2019 foi ano de avanços na atuação em rede do GIFE

As Redes Temáticas do GIFE são espaços de troca de conhecimento e articulação entre atores que investem e desenvolvem projetos em uma mesma temática ou região. Com encontros ao longo do ano, a ideia desses grupos é usar a vivência de cada organização em um fluxo de troca de experiências, seja sobre temas transversais do investimento social privado (ISP) ou sobre áreas finalísticas. 

Confira os destaques na atuação das RTs em 2019.

Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente 

A Rede Temática de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente (GDCA) deu início às atividades em fevereiro com a realização de um planejamento estratégico para o biênio 2019-2020. Entre as ações planejadas e realizadas estão a homenagem ao procurador de justiça Wanderlino Nogueira Neto – que deixou um legado de contribuições para o campo da defesa dos direitos da criança e do adolescente no Brasil -, a participação de Maria do Carmo Albuquerque, especialista em Conselhos Municipais de Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCAs), a elaboração e divulgação do Radar da Rede, que reúne notícias do âmbito legislativo sobre pautas de interesse da RT, entre outras. 

Ao longo do ano, também permeou a pauta do grupo a importância de fortalecer o Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), a necessidade de um chamado à rede para que o grupo se posicione publicamente quando necessário e a elaboração de um conjunto de ações que irão compor a comemoração dos 30 anos da Convenção Internacional sobre os Direitos da Criança, aprovada em 1989, e os 30 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), em 2020. Uma dessas iniciativas é a realização de nove programas temáticos dentro do Conexão Futura

Gestão Institucional 

Os dois encontros da RT de Gestão Institucional realizados em 2019 contaram com colaborações externas. Marco Camargo, diretor do Vetor Brasil, abordou o que é ou não benchmarking, além das diferentes estratégias e ferramentas que podem ajudar no processo de comparação de produtos, práticas empresariais, serviços ou metodologias, visando à melhoria contínua dentro de uma organização. O encontro também marcou a apresentação da primeira versão da plataforma colaborativa desenvolvida pela RT para a disseminação de práticas de gestão com as boas práticas dos membros. 

Glauber Belusse, gerente sênior de relacionamento corporativo do LinkedIn, ancorou o debate sobre gestão de talentos durante o segundo encontro. Além de reforçar que a área de recursos humanos tem um papel fundamental nos resultados dos negócios, deu dicas para a construção de uma marca empregadora e pontuou a importância da diversidade para qualquer estratégia de gestão de pessoas.

Grantmaking 

O debate sobre a relação entre grantmakers e grantees permeou os quatro encontros realizados em 2019 pela RT de Grantmaking. No primeiro, Leandro Pinheiro, superintendente socioeducativo da Fundação FEAC, introduziu a temática e exemplificou algumas estratégias de grantmaking

Em seguida, a RT deu início a um processo de apresentação de práticas de fortalecimento institucional de grantees. Fundação Lemann, Fundação Itaú Social, Instituto Clima e Sociedade e Instituto Arredondar apresentaram suas atividades no segundo encontro, Instituto C&A e Fundação FEAC conduziram a terceira reunião e, por fim, as apresentações de Instituto Jatobás e Fundação Tide Setubal marcaram o encontro de encerramento de 2019, que também contou com a apresentação da rede de coletivos e organizações Potências Periféricas, que compartilhou os aprendizados sistematizados a partir da interlocução com essas e outras organizações que fazem investimento social privado.

Leitura e Escrita e Qualidade para Todos (LEQT)

Uma das mais antigas Redes Temáticas do GIFE, a LEQT teve sua agenda movimentada em 2019. O ano marcou o lançamento dos 92 Indicadores LEQT – Qualidade em Projetos de Leitura, um conjunto de parâmetros a ser utilizado em processos de monitoramento e avaliação de projetos no campo da leitura; a apresentação de organizações que contam com projetos de leitura em diferentes territórios e o debate sobre possíveis ações de advocacy a serem desenvolvidas pela RT no campo da leitura.

Em julho, a LEQT marcou presença na programação da Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP) com as mesas “Livro de Impacto”, sobre o papel da periferia, do investimento social privado, das organizações da sociedade civil, do jornalismo e da literatura na busca de soluções para os desafios atuais do país, e a mesa “Leitura e Escrita de Qualidade para Todos: Direito ameaçado”, que reuniu especialistas em políticas públicas na área de leitura e escrita para debater a situação atual do setor no Brasil. 

O ano contabilizou ainda a mudança da secretaria executiva da RT e o apoio a candidatos para a eleição do Conselho Municipal do Plano Municipal do Livro, Leitura, Literatura e Biblioteca (PMLLLB), que elegeu dois membros da Rede. O último evento do ano debateu estratégias para 2020. 

Negócios de Impacto 

A RT de Negócios de Impacto usou seu primeiro encontro de 2019 para dar luz ao tema diversidade no campo dos negócios de impacto social. Pesquisadoras, historiadoras e empreendedoras negras compartilharam um pouco da história e raízes do racismo no Brasil e no mundo. No segundo encontro do ano, o grupo debateu a importância das organizações intermediárias e seu papel no ecossistema de finanças sociais e negócios de impacto e como institutos, fundações e empresas podem apoiá-las.. Entre algumas das recomendações citadas como forma de apoiar as organizações intermediárias  estão: promover investimentos de longo prazo, apoiar a produção de processos de monitoramento e avaliação com vistas à geração de repertório e benchmarking, abrir novos caminhos para parcerias menos burocratizadas, dar mais visibilidade ao trabalho das organizações intermediárias, entre outras.

Saúde 

Depois de ter sido reativada em 2018, a RT de Saúde começou 2019 com a realização de seu planejamento estratégico, definindo o propósito (unir esforços para melhorar a Saúde no Brasil) e a missão da Rede (mobilizar e articular parcerias para qualificar o investimento social privado em Saúde). Já no segundo encontro, o grupo discutiu valores, acordos e governança da RT. A terceira reunião fechou o ciclo de planejamento, trazendo questões como realização de pesquisas sobre as demandas da população na área da saúde, pensar as ações do grupo a partir dessas demandas e convidar especialistas sobre o tema. O grupo discutiu ainda a possibilidade de criar um observatório da área da saúde e, para isso, se comprometeu a mapear modelos de plataformas e conhecimento já existente sobre a demanda social na área. 

Rede de Investidores Sociais (RIS) 

As Redes de Investidores Sociais (RIS) reúnem representantes do investimento social privado que atuam na mesma região. A ideia é realizar reuniões regularmente e, com isso, estabelecer espaços regionais de troca de experiências e conhecimento, além de possíveis atuações em conjunto. 

A RIS do Interior Paulista teve uma programação movimentada em 2019. Já no primeiro encontro do ano deu início a discussões sobre diversidade e equidade, temática definida durante o planejamento estratégico para nortear a atuação do grupo em 2019, com debates sobre genocídio da juventude negra e racismo estrutural na origem do Brasil. Entender como é possível aprofundar as discussões a respeito da “Gestão da Diversidade e Inclusão” nas instituições foi o objetivo da segunda reunião, que contou com exemplos reais do cenário da deficiência e mercado de trabalho brasileiro, além de desafios e caminhos para a acessibilidade. Os debates também permearam outras frentes no tema da diversidade e equidade, como diversidade de gênero e LGBTI+ e a importância de organizações do ISP avaliarem suas próprias equipes em busca da diversidade sobre a qual dialogam. 

O conhecimento acumulado acerca do tema ao longo do ano deu origem à campanha A soma das diferenças faz a diferença!, elaborada pela Rede. A mobilização conjunta via redes sociais teve como objetivo sensibilizar a população e disseminar o tema para além da RT. No último encontro do ano, os membros fizeram um balanço das ações em 2019, inclusive com a divulgação de uma pesquisa interna, e discutiram possíveis atuações para 2020 como, por exemplo, a realização de uma atividade durante o Congresso GIFE, em maio.  

Para integrar o grupo das RIS, que conta com a RIS de Curitiba e a RIS do Distrito Federal, o GIFE lançou, no segundo semestre do ano, a RIS do Nordeste. Além de uma motivação própria da organização em expandir sua atuação para além das regiões Sul e Sudeste, duas organizações incentivaram a articulação do novo grupo: Fundação Demócrito Rocha e Instituto Diageo. Levar as discussões sobre ISP e suas vertentes para o Nordeste possibilita maior diversidade de atores que dialogam com o grupo.

 

Apoio institucional