Música com transformação social: alunos IBLF realizam apresentação gratuita em teatro de Fortaleza

Lembrar e celebrar as conquistas de um ano de muito trabalho, esforço e amor, é o que o Instituto Beatriz e Lauro Fiuza (IBLF) realiza anualmente com seus alunos, colaboradores e incentivadores. Neste ano, com uma viagem pela história da música, indo do período barroco ao contemporâneo, o Concerto Espiral do Tempo acontece no dia 02 de dezembro, a partir das 16 horas, no Cineteatro São Luiz. O evento é aberto ao público, gratuito e conta com as apresentações de quatro grupos de referência do Instituto.

O Concerto Espiral do Tempo é um dia de celebração com a família e um dia para partilhar algumas conquistas do Instituto ao longo do ano. Sua pretensão é ser um “passeio” sobre a produção musical ao longo da história. Os alunos IBLF apresentam músicas que marcaram períodos da história da música ocidental, erudita e popular, contadas por textos literários internacionais e canções populares brasileiras.

O evento agrada também aqueles que querem conhecer e apoiar as ações do Instituto, oferecendo doações para a continuidade de suas atividades. A Orquestra Jacques Klein, a Camerata Cordas Cearenses, o Coral Vozes de Iracema e o Grupo de Teclados são as grandes atrações do evento, que estima público de mais de 800 pessoas.

Trabalhando com valores como respeito, autonomia, empoderamento e protagonismo juvenil, o IBLF busca ampliar os horizontes de seus alunos através de ações internas e externas aos seus muros. Segundo Michel Costa, coordenador do Programa de Música Jacques Klein (PMJK), “as apresentações são uma forma de preparar para o palco, além de serem motivadoras para que os alunos deem continuidade aos estudos da música”.

O IBLF atende 600 crianças e adolescentes entre quatro e 20 anos, com atividades musicais e esportivas, além de manter acompanhamento social com os alunos e seus familiares. O PMJK atende 400 educandos em três bairros de Fortaleza que apresentam Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) baixo, são eles: Passaré, José de Alencar e Henrique Jorge.

Transformação social

A cidade de Fortaleza apresenta 75,63% de seus bairros com baixos números no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Procurando transformar e ampliar os horizontes de jovens moradores de zonas de risco e vulnerabilidade social, o Instituto Beatriz e Lauro Fiuza (IBLF) atua em três locais através do ensino artístico, com o Programa de Música Jacques Klein (PMJK).

Segundo dados de 2014, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico de Fortaleza, 90 dos 119 bairros da cidade apresentam IDH baixos. O bairro que apresenta o maior indicador é o Meireles (0,953), enquanto que o Conjunto Palmeiras apresenta o menor (0,119). O Índice é calculado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) e faz relação com indicadores educacionais, de longevidade e de renda.

Os números obtidos pelo IBLF desde sua fundação, em 2012, são atenuantes aos registrados nos locais em que atua, nos bairros Passaré, Henrique Jorge e José de Alencar. Suas conquistas vão da redução nos índices de gravidez na adolescência à queda da evasão escolar e ao acesso ao ensino superior por seus alunos.

Segundo Matheus Albuquerque (17), aluno desde 2013, as atividades proporcionadas pelo IBLF fazem com que ele e seus colegas sonhem com voos que antes não eram imaginados. “Depois que eu entrei no Projeto tudo em minha vida mudou para melhor. Antes eu não pensava em ser músico e hoje eu sou”, relata. Matheus compõe a Orquestra Jacques Klein e acredita que um dia seu grupo se apresentará fora do Brasil e “ganhará o mundo”. “O futuro é nosso”, garante.

Assim como Matheus, Lais Rodrigues (18) também integra uma equipe de referência do IBLF. Ela entrou no Programa Jacques Klein há quase dois anos e exatamente no dia da apresentação do Concerto Espiral do Tempo, em 02 de dezembro, ela comemora um ano na Camerata Cordas Cearenses. Laís toca violão e entende que a música vem transformando sua vida “aos olhos da sociedade”. “Todo o esforço que tive até hoje tem valido a pena”, afirma.

Seu otimismo também se transfere para outra frente em sua vida: o ingresso na universidade. Laís sonha com sua aprovação e de mais três colegas do IBLF na Universidade Estadual do Ceará (UECE), no curso de Música.

“Se nós quatro conseguirmos passar na UECE, será um grande incentivo para os alunos do Instituto. Seríamos inspiração para eles”, acredita. Ela espera também que a música seja mais valorizada. “Minha mãe queria que eu fosse doutora (médica), mas quem disse que não existe doutor (doutorado) em violão?”, brinca, com um largo sorriso no rosto.

 

Serviço

Concerto Espiral do Tempo

Onde: Cineteatro São Luiz – Rua Major Facundo, 500, Centro, Fortaleza (Praça do Ferreira)

Quando: 02 de dezembro às 16 horas

Gratuito e aberto ao público

FacebookTwitterLinkedInGoogle+