Desenvolvimento sustentável, educação e formação guiam Instituto Sicoob, novo associado GIFE

O interesse pela comunidade, 7º princípio do cooperativismo, assim como educação, formação e informação, que correspondem ao 5º princípio, inspiraram a criação do Instituto Sicoob, novo membro da base associativa do GIFE. 

Criado em 2004 pela cooperativa Sicoob Metropolitano, em Maringá (PR), o Instituto tem como missão difundir a cultura cooperativista, desenvolver líderes comunitários a partir desta e contribuir para o desenvolvimento sustentável e da cidadania financeira das comunidades onde as cooperativas estão inseridas. 

Luiz Edson Feltrim, superintendente da instituição, explica que a partir de 2009 o Instituto deu início a um processo de expansão com atuação em todo o estado do Paraná. Em 2015, começou a operar no Amapá e Pará. Em 2016, no Rio de Janeiro. E em 2018, começou a difundir ações e atividades por todo o território nacional. Esse movimento surgiu a partir da percepção da necessidade de uma entidade nacional que criasse uma agenda sistêmica e estratégica, comum a todas as cooperativas do sistema. 

Atualmente sediado em Brasília, o Instituto sempre teve como princípio ser administrado por uma equipe enxuta e contar com a atuação de voluntários das cooperativas capacitados no programa Voluntário Transformador, que integra o eixo de atuação Desenvolvimento Sustentável. “Nossa equipe em Brasília é composta por dez pessoas que pensam as metodologias e programas do Instituto. Cada central, que congrega as cooperativas singulares, vai criar em sua estrutura uma equipe para replicar toda a agenda do Instituto, usando, também, a força de trabalho do Voluntário Transformador de seus dirigentes e colaboradores.”    

Pilares 

A atuação do Sicoob é dividida em três pilares: cooperativismo e empreendedorismo, cidadania financeira e desenvolvimento sustentável. “Para chegar nesses três eixos, chamamos os líderes de todas as centrais e olhamos para as diretrizes do Sicoob em questões relacionadas a cooperativismo e sustentabilidade”, explica Feltrim. 

Dessa forma, além das estratégias e diretrizes de responsabilidade social do Sicoob, o Instituto também está alinhado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e à agenda dos reguladores brasileiros do cooperativismo. 

O superintendente reforça ainda que o grande protagonismo das ações do Instituto Sicoob são as cooperativas, centrais e singulares, por estarem em contato direto com as comunidades e entenderem melhor cada realidade. Feltrim enfatiza que “cada cooperativa, com seu corpo de voluntários, é que vai implementar as ações. O nosso posicionamento estratégico é gerar valor compartilhado para a comunidade e para o negócio que dá sustentabilidade a toda essa agenda”.

O pilar cooperativismo e empreendedorismo conta com projetos destinados a difundir a cultura e valores cooperativistas e, ao mesmo tempo, incentivar o desenvolvimento do espírito empreendedor dos beneficiários. O Cooperjovem é um dos programas que integram esse eixo. Criado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (SESCOOP), é desenvolvido pelo Instituto desde 2013 juntamente a professores do Ensino Fundamental de escolas da rede pública e privada. A ideia é capacitá-los para que consigam melhorar o processo de ensino-aprendizagem a partir do uso da cultura da cooperação como ferramenta.   

O Cooperativa Mirim, por sua vez, procura desenvolver a consciência cooperativista junto a crianças e jovens. O programa tem como objetivo incentivar a formação de cooperativas nas escolas e instituições sociais. A ideia é que as crianças se unam espontaneamente e formem uma cooperativa a ser comandada por elas. 

“Temos uma resposta muito favorável a esse programa, por isso estamos expandindo para nível nacional. Nós passamos todos os princípios do cooperativismo para as crianças e elas escolhem um objeto de aprendizagem para desenvolver. Aprendem o que é uma cooperativa, criam um conselho administrativo e fiscal e aprendem a conduzir reuniões”, defende Feltrim. 

Já no âmbito do pilar cidadania financeira, a ideia é capacitar colaboradores do programa Voluntário Transformador para que estes difundam a educação financeira e seus ensinamentos – como planejamento financeiro, conceitos e práticas saudáveis em relação ao dinheiro – nas comunidades onde as cooperativas atuam. Compõem esse eixo os programas Clínica Financeira, com a oferta de atendimentos individuais gratuitos à população, Palestras sobre Educação Financeira e o Se Liga nas Finanças, conjunto de workshops destinados a jovens de 15 a 29 anos. 

O desenvolvimento sustentável, terceiro pilar do Instituto, é trabalhado a partir dos programas Voluntário Transformador – grupo de dirigentes e colaboradores que endereçam a missão do Instituto de difundir a cultura cooperativista e contribuir para o desenvolvimento sustentável das comunidades -; Expresso Instituto Sicoob – um ônibus adaptado que oferece cursos profissionalizantes a pessoas de entidades sociais, prefeituras ou alunos da rede pública e privada -; e edital Cooperação para o Desenvolvimento, que seleciona e apoia, anualmente, por meio do Banco Cooperativo do Brasil (Bancoob), projetos culturais e esportivos.  

Associação ao GIFE 

Segundo Feltrim, o Instituto Sicoob vê o GIFE como o principal ambiente de discussão sobre investimento social privado no Brasil. Por isso, integrar a rede é uma forma de estar presente nesse meio e discutir o tema e seus encaminhamentos com outros investidores.  

“Como trabalhamos com cooperativismo, que tem entre seus princípios democracia e transparência, queremos passar essa mensagem e oferecer nossa experiência, além de aprender com aqueles que já estão há mais tempo na estrada. O GIFE oferece um ambiente propício para a troca de experiências e crescimento de todos, sempre pensando na melhoria dessa comunidade que é o nosso país e no seu crescimento econômico, social e ambiental”, reforça. 

Notícias relacionadas

Cooperativa cria portal exclusivo de venda direta ao consumidor no interior paulista

A partir de julho, os moradores de Bragança Paulista (SP) e região vão poder comprar produtos orgânicos fresquinhos, por meio da plataforma online “Canteiro Mágico” (canteiromagico.com.br). O serviço será oferecido pela Cooperativa dos Produtores Rurais Entre Serras e Águas, e faz parte do projeto Loja Móvel de Orgânicos, que tem a parceria da Fundação Banco do Brasil.

Apoio institucional