Prêmio Empreendedor Social recebe inscrições até 30 de abril

Já são quinze anos reconhecendo boas práticas de impacto socioambiental no Brasil. Uma das mais importantes iniciativas da América Latina envolvendo terceiro setor, líderes, organizações e negócios socioambientais, o Prêmio Empreendedor Social chega à sua 15a edição com uma novidade: o Troféu Grão, que contemplará iniciativas socioambientais sem fins lucrativos com alto potencial de impacto.

Até hoje, a iniciativa já reconheceu 76 empreendedores socioambientais, entre finalistas e vencedores. Mais do que dar visibilidade a experiências exitosas, o objetivo da ação é selecionar, premiar e fomentar líderes empreendedores socioambientais brasileiros que desenvolvam projetos inovadores, sustentáveis e com comprovado impacto socioambiental há mais de três anos.

Além da chancela e projeção nacional e internacional de líderes de negócios de impacto socioambiental, a iniciativa oferece aos vencedores acesso a benefícios que totalizam cerca de R$ 400 mil na forma de mentorias, capacitações e cursos de qualificação em instituições renomadas como Insper e Fundação Dom Cabral.

A premiação oportuniza ainda o ingresso dos empreendedores na Rede Schwab – parceira da Folha na iniciativa -, com acesso a encontros do Fórum Econômico Mundial, bem como uma ampla rede de contatos que reúne outros empreendedores, investidores e lideranças de organizações da sociedade civil (OSCs) de diversos setores. Atualmente, a Rede Folha de Empreendedores Socioambientais reúne cerca de cem lideranças do Brasil e do mundo.

“A Folha de S.Paulo enxerga o Prêmio Empreendedor Social como um bom exercício do jornalismo profissional para identificar líderes e organizações que são capazes de transformar a vida das pessoas e solucionar os mais complexos problemas do nosso país”, ressalta Cristiano Pombo, um dos jornalistas da equipe da Folha responsável pelo Prêmio.

Prêmio Empreendedor Social de Futuro

Cristiano explica que ao longo desses quinze anos, o Prêmio Empreendedor Social se tornou referência e acompanhou as principais mudanças ocorridas no setor do empreendedorismo socioambiental no Brasil. “Tanto foi assim que, em 2009, a Folha lançou, por iniciativa própria, o Prêmio Empreendedor Social de Futuro, que busca identificar iniciativas promissoras criadas por jovens mesmo com pouco tempo de atuação”, observa.

Jovens líderes de 18 a 35 anos residentes no Brasil à frente de iniciativas (cooperativas, negócios socioambientais, OSCs e startups com foco socioambiental) em estágio inicial (com no mínimo um ano e no máximo três anos) podem se inscrever no Prêmio Empreendedor Social de Futuro. A premiação conta com benefícios exclusivos, como participação no Festival Social Good Brasil e no Encontro Nacional de Empresas Juniores, além de mentorias, cursos e capacitações.

Os principais prêmios da categoria são: assessoria jurídica e de gestão; apoio das aceleradoras Artemisia e Yunus; participação em fóruns de investidores; mentoria de Din4mo, Vox Capital e Faap Bussiness Hub; e bolsas para cursos de capacitação.

Troféu Grão

Este ano, o Prêmio inova mais uma vez ao lançar o Troféu Grão, que reconhecerá iniciativas socioambientais sem fins lucrativos com alto potencial de impacto e um ano ou mais de atuação. Podem participar empreendedores maiores de 18 anos. Os principais prêmios são: bolsa integral para curso na Faap e curso de gestão da INK; webinar ou workshop oferecido pela Sitawi; acesso a workshops sobre empreendedorismo na FGV Cenn; e filiação por um ano ao Impact Hub.

No ano passado, o Troféu Grão foi uma categoria do Prêmio Empreendedor Social e teve como vencedora Germana Soares, da Associação de União de Mães de Anjos (UMA), organização pernambucana que atua em áreas emergenciais no auxílio a crianças com a síndrome congênita do vírus da zika.

“A expertise adquirida durante essa trajetória fez com que o Prêmio Empreendedor Social fosse convertido em uma plataforma multimídia, que hoje compreende também o Festival de Inovação e Impacto Social (Fiis) e os Diálogos Transformadores”, observa Cristiano.

Como participar

As inscrições para participar do Prêmio Empreendedor Social devem ser feitas até 30 de abril no site da iniciativa, onde também é possível acessar o regulamento e as informações para contato em caso de dúvidas.

Depois de inscritos, os selecionados são chamados a prover informações sobre o empreendedor e sua organização, além de documentação. Definidos os semifinalistas, estes receberão o comitê avaliador, formado por jornalistas da Folha e por consultores independentes. A avaliação local resulta no material jornalístico e no relatório ao júri.

Após o processo de avaliação, seis iniciativas serão finalistas, sendo duas por categoria. A cerimônia de premiação acontecerá no dia 11 de novembro, em São Paulo.

Podem participar do Prêmio Empreendedor Social 2019 empreendedores maiores de 18 anos com iniciativas socioambientais de impacto com mais de três anos que possam ser replicadas e influenciar políticas públicas, bem como negócios socioambientais e instituições que atuam como modelos híbridos. Os principais prêmios da categoria são: bolsas de estudos em instituições como Harvard, Fundação Armando Alvares Penteado (Faap) e Fundação Dom Cabral; plano de medição de impacto realizado pelo Insper; participação em fóruns nacionais e internacionais; e consultoria jurídica e da Jr. Faap Consulting.

Todos os finalistas serão contemplados com assessoria de imprensa; perfil publicado em caderno especial da Folha, integração à Rede Folha de Empreendedores Socioambientais; relatório técnico de avaliação da iniciativa; e fotos e videodocumentário.

Notícias relacionadas

Mitos, dilemas e oportunidades dos negócios de impacto

O objetivo deste artigo é levantarmos alguns mitos que têm sido ‘ventilados’ nas conversas deste campo e problematiza-los partindo do princípio de que questões socioambientais são complexas, urgentes e necessitam ser enfrentadas a partir de atuações múltiplas e diversas.