ideia de expandir o 11º Congresso GIFE para além do evento presencial.  

Pensado para promover debates, reflexões e troca de experiências sobre a prática do investimento social privado (ISP), suas tendências, características e desafios, além de celebrar os 25 anos do GIFE, tudo isso à luz da expansão da ação cidadã no país, o evento teve início em agosto de 2020, com o lançamento de painéis online no âmbito do Trilho de Diálogos e Trocas Temáticas.

Segundo José Marcelo Zacchi, secretário geral do GIFE, o Trilho, que foi programado para acontecer entre agosto e março de 2021, tem como objetivo pensar os desafios para a filantropia e o investimento social, assim como para a sociedade civil e ação cidadã, no sentido de discutir os impactos diretos e indiretos, sanitários, sociais e econômicos da pandemia, tendo em vista o acúmulo de conhecimento do GIFE ao longo de um quarto de século. 

‘Congresso virtual’ em 2020 

Com a impossibilidade de reuniões presenciais e os diversos aprendizados conquistados durante os meses de trabalho remoto e reuniões virtuais, o Trilho de atividades programado pelo GIFE incluiu inúmeros encontros online, como forma de aquecer e aprofundar os debates que terão continuidade em 2021. A programação foi dividida em dois grandes blocos: as mesas de diálogo e debates abertos ao público e as atividades e espaços de intercâmbio e colaboração exclusivo para inscritos. 

As atividades abertas ao público englobam as séries de diálogos: Pautas ISP, Agenda Pública e Temas Contemporâneos. A Série Pautas ISP contemplou a realização de dez encontros que debateram temas como ambiente legal para sociedade civil e ISP, blended finance, cooperação e desenvolvimento territorial e filantropia familiar, filantropia pelo mundo e outros. Todos os encontros podem ser acessados na íntegra no canal do GIFE no YouTube

Já a série Agenda Pública realizou duas mesas ainda em 2020 sobre Cooperação e Investimento Social por Cidades Justas e Sustentáveis e Investimento Social para a Equidade Racial e estão previstos mais dois encontros virtuais em 2021. 

A agenda de 2020 também teve espaço para uma programação exclusiva para inscritos, que é composta por Oficinas e Grupos de Colaboração, além de um aplicativo e canais de comunicação.

As oficinas, a serem realizadas em 2021, irão abordar temas como avaliação – tratando das rubricas avaliativas, ferramenta que permite às organizações do campo filantrópico desenvolverem a autoanálise das suas iniciativas contribuindo para os processos de decisão e aprendizagem -, comunicação e investimento e negócios de impacto, esta última em parceria com a Rede Temática de Investimentos e Negócios de Impacto.  

Já os Grupos de Colaboração puderam discutir, ainda em 2020, sobre grantmaking e, em 2021, debaterão investimentos e negócios de impacto e gestão e políticas públicas. 

Toda essa mobilização teve início ainda em agosto de 2020, com a Semana do Investimento Social. Erika Sanchez Saez, coordenadora geral do Congresso GIFE, explica que a mesa de abertura, destinada a debater as Fronteiras de Ação Coletiva, tema da 11ª edição do Congresso, fez um panorama dos desafios sociais do momento, seguida de conversas mais específicas sobre agendas fundamentais para o setor, como cultura de doação, investimento em negócios de impacto, o papel e atuação das empresas na sociedade, a questão da democracia e a própria pandemia e, em seguida, os encontros online destinados a abarcar temas do setor do ISP e filantropia. 

“Mais do que falar sobre o status de cada tema abordado, as mesas buscaram compreender quais são os desafios, as prioridades envolvidas e como o investimento social privado pode se engajar nesses assuntos, sobretudo na Série Agenda Pública, ou seja, em temas como equidade racial, cidades justas e sustentáveis, Amazônia, Ciência e Informação e outros. Já nos debates sobre temas mais intrínsecos ao setor, a tentativa foi abordar como continuamos avançando, evoluindo e desenvolvendo essas temáticas.” 

Conheça a programação de 2021 

Este ano, o GIFE continua os debates no Trilho Diálogos e Trocas Temáticas com o lançamento do Podcast Fronteiras Coletivas. Com 10 episódios a serem lançados semanalmente até março, a série reunirá temas e vozes centrais da filantropia, do investimento social e da ação cidadã para o diálogo com horizontes do setor e da agenda pública, com o objetivo de expandir e aprofundar as reflexões e difusão de ideias. Para Erika, esse modelo de conteúdo é mais uma chance de expandir os interlocutores do GIFE, possibilitando que mais gente tenha contato com as produções.  

Para o programa de abertura, com o tema Panorama, Contexto e Desafios para a Filantropia, o Investimento Social e a Ação Cidadã no país, o podcast conta com a participação de Neca Setubal, presidente da Fundação Tide Setubal e do conselho de governança do GIFE. Em seguida, terão espaço na agenda assuntos como investimento social corporativo, primeira infância, cultura, oceanos e outros. 

Ainda em janeiro, o GIFE, em parceria com o Nexo Jornal, lançará a Série Diálogos Contemporâneos, que integra a programação aberta ao público. A ideia é abordar, em quatro mesas virtuais, temas do momento atual: democracia, pluralismo e diversidade; mudanças climáticas; saúde global e pandemias; e nova economia.

A coordenadora reforça que, em razão de todo o contexto, a programação, bem como o evento em si, serão diferentes dos outros anos. “A proposta, ao longo dos três dias de encontro presencial [previsto para março], é sintetizar tudo o que foi debatido ao longo desses meses e avaliar como, a partir dessa síntese, conseguimos estabelecer prioridades para o setor para todas as agendas nos próximos anos. Pensar no futuro sempre foi uma das funções do Congresso GIFE e essa edição estará muito mais centrada nisso”, afirma Erika.

Potencialidades do ambiente online 

Erika avalia o saldo positivo das atividades realizadas no âmbito do Trilho em 2020 e reforça como a mudança de um evento presencial pontual para um Trilho, bem como a migração para o ambiente online, foram, na verdade, uma possibilidade de expandir as propostas. 

O primeiro aspecto diz respeito ao aumento da quantidade de mesas e debates que poderiam ser realizadas em um encontro presencial de três dias. Apesar da necessidade de articulações, organizar uma transmissão online não se compara aos preparativos de um evento presencial. Em seguida, vem a vantagem do encurtamento de distâncias proporcionada por ferramentas diversas de reunião online. 

“Tivemos a participação de palestrantes e vozes que não poderiam pegar um avião e estar no Brasil em uma data específica, mas, ao ser online, puderam participar. Antes da pandemia, já tínhamos a intenção de refletir sobre como trazer ainda mais diversidade e novas vozes para o debate, ampliando os temas e trazendo novos elementos para ajudar os investidores sociais a fazerem as melhores escolhas e a pensarem as melhores estratégias”, explica a coordenadora, reforçando também a importância dessas reflexões para que as ações realizadas durante a pandemia fiquem como um legado desse momento. 

De agosto a dezembro de 2020, o GIFE organizou 30 atividades online no escopo do Trilho, em diversos formatos. Cerca de 200 palestrantes marcaram presença na programação, seja integrando as mesas de debate ou enviando vídeos curtos sobre temas de interesse do ISP e da filantropia. Todo o conteúdo foi gravado e está disponível no canal do GIFE no YouTube. Quanto aos participantes, Erika estima que foram mais mil pessoas ao longo de cinco meses.  

“Estamos bem felizes com os resultados, com o impacto e com a diversidade de temas que conseguimos incluir, com a profundidade dos debates e com a diversidade de olhares e palestrantes. Conseguimos chegar em mais pessoas, não só numericamente falando, mas em termos de diversidade. Em todas as mesas, contamos com representantes de inúmeros pontos do Brasil nos assistindo”, celebra Erika. 

Participe

As inscrições para o 11º Congresso GIFE – Fronteiras da Ação Coletiva estão abertas e podem ser feitas neste link. O ingresso dá direito à participação no evento presencial, em atividades exclusivas para inscritos, acesso ao aplicativo do evento e ao boletim especial do Congresso.

Notícias relacionadas

Especial redeGIFE: Os legados de 2020

Reunimos os aprendizados e as agendas que ganharam relevância este ano em face da pandemia e apontam tendências e oportunidades para a atuação do investimento social e da filantropia no próximo período, segundo membros do Conselho de Governança do GIFE.

Apoio institucional