Itaú Social lança plataforma de cursos gratuitos para formação continuada docente

Cerca de 71% dos professores da Educação Básica ouvidos pela pesquisa Profissão Professor, iniciativa do Todos Pela Educação e Itaú Social realizada pelo Ibope Inteligência, acreditam que a formação inicial que tiveram não foi suficiente para prepará-los para os desafios do início da docência. O sentimento de falta de preparo é um dos fatores que explica a continuidade dos estudos após a graduação, considerando que 77% dos entrevistados buscaram algum tipo de especialização. 

Os dados dessa e de outras pesquisas foram motivadores para a concepção do Polo, ambiente virtual do Itaú Social que reúne formações práticas, certificadas e gratuitas. Lançada em agosto deste ano, a plataforma foi pensada para oferecer cursos rápidos sobre temas diversos, de forma a ajudar o cotidiano de profissionais da educação de todo o Brasil. 

Carlos Garrido, coordenador de formação do Itaú Social, afirma que o principal objetivo do Polo é contribuir para a formação e desenvolvimento de profissionais que atuam para a melhoria da educação, sejam eles professores, que estão diariamente dentro das salas de aula, diretores e coordenadores ou profissionais que atuam com educação em organizações da sociedade civil. 

“Diversas pesquisas apontam que os profissionais da educação valorizam a formação continuada como estratégia de aperfeiçoamento e desenvolvimento profissional. Além disso, ficamos com a inquietação de como sistematizar o conhecimento dos nossos projetos próprios, que, muitas vezes, fica circunscrito a uma região, e levá-lo ao público geral. O Polo vem como uma resposta a isso”, explica Carlos. 

O coordenador reforça ainda que a ferramenta também funciona como ponto de encontro e conexão entre diferentes atores. “A plataforma tem uma perspectiva de colocar pessoas em contato para que troquem conhecimentos e experiências e consigam construir essa ponte. Muitas vezes, conseguimos fomentar parcerias, redes e territórios que serão formadores de outras pessoas.” 

Entre os desafios que a plataforma busca endereçar está a oferta de formações factíveis aos profissionais, que, muitas vezes, sofrem com restrição de recursos e tempo, e possibilitar maior alcance dos cursos. “O principal ponto é pensar uma plataforma de formação que seja útil e transforme práticas, mas que, principalmente, enderece questões de equidade. Que ela consiga chegar naquele professor que mais precisa, que está mais afastado de oportunidades, aquele que precisa ter acesso tanto a linguagem e conteúdo, como acesso físico propriamente dito”, explica Carlos. 

Temas e percursos formativos 

As temáticas abordadas nos cursos vão desde ensino e aprendizagem na prática até processos e ferramentas de gestão. Dessa forma, professores, gestores de educação, coordenadores pedagógicos, gestores e equipes de Organizações da Sociedade Civil (OSCs) podem participar. Alguns cursos, entretanto, também podem ser estudados pelo público geral, como mediação de leitura. 

A curadoria do conteúdo é feita pelo Itaú Social, que, em seguida, busca parceiros que possam desenvolver os cursos. A parceria com o Instituto de Tecnologia do Rio de Janeiro resultou, por exemplo, em formações no campo da comunicação e gestão do conhecimento. Já a Fundação Getulio Vargas (FGV) apostou em gestão escolar para diretores e coordenadores pedagógicos. O Instituto Singularidades montou uma formação sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). “Acreditamos que apesar de o Polo ser um espaço feito pelo Itaú Social, é um espaço de todos, inclusive de nossos parceiros. Além de atuar nos territórios com professores, coordenadores pedagógicos e gestores de OSCs, temos uma escuta muito próxima desse público, tanto pra ouvir e acolher demandas, quanto para validar os cursos e ver se fazem sentido na realidade.”

Entre os exemplos de cursos mais buscados entre os 18 atualmente disponíveis estão Fundeb e o financiamento da educação, Projeto político-pedagógico para organizações da sociedade civil, Infâncias e leituras, Leitura para bebês, Desenvolvimento organizacional e Avaliação e aprendizagem. 

As formações são independentes entre si e não seguem uma ordem. Entretanto, para aqueles que desejam se aprofundar em uma temática, a plataforma fornece quatro percursos formativos, que reúnem cursos sobre um mesmo tema. O percurso Gestão Operacional, por exemplo, é composto por oito formações e engloba conteúdos sobre gestão administrativa e financeira com foco na integração de pessoas, recursos e estratégias em prol da aprendizagem e da colaboração. Leitura, Escrita e Matemática, Gestão Pedagógica e Monitoramento e Avaliação são os demais percursos. 

“Tanto os cursos quanto os percursos formativos estão no âmbito da autonomia, o que é ótimo. Mas, para o futuro, queremos encadear melhor a sequência de cursos dos percursos. Além disso, também queremos investir em mais personalização, recomendação e conteúdos gradativos, desde níveis de sensibilização até uma formação mais aprofundada. Assim, a plataforma poderá fazer uma leitura dos seus interesses de aprendizado e indicar a trilha mais adequada”, afirma Carlos. 

Próximos passos 

Ao reforçar que para o Itaú Social o Polo é um ambiente vivo, Carlos revela planos de expansão da plataforma. Em outubro e novembro deste ano, a organização irá disponibilizar novos cursos com o objetivo de fechar o ano com 29 formações no site. Além disso, a ideia é atualizar as formações disponíveis e investir na produção de novas capacitações para 2020. 

Associados

Notícias relacionadas

Apoio institucional