Enzima Lab oferece formação a institutos e fundações sobre negócios de impacto

Oferecer formação para gestores e equipes de institutos e fundações que buscam mais clareza sobre o tema de investimentos e negócios de impacto. Esse é o objetivo do Enzima Lab, iniciativa do Instituto Sabin e Din4mo, com apoio institucional do GIFE.

Fábio Deboni, gerente executivo do Instituto Sabin, explica que o programa foi criado em 2018 a partir da percepção da necessidade de um espaço para aprofundar o debate e entendimento sobre negócios de impacto. “O Instituto Sabin já atua nesse tema há cinco anos. Temos bastante conhecimento sobre como organizações se relacionam com o setor e sobre esse movimento mais recente de institutos e fundações se aproximarem dessa agenda. Por isso, percebemos que faltavam espaços qualificados de formação especificamente para profissionais do investimento social privado.”

A ideia de fazer um segundo processo formativo surgiu tanto para possibilitar que outros institutos e fundações que têm interesse no tema participem e aprofundem seus conhecimentos, quanto para atender a outros funcionários de organizações que já participaram. Fábio explica que essa é uma forma de fazer com que a agenda de negócios de impacto seja compreendida por cada vez mais pessoas de uma mesma instituição.

“Não necessariamente todas as pessoas de institutos e fundações que têm mais familiaridade com o tema têm o mesmo nível de compreensão. Nesse sentido, o Enzima Lab tem a perspectiva de formar quadros da própria organização ou das empresas mantenedoras, para que todos ‘falem a mesma língua’”, explica o gerente.

Oficinas e mentorias 

Entre as 36 horas de carga horária total do programa, estão incluídos três encontros para imersão nos tópicos mais relevantes em investimentos e negócios de impacto. As reuniões acontecerão em São Paulo, nos meses de agosto, setembro e outubro, em datas a serem confirmadas. 

Entre os eventos, serão realizados acompanhamentos à distância com especialistas. “As mentorias são oportunidades de ir a fundo e analisar como o tema de investimentos e negócios de impacto está contemplado na estratégia do instituto ou fundação e como esse mentor pode orientar e discutir caminhos para potencializar a área. Cada participante poderá escolher o mentor que melhor se encaixa à realidade da sua organização naquele momento”, conta Fábio. 

Ao final desse processo, as instituições organizadoras esperam que os participantes tenham maior clareza do papel de institutos e fundações nessa nova agenda, um olhar mais estratégico em formas de conciliar o que já fazem com os negócios de impacto, assim como uma visão mais crítica do tema. 

Edição 2018

A primeira edição do Enzima Lab, em 2018, contou com a participação de cerca de 15 pessoas, entre elas o Instituto C&A e a Fundação Grupo Boticário, associados ao GIFE.

Fábio Almeida, gerente de desenvolvimento institucional e redes do Instituto C&A, explica que a organização optou por participar da iniciativa por acreditar na importância de construir  as capacidades para que a filantropia atue de maneira mais efetiva no campo dos negócios de impacto.

Além de ter sido um bom espaço de troca e discussão de casos práticos, o gerente reforça o fato de que são muitas as formas de fomentar o campo no Brasil. “O Enzima Lab nos deixou claro que cada organização deve achar a forma por meio da qual mais pode contribuir. Além disso, aprendemos que há um potencial enorme de ganhos de escala para transformação de realidades sociais por meio dos negócios de impacto. Assim, sem abrir mão de nossas características de grantmaker e de apoiador das organizações da sociedade civil no Brasil, pretendemos usar esses aprendizados para desenvolver estratégias complementares que envolvam negócios de impacto.”

Gabrielle Lobo, coordenadora de planejamento e estratégia da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, explica que a participação da organização no Enzima Lab visou a melhor compreensão do assunto, além da disseminação dos aprendizados para outras áreas da Fundação, uma vez que o tema de investimentos e negócios de impacto faz parte de sua estratégia institucional para os próximos anos.

“Nosso grande aprendizado foi materializar e compreender de forma mais ampla o significado e o ecossistema dos investimentos e dos negócios de impacto, não apenas no âmbito da conservação da natureza, mas também em outras áreas no Brasil e no exterior.”

Fábio Deboni faz um balanço positivo da primeira edição ao defender que foi uma forma de mostrar que a agenda de negócios de impacto não chegou para substituir o que institutos e fundações fazem, mas sim complementar essa atuação. “Queremos mostrar como se apropriar desses novos elementos e ferramentas para continuarmos a desempenhar nossa missão de gerar, promover e potencializar impacto socioambiental positivo.”

Inscrições 

Os interessados em participar da segunda edição do Enzima Lab podem se inscrever até 10 de agosto neste link. Para mais informações sobre a formação e o investimento necessário para participar entre em contato pelo e-mail [email protected].   

Related news