Fundação BB e BNDES vão investir R$ 10 mi na reaplicação de tecnologias sociais

 

Organizações sem fins lucrativos com mais de dois anos de existência podem participar de edital inédito para reaplicarem tecnologias sociais com foco em geração de trabalho e renda, em qualquer região do Brasil. As entidades devem ter sede ou experiência comprovada de atuação na região onde pretendem implantar o projeto, e o investimento na seleção será de R$ 10 milhões, podendo ser ampliado, se houver disponibilidade de recursos e for avaliada a necessidade de ampliação.

A iniciativa é da Fundação Banco do Brasil e BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e tem como objetivo reaplicar as iniciativas que formam o Banco de Tecnologias Sociais da Fundação BB, um acervo online com todas as metodologias certificadas pela organização desde 2001.

“Com o edital, a FBB completa o ciclo que começa com a certificação e a divulgação, depois a premiação, e agora o investimento na efetivação dessas metodologias”, explica o diretor de Desenvolvimento Social da Fundação BB, Rogério Biruel.

Mesmo que a metodologia original a ser reaplicada não tenha como objetivo a geração de trabalho e renda, o projeto participante deve ter essa finalidade comprovada. O valor a ser investido deve estar entre R$ 500 mil e R$ 1 milhão, podendo envolver mais de uma tecnologia social, desde que estejam integradas e potencializem o resultado.

Participação da comunidade

Tecnologia social é toda solução (produto, técnica ou metodologia) para desafios sociais que reúne conhecimento científico e popular, realizada com a participação da comunidade e de fácil reaplicação e adaptação em outra localidade. No Banco de Tecnologias Sociais há cerca de mil metodologias certificadas pela Fundação BB, todas selecionadas nas nove edições do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social, realizado a cada dois anos, desde 2001.

Um exemplo é a Rede Bodega de Comercialização Solidária, que funciona em cinco municípios do Ceará e foi vencedora do prêmio em 2017, na categoria Economia Solidária. As bodegas são espécies de mercearias, onde há grande variedade de produtos à venda. Articulada pela Rede Cáritas, a iniciativa abriga trabalhos de 220 famílias de agricultores familiares, extrativistas, costureiras, artesãos, escritores e poetas, reunidos em cooperativas e associações.

Conforme especifica o edital, organizações com diretorias compostas por, no mínimo, 50% de mulheres ou que possuam tecnologia certificada pela Fundação Banco do Brasil vão receber bonificação extra.

Inscrições

As informações da chamada estão disponíveis em fbb.org.br/reaplicaTS e as inscrições vão até 29 de junho.

 

Notícias relacionadas