Edital da Fundação Cargill busca propostas de alimentação segura, saudável e sustentável

Ter uma boa alimentação é um dos pilares para garantir boa saúde e bem-estar. Com o objetivo de incentivar, reconhecer e apoiar projetos que promovam a alimentação saudável, sustentável, segura e acessível, estão abertas as inscrições para o edital Fundação Cargill 2019.

A iniciativa da Fundação Cargill irá selecionar até 15 projetos de organizações, fundações e associações não governamentais e sem fins lucrativos com pelo menos três anos de atuação e que desenvolvam projetos em cidades com unidades e escritórios da Cargill Agrícola S.A ou em até 150 km dessas localidades.

Álvaro Modesto, analista de projetos da Fundação Cargill, explica que esse requisito tem o objetivo de estreitar a relação nas comunidades onde a empresa está presente, permitindo um intercâmbio de conhecimentos e a participação de voluntários da Cargill.  

Criada em 2015, a chamada de projetos passou por alterações para edição de 2018. “Nós tínhamos projetos internos de investimento social. Mas desenvolvemos o edital uma vez que buscamos atingir o maior número de beneficiários possível, além de gerar um impacto social com maior escala. Esse ano nós esperamos um aumento do número de inscrições, já que reforçamos a comunicação com o objetivo de despertar o interesse de mais organizações e negócios sociais, para gerar mais transformação social”, explica Álvaro.

Outro requisito do edital é que as ações sejam desenvolvidas de acordo com uma das três linhas temáticas: 1. Iniciativas inovadoras no combate à perda e desperdício de alimentos; 2. Inovação tecnológica, de soluções e pesquisas, na cadeia de alimentos; e 3. Parcerias para inovação e fortalecimento do empreendedorismo na cadeia de alimentação.

Dentro dessas áreas, as propostas podem envolver aspectos relacionadas ao meio ambiente; espaço disponível e recursos hídricos para plantio; rentabilidade das lavouras; tecnologias para transportar, armazenar e conservar alimentos; promoção da saúde, nutrição e alimentação da população; garantia da qualidade biológica, sanitária, nutricional e tecnológica dos alimentos; produção de conhecimento e o acesso à informação sobre segurança alimentar e nutricional; entre outros.

Em linhas gerais, iniciativas que envolvam produção e consumo sustentável visando a segurança alimentar de futuras gerações estão dentro do escopo do edital. Para participar, os projetos devem ter duração de até dois anos (com encerramento previsto até dezembro de 2020), e solicitar um orçamento de R$ 50 mil até R$ 200 mil.

Inscrição e seleção

A seleção será dividida em seis etapas. Depois das inscrições e triagem inicial, a análise detalhada consistirá no envio de um vídeo e de um modelo de negócios. Na análise deliberada, as organizações deverão esclarecer, detalhes ou dúvidas da comitê de avaliação acerca das propostas. Em seguida, as semifinalistas serão visitadas para comprovação das informações fornecidas. Na sexta fase, haverá a validação do portfólio e seleção dos finalistas, que serão apresentados aos integrantes da diretoria da Fundação Cargill.

Ao todo, serão cinco critérios de seleção: alinhamento e coerência da proposta com a missão da organização e da Fundação Cargill; planejamento e gestão consistentes, com objetivos, metas e atividades expostos de forma clara; impacto e relevância, com validação da metodologia e transformação social a nível local; escalabilidade de mobilização; e perenidade.

“Em alinhamento e coerência, por exemplo, o projeto precisa estar alinhado tanto com as linhas temáticas como com a missão da Fundação Cargill, que é promover a alimentação saudável, segura e sustentável e acessível do campo ao consumidor. Já em planejamento e gestão, é preciso ter uma relação clara entre objetivos e as atividades que serão realizadas para alcançá-los. Por isso, a proposta ser desenvolvida por uma instituição estruturada, que consiga executá-la, acaba sendo um dos critérios de seleção”.

Por alimentação saudável, a Cargill entende que é “aquela realizada de forma equilibrada e diversificada, atendendo necessidades nutricionais de acordo com o perfil de cada pessoa”. Por sua vez, alimentação segura é “feita com alimentos produzidos corretamente e que sejam próprios para o consumo”. Já a alimentação sustentável é “composta por produtos de uma cadeia de valor ético e responsável, que respeite o meio ambiente, os recursos naturais e suas comunidades” e, por fim, Álvaro explica que alimentação acessível deve estar “disponível ao alcance físico e financeiro de todos”.

As inscrições podem ser realizadas até às 18h do dia 28 de maio, a partir do preenchimento do formulário online disponível no site do edital.

A lista com os selecionados será divulgada entre novembro e dezembro no site do edital. Eventuais dúvidas sobre o funcionamento da seleção podem ser esclarecidas no regulamento, disponível na íntegra neste link, ou pelo email editalfc@neuronio.com.br.

Leia Mais