Ecofuturo comemora 19 anos com lançamento de novo conceito e vídeo institucional

”Novo conceito, “Ecofuturo – Formando Leitores de Mundo” marca início de nova fase do Instituto, quase duas décadas depois de sua criação

O Instituto Ecofuturo, organização mantida pela Suzano, completou 19 anos em 13 de dezembro e lançou um novo vídeo institucional, que apresenta o seu mais recente conceito “Ecofuturo – formando leitores de mundo”. A produção é narrada pela bisneta de Max Feffer, fundador do Instituto e de sua mantenedora e  destaca a missão do Ecofuturo de contribuir para transformar a sociedade por meio de seus projetos de conservação ambiental e promoção de leitura, a fim de integrar livros, pessoas e natureza.

“O novo conceito representa a motivação que norteia o Ecofuturo ao longo de toda sua trajetória e reforça a conexão entre os dois pilares de atuação do Instituto: a educação e a conservação de áreas naturais”, afirmou a superintendente do Instituto, Marcela Porto. “Acreditamos que para transformarmos de fato a realidade e construirmos um futuro mais sustentável é preciso desenvolver esta nova leitura, que envolva todos os nossos sentidos e que permita comunicarmos com a natureza que existe dentro e fora de cada um”, completou.

A obra foi desenvolvida pela agência Bamboo e produzido pela IMG Content, com direção de Humberto Bassanelli. Os realizados captaram as imagens durante atividades promovidas pelas Bibliotecas Comunitárias Ecofuturo e durante o programa Meu Ambiente, iniciativa de educação ambiental realizado no Parque das Neblinas.

Para Paulo Groke, diretor de Sustentabilidade do Ecofuturo, atuar junto às novas gerações, para que elas possam se reconectar com a natureza, é fundamental. “O futuro que nós desejamos, mais harmônico, e com mais respeito e cuidado das pessoas com todas as formas de vida, começa a ser construído a partir da sensibilização das crianças e jovens de hoje. Promover a reaproximação com a natureza e o acesso aos livros, e consequentemente, ao conhecimento, são essenciais para o desenvolvimento do encantamento, da consciência socioambiental e para a formação dos leitores de mundo”, conclui.

As iniciativas do Instituto

Em 2018, o Ecofuturo lançou dois livros que retrataram algumas de suas ações ao longo dos quase vinte anos de história. O primeiro, “Educando na Natureza”, aborda os desdobramentos do programa Meu Ambiente, que, neste ano, ganhou uma nova edição e contou com mais de 1.000 estudantes e cerca de 120 educadores da rede pública de ensino das cidades de Mogi das Cruzes, Bertioga e Suzano. Os encontros ocorreram no Parque das Neblinas, reserva de 6 mil hectares de Mata Atlântica gerida pelo Instituto. O Parque também ganhou a cartilha “A Biodiversidade no Parque das Neblinas” para divulgar a sua riqueza de fauna e flora, e traz informações e curiosidades sobre as espécies protegidas na reserva.

O segundo livro foi o “Ecofuturo – a vida que a gente quer”, lançado na Bienal Internacional do Livro de São Paulo e disponível para download gratuito no site do Instituto.

Além disso, o projeto Biblioteca Comunitária Ecofuturo também foi ampliado em 2018, com a inauguração de quatro novas unidades nos estados de São Paulo e no Rio Grande do Sul, com investimento Grupo CPFL. Adicionalmente, foram anunciadasoutras bibliotecas que estão em implantação, como em Malacacheta (MG), em parceria com a Suzano. Ao todo, são 113 bibliotecas distribuídas em 12 estados brasileiros , com uma média total de 660 mil atendimentos por ano.

As ações trouxeram reconhecimento ao Instituto, que recebeu da Câmera Brasileira do Livro (CBL), na última semana, o título de “Amigo do Livro 2018”, homenagem entregue a personalidades e instituições que atuam para promover hábito da leitura e difusão do livro no Brasil.

Notícias relacionadas