Instituto Península lança campanha para reforçar importância dos professores

Professores têm um papel fundamental no desenvolvimento humano desde muito cedo. São eles que acompanham o crescimento e a formação do indivíduo ao cumprirem seu papel de facilitadores da aprendizagem, incentivando que cada um desenvolva o seu máximo potencial. Para lembrar a importância da figura do professor, o Instituto Península lançou a campanha #1MudaMuitos.

Heloisa Morel, diretora do Instituto, explica que a ação está diretamente relacionada ao objetivo da instituição de ajudar na transformação do Brasil a partir da transformação de pessoas. Para isso, a aposta é na educação. A iniciativa visa dar visibilidade à crença do Instituto de que os principais agentes da mudança da educação brasileira são os professores.

“Com estudos e indicadores, percebemos que a carreira do professor foi perdendo valor na sociedade com o passar do tempo. Às vezes, ele pode não se sentir empoderado diante de tantos desafios que encontra dentro e fora da sala de aula, mas de fato acreditamos que é um super agente de transformação porque faz mais do que a transposição do conhecimento. Ele acompanha o desenvolvimento humano dessas crianças e desses jovens”, explica.  

Segundo a diretora, a campanha busca conscientizar a população sobre a importância de bons professores no desenvolvimento intelectual e pessoal dos estudantes. “Temos uma brincadeira interna que diz que ‘um médico salva vidas, e um professor também’. O médico cuida dos sintomas e o professor é o médico que cuida do preventivo. Ele é agente de fomento de equidade de oportunidade.”  

O filme

A campanha se divide em várias ações. A principal delas é um filme com duração de um minuto. Com duas versões, uma narrada pelo apresentador Jô Soares e outra pelo apresentador Luciano Huck, o curta é aberto com a frase “educação tem solução sim”, e apresenta professores reais da Escola Estadual Alfredo Paulino, localizada no Alto da Lapa, em São Paulo, onde o filme foi gravado.  

Como apresentado no curta, essa solução é a figura do professor, profissional que sabe que ‘dentro da sala de aula tem a oportunidade de fazer um amanhã melhor do que o hoje’. As cenas compõem uma linha de raciocínio que mostra que, a partir do plantio e cultivo de uma semente, ou seja, a dedicação e aposta de educadores em cada um de seus alunos, é possível mudar uma escola inteira, o bairro e até o país. Tudo isso investindo em educação.

O filme mostra que essa rede de transformação é composta por vários rostos de diferentes professores que atuam em inúmeras escolas, nas mais distintas disciplinas. A mensagem final, “preparar o professor é multiplicar o futuro”, conversa diretamente com o nome da campanha. “A hashtag #1MudaMuitos significa que um bom professor é capaz de transformar muitas vidas. Essa mágica que acontece dentro da sala de aula foi a inspiração do filme”, ressalta Heloísa.

Discussões decorrentes da campanha

O filme e a campanha como um todo abrem precedente para discussão de diversos temas relacionados à educação. A valorização do professor, tema da iniciativa, também tem diversos desdobramentos.

A necessidade de investir na formação inicial e continuada é uma delas. “Nós estamos vivendo uma crise de aprendizagem. Costumo dizer que professores encontram um microcosmos da complexidade que existe no país dentro da sala de aula. Nesse meio, como lidar com outros desafios relacionados à violência, drogas, fome e a estrutura maior ou menor das famílias dos alunos? Tudo isso impacta na aprendizagem. Sabemos que é compromisso da sociedade e dos governantes garantir um bom preparo para esses profissionais enfrentarem os desafios contemporâneos.”

Nesse sentido, Heloísa destaca que a crença do Instituto Península na importância do preparo profissional se justifica porque mesmo que a carreira do educador não volte ao patamar que merece, esse profissional continuará entrando em sala de aula para orientar e ensinar alunos.

A questão do formato do ensino também se faz presente. Heloísa defende que o Brasil precisa de mais cursos e universidades que formem educadores prontos para a sala de aula, já que diversas grades curriculares têm sua atenção muito voltada a questões acadêmicas. A diretora ressalta que é preciso ter um equilíbrio entre teoria e prática e essa agenda precisa avançar de maneira sistêmica por todo país.

Com o advento da tecnologia, o debate sobre a importância do professor também é atual. Enquanto muitos acreditam que tablets, smartphones e ferramentas tecnológicas vão substituir a orientação humana, Heloísa argumenta que houve uma troca de papel do professor.

“Existem muitas formas de os jovens acessarem conteúdo. O professor vai ajudar os alunos a juntarem essas peças. Sem dúvida ele precisa dominar todos os conteúdos que tem a responsabilidade de ensinar, seja na alfabetização, numa disciplina específica do Ensino Fundamental 2 ou no Ensino Médio. Mas, hoje ele é um curador do conteúdo, ele tutora esse processo de aprendizagem. É diferente de trinta anos atrás, quando era o único detentor do conhecimento e, portanto, transpor e traduzir esse conhecimento era seu único e exclusivo papel.”

Além disso, Heloísa explica que apesar de a importância da educação ser praticamente um consenso entre todas as camadas da população, ainda falta clareza sobre o quanto a pauta é prioritária. “Nem todo mundo sabe da urgência de colocar o tema como pauta nacional para que as transformações aconteçam. A maior mudança de base que temos é a educação. Enquanto isso não for realidade, vamos continuar enxugando gelo. Se formos capazes de fazer com que as pessoas se reconectem emocionalmente não só com os professores dos seus filhos, mas com um olhar para essa carreira com o valor que ela tem para a transformação da sociedade, será maravilhoso.”

Por ser um desafio nacional, a diretora reafirmou a necessidade do envolvimento dos mais diversos atores para endereçar a questão. A sociedade civil também entra na conta. Segundo Heloísa, a campanha também pode ajudar na conscientização de pais, mães e responsáveis de cobrarem seus governantes e exercerem sua cidadania em prol da educação a partir do voto consciente. Entretanto, deixou claro que não é uma iniciativa individual que mudará o cenário da educação brasileira.

Além da divulgação do filme em uma rede de cinema, a campanha está em toda a programação de redes sociais do Instituto Península, como o Facebook. A equipe do Instituto se uniu para divulgar casos reais de professores que conseguiram multiplicar seu efeito positivo para mudar a vida de inúmeros alunos e até mesmo da escola onde atuam. O filme pode ser conferido neste link ou diretamente na página do Instituto Península no Facebook.

Notícias relacionadas