Plataforma Sociedade Viva ilustra importância da ação cidadã a partir de histórias de combate ao novo coronavírus

É difícil encontrar uma pessoa sequer que não tenha ouvido falar ou participado de alguma ação de solidariedade durante a pandemia de Covid-19. Com a chegada da doença ao Brasil e a ampliação do número de casos em todas as regiões do país, multiplicaram-se também iniciativas de apoio, arrecadação e doação de recursos, alimentos, kits de higiene e diversos outros tipos de ações de cidadania. Retratar, divulgar e valorizar essa onda de solidariedade é o objetivo da plataforma Sociedade Viva

A iniciativa reúne atividades de coletivos, movimentos, organizações da sociedade civil (OSCs), organizações religiosas, fundações, associações, institutos, empresas, universidades, centros de pesquisa, universidades, órgãos públicos e diversos outros atores da sociedade civil organizada. A criação da plataforma contou com o apoio de diversos representantes do investimento social privado (ISP): Instituto Alana, Ford Foundation, Fundação Bradesco, Fundação Telefonica Vivo, Fundação Lemann, Fundação Tide Setubal, Instituto ACP, Instituto Unibanco e Laudes Foundation.

Erika Sanchez Saez, coordenadora da plataforma, explica que entre as motivações para a criação da iniciativa está a necessidade de as diferentes camadas que compõem a sociedade civil organizada se unirem para explicar o que é a ação cidadã institucionalizada, o que faz, por que é importante e quais são as suas contribuições para o país. 

“Nos últimos anos, a necessidade de iluminar esse porquê da sociedade civil tem sido intensificada, uma vez que as OSCs têm sofrido ataques e sido alvos de críticas, inclusive por parte de organismos oficiais. Nesse sentido, é necessário criar uma narrativa pública que explique a importância dessas organizações e da ação coletiva feita por empresas, universidades, centros de pesquisa, organizações da sociedade civil, movimentos e coletivos”, reflete. 

Ação cidadã e pandemia 

Se a vontade de reforçar o papel da sociedade civil organizada já vinha crescendo há algum tempo, inclusive com o GIFE sendo provocado a empreender uma iniciativa que cumprisse esse papel, a chegada da pandemia de Covid-19 ao Brasil reforçou ainda mais essa necessidade. 

“O que vimos com a pandemia foi uma ação tão rápida e expressiva do que chamamos de ação cidadã, que ela ganhou uma visibilidade que há muito tempo não víamos nos meios de comunicação. Em meio a essa imensidão de intervenções, o GIFE viu uma enorme oportunidade de ilustrar a importância da sociedade civil por meio de histórias e ações práticas sobre o que está sendo feito”, explica a coordenadora. 

Para Erika, a iniciativa constitui a possibilidade de, em meio a tantos desafios, perdas e dificuldades que o momento impõe, celebrar boas histórias e notícias que dão esperança e deixam clara a potência de ação, transformação e impacto que a sociedade é capaz de gerar e produzir. 

A iniciativa constitui ainda o início de um processo de comunicação com a sociedade de forma mais ampla, o que, segundo a coordenadora, não é um costume do GIFE. “A plataforma busca dialogar com todo mundo e contar boas histórias sobre a sociedade civil organizada para que possamos nos conectar com qualquer um a partir de uma diversidade de ações para todos os gostos.” 

Apesar de surgir a partir de ações relacionadas à emergência, a ideia é diversificar a plataforma conforme o cenário brasileiro vá progredindo. “Quando a emergência não for mais uma emergência, o que esperamos que aconteça o quanto antes, queremos falar de outras questões que estão se evidenciando a partir da crise, como todas as desigualdades no acesso a direitos como educação e saúde pública de qualidade. São assuntos evidenciados no momento, mas que já existiam antes e continuarão existindo no pós-pandemia. A incidência da ação cidadã é fundamental para que consigamos desenvolver, evoluir e alcançar novas conquistas em todas essas áreas”, reforça. 

Mensagem 

“Nesta crise provocada pela pandemia, de forma mais clara do que nunca, podemos enxergar a importância da cidadania e da ação coletiva nas nossas vidas. Tudo isso também nos lembra da nossa força quando sabemos atuar juntos e das nossas possibilidades de sonhar e construir um país menos dividido e desigual, mais plural e solidário, reconhecendo e valorizando as nossas diferenças como um presente e não um problema.” 

O trecho acima, extraído do site da iniciativa, constitui uma das principais mensagens que a plataforma pretende passar: a importância de uma sociedade organizada, alerta de seus desafios e consciente sobre o poder de transformação de uma iniciativa feita a muitas mãos. O conceito liga-se, inclusive, com o nome escolhido. 

Existe a premissa de que um país é melhor e uma democracia é mais forte quando há uma ação cidadã ou uma sociedade civil organizada diversa, plural, atuante, fortalecida, engajada e mobilizada. Uma sociedade viva, que está acordada e agindo”, explica Erika. 

Além desta, outras interpretações possíveis do nome escolhido para a plataforma são a exaltação à sociedade e à coletividade e, mais ligada ao contexto atual, a luta da população para garantir seu direito à vida em meio à maior crise sanitária da história recente da humanidade.   

Categorias 

O site é dividido em três blocos. No primeiro, há uma breve apresentação de como, por que e com quais motivações a plataforma foi criada. Em seguida, tem início a disposição de conteúdos que passaram pela curadoria da equipe da iniciativa. “Queremos identificar histórias e ações significativas e ilustrativas do que está sendo feito, além de poder compartilhá-las em diferentes formatos”, aponta Erika. 

Por isso, o segundo bloco do site é composto por quatro abas. Em Novidades, são dispostos os destaques e novas histórias cadastradas na plataforma. Em Panorama, a ideia é trazer informações mais gerais sobre a atuação do setor por meio de conteúdos alinhados a determinados temas, juntamente com um apanhado de ações sobre o assunto, além de dados e informações que transmitem a importância da ação cidadã e da sociedade civil organizada. “São conteúdos que ajudam as pessoas a navegar no site e entender sobre o que estamos falando, além de romper com os mitos que existem sobre a atuação da sociedade civil. É um movimento de qualificar o debate.” 

Em seguida, a aba Histórias e Ações reúne iniciativas diversas realizadas pela mobilização coletiva, como ações de prevenção da disseminação da Covid-19, suporte ao sistema de saúde pública, proteção e assistência a grupos sociais vulneráveis atingidos pelos impactos econômicos da pandemia, apoio às redes de educação em formatos de ensino à distância, promoção criativa de atividades culturais e esportivas em tempos de isolamento social, estímulo à inovação e ao desenvolvimento de pesquisas científicas para o enfrentamento do vírus no país, entre outras. 

As ações são divididas em oito subcategorias: saúde, proteção social, emprego e renda, apoio a gestão pública, segurança, cultura e bem-estar, encontre sua história e educação. A quarta aba do segundo bloco, Envie Sua História, é um chamado aberto para que qualquer organização possa compartilhar uma história para compor o site. 

O terceiro e último bloco de conteúdos diz respeito ao momento Além da Emergência, um espaço que reúne outras ações, projetos e histórias ligadas a outros temas de interesse público. Estão nessa aba o site da 1ª Mostra GIFE de Inovação Social, o Mosaico – Portal de Dados do Investimento Social e também o Mapa Democracia Sim!, que reúne mais de 300 organizações e iniciativas em defesa da democracia no Brasil. 

Próximos passos 

Após o lançamento do site, também serão lançados canais nas redes sociais para disseminar os conteúdos e receber novas histórias. 

Notícias relacionadas

Apoio institucional