Programa de aceleração dá mentoria a startups que usam dados para gerar impacto social

 

Startups que usam a inteligência de dados para gerar impacto positivo na sociedade, fiquem atentas. Estão abertas as inscrições para a segunda turma da Aceleradora Estação Hack, iniciativa do Facebook e da Artemisia, plataforma de fomento de negócios de impacto social.

O programa tem como objetivo selecionar até dez startups e, a partir de uma mentoria com duração de seis meses, promover a aceleração de projetos e ações inovadoras que proponham um impacto social e mudança das condições de vida de diversos brasileiros a partir do uso da inteligência de dados aliada à tecnologia da rede social Facebook.

Além de propor uma solução à um problema real e ter potencial para ser escalado, vale ressaltar que é preciso que o negócio já esteja em andamento, seja com protótipo desenvolvido e em fase de testes, ou até mesmo com produtos já lançados no mercado. Além disso, é exigência do programa que pelo menos um(a) dos(as) fundadores(as) esteja focado no desenvolvimento do negócio em tempo integral, de forma a garantir o comprometimento com a formação.

O acompanhamento tem data prevista de início para julho, e acontecerá na Estação Hack, o primeiro centro para inovação do mundo criado pelo Facebook. Para participar, não é necessário que os empreendedores sejam de São Paulo, e sim que estejam dispostos a morar na Estação, localizada na Avenida Paulista, durante o período da aceleração.

Isso porque, durante esse percurso, os empreendedores terão acesso a ferramentas inovadoras; conteúdos exclusivos; à metodologia Artemisia, que foca no que é essencial para o desenvolvimento tanto do negócio quanto do empreendedor; contato com outros profissionais; apoio na formatação do modelo de negócio e mentorias com especialistas de negócios de impacto social e tecnologia.

Primeira edição

Na primeira edição do programa, participaram da aceleração startups como a SmartSíndico, que a partir de um aplicativo ajuda síndicos e moradores de condomínios populares a fazer uma administração mais simples e econômica, priorizando a manutenção e redução de custos e conflitos; e a Muove, que desenvolveu uma plataforma dividida em duas: uma parte fechada para ajudar gestores públicos a tomarem decisões a partir da identificação de ineficiências nas finanças municipais, e uma parte aberta, que funciona como um mecanismo de transparência, permitindo maior controle da sociedade civil. Confira todos os participantes a primeira edição no site da Artemisia.

Sobre

O processo de seleção acontecerá a partir de entrevistas durante os meses de abril e maio. No final de junho, será realizado o PitchDay, para que até 20 empresas finalistas possam apresentar suas soluções para uma banca avaliadora. O resultado das dez startups selecionadas para o programa será divulgado em julho. As inscrições podem ser realizadas até o dia 25 de março diretamente no site da Artemisia.

Leia Mais

22 Compart.
Compartilhar22
Twittar
Compartilhar
+1